Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

quarta-feira, 15 de junho de 2016

GOLO… MARCELO NÃO SE QUERERÁ IR CATAR?



Euro2016. Para começar não foi mau. Um empate contra a Islândia. Pior teria sido perder… e vimos jeitos disso. Assim como vimos jeitos de vencer por mais dois ou três golos. Nada demais. Afinal somos campeões. Decretaram o PR Marcelo e o PM Costa. Parece que todos se esqueceram que a bola é redonda e que a função da equipa adversária é defender e vencer. Além disso o jogo foi contra a Islândia. Os tais que perante a “crise” mandaram tudo e todos os vigaristas de “sistema” às urtigas e deram voz de prisão aos seus banqueiros e aos mais que vieram com blá-blás. Os islandeses têm os tintins rijos e grandes (talvez endurecidos e dilatados pelo frio que lá faz). Em contrapartida, acerca dos portugueses… Nem um banqueiro foi preso, apesar de quase todos eles serem uns vigaristas de nomeada. Os portugueses pagaram, pagam e nem bufam. Passam fome e todo o tipo de carências e depois ficam todos contentes e até comovidos e convencidos com as tretas populistas de Marcelo Rebelo de Sousa, o “Querido PR”. Que o povo é do melhor e do maior. Que os políticos, as elites, são compostas por uns safardanas… Pois. Marcelo, das elites, nado e criado nas elites… Oh porra! E agora sai-se com esta, a passar as mãos pelo pêlo do povoléu a fim de o adormecer ainda mais. Não é preciso, os portugueses já se parecem mais com zumbis que outra coisa. Além disso, a maior parte dos dias, até balem… Para manterem alguma comidinha nos pratos dos filhos e deles próprios. E é assim que as elites florescem à custa do que roubam aos outros, o povo, os que passam fome e são explorados até ao tutano. Marcelo não se quererá ir catar?

Adiante que já é tarde. Expresso Curto já a seguir. Uma senhora faz as honras de servir a cafeína. Diz o que diz e bem. Afinal isto é uma grande democracia onde há sopa, gravatas e tudo (dizia assim o saudoso Raul Solnado), só que então vivíamos no salazarismo fascista. Curioso: as elites de então recompuseram-se, alargaram-se… E agora são muitos mais a roubar o grande povo português. E a Justiça? Onde é que ela anda? Ah, pois, também é das elites!

Sorva o Expresso Curto. Já está com sorte. Não seja racista, a fome é negra (e bem) causada por indivíduos das elites multicolores e globalizantes. Uma máfia que os pariu e os mantém ativos. Pois. Bom dia. Boa semana – que já está a meio.

Mário Motta / PG

Bom dia, este é o seu Expresso Curto 

Helena Pereira – Expresso

Estreia no Euro2016: um empate com sabor a derrota

"Era tudo nosso. Era, mas não foi". As palavras são da Mariana Cabral, enviada do Expresso ao Euro2016, e resumem o sentimento de uma equipa e de um país colado à televisão. O empate (1-1) com a Islândia soube a derrota na estreia do Euro. Fernando Santos, o selecionador, desabafou ao fim de 90 minutos: “Este grupo não vai ser fácil, ao contrário do que as pessoas diziam".

Aqui, o Expresso analisa um a um os 11 jogadores que estiveram em campo. Como escrevia horas antes deste jogo o Pedro Candeias no Expresso, Cristiano Ronaldo é capaz de "cilindrar uma equipa inteira sozinho quando está naqueles dias. Hoje seria um bom dia para isso". Não foi. E como as atenções estavam centradas nele! O Observador meteu uma moedinha na máquina do tempo e imaginou como seria uma carta do avô Cristiano Ronaldo ao neto a recordar as suas aventuras nos campeonatos da Europa. Até o norte-americano Robert Sherman torceu por Portugal e gritou "Ronaldo". Quem? O embaixador dos EUA em Portugal, que fez um vídeo que vale a pena ver.

Os políticos também seguiram o jogo com atenção. António Costano ecrã gigante do Terreiro do Paço, Pedro Passos Coelho no pátio da sede do PSD. “É como na política: quando se perde, pensa-se no próximo jogo”, comentou no final.

O outro jogo de ontem: a Áustria venceu a Hungria por 2-0, liderando agora o grupo F. Mas calma, ainda não está nada perdido. Portugal joga ainda dia 18 (com a Áustria) e dia 22 (com a Hungria).

Ainda no Euro2016, a UEFA decidiu castigar a Rússia com adesqualificação do Euro 2016, caso aconteça um novo episódio de violência com os adeptos dentro de um estádio. Em causa estão os confrontos registados no último sábado, em Marselha. Este vídeomostra de que estamos a falar.

OUTRAS NOTÍCIAS

Hoje é dia de debate quinzenal no Parlamento e a situação daCaixa Geral de Depósitos vai ser de certeza tema. António Costa está sob fogo cruzado da esquerda e da direita. Literalmente. A esquerda não aceita despedimentos, a direita quer saber por que razão a recapitalização exige 4 mil milhões de euros e o que terá corrido mal. No Jornal de Notícias, Mariana Mortágua já avisava, porém, que o BE não iria entrar no jogo da direita de "semear desconfiança" em relação à CGD porque esse é "o jogo perigoso de quem sempre quis o fim da Caixa pública".

O Ministério das Finanças assumiu, por seu lado, que se houvecréditos concedidos pela Caixa Geral de Depósitos anteriormente à recapitalização de 2012 sem a devida avaliação, essa questão deve ser "sujeita às diligências entendidas por convenientes, nomeadamente no campo do apuramento de responsabilidade civil e criminal".

Este mês termina o último processo de reestruturação da Caixa Geral de Depósitos, que levou à dispensa de 750 trabalhadores, como contou a Rosa Pedroso Lima, e os sindicatos pediram uma reunião de urgência ao ministro das Finanças para saber o que está a ser negociado em Bruxelas.

António Costa tem a braços ainda a polémica sobre a emigração semelhante à que envolveu Passos há quatro anos. Veio corrigir com ironia as declarações feitas em Paris sobre os professores sem emprego que podem procurar novas oportunidades fora de Portugal e terminou com um “Eu também não apelei à emigração!”. O BE não gostou mas o Presidente da República veio em seu auxílio: "Eu, por acaso, estava lá [em Paris] quando isso foi dito e não atribuí o significado que foi atribuído".

Marcelo Rebelo de Sousa, que esteve três dias em Paris, já estava com saudades dos seus mergulhos na praia de Cascais. Ontem, foi lançado nas redes sociais um vídeo que mostrava um Presidente descontraído no areal e (mais uma vez) a tirar selfies. Esta quarta-feira, o eurodeputado do PSD, Paulo Rangel, escreve sobre Marcelo no Público, criticando a promulgação das 35 horas e questionando até que ponto deve ir a colaboração de um Presidente com o Governo.

Na Saúde, um relatório do Tribunal de Contas alerta para rutura da ADSE e acusa Governo de se apropriar de dinheiro da ADSE para "maquilhar" contas públicas na Madeira. O dinheiro terá de ser devolvido através do Serviço Nacional de Saúde. O relatório foi enviado para o Ministério Público, que poderá instaurar processos-crime.

Quanto aos excedentários do Estado, as novas regras implicarão cortes de 40% no salário se não forem recolocados, como noticia em manchete o Jornal de Negócios e o Público.

O Negócios avisa ainda que a partir de dia 1 de julho, as novas regras do IVA na restauração vão provocar um pequeno caos uma vez que haverá taxas diferentes consoante seja comida para ser consumida no restaurante, take away ou entregas ao domicílio. Empresários queixam-se, consumidores podem aproveitar desconto.

Entretanto, soube-se agora que o controlo efetivo da TAP(decorrente da privatização fechada pelo anterior Governo) esteve em mãos não europeias - só dia 1 de junho a TAP notificou a Autoridade Nacional de Aviação Civil de alterações substanciais à estrutura contratual. O regulador tem três meses para se pronunciar.

A União Europeia prepara resposta de emergência para cenário de vitória do brexit no Reino Unido, segundo manchete do DN.

Em Espanha, parece que o líder do PSOE, Pedro Sanchez, perdeu uma boa oportunidade de descolar no debate a quatro televisivo. Em jeito de antevisão, o El País chegou a titular "Todos contra Iglesias", mas "não foi tão simples", como analisa Jorge Almeida Fernandes no Público, enquanto o El Mundo destaca que se falou muito mas não se ficou ainda a saber quais são as alianças que o PSOE e o Ciudadanos estão dispostos a fazer para governar. As eleições em Espanha são já no dia 26.

Nos EUA, o Presidente Obama voltou a insistir que é preciso apertar a lei de maneira a tornar mais difícil o acesso dos norte-americanos a armas. E assim impedir que massacres como o de Orlando voltem a repetir-se. E não escondeu a sua indignação com as recentes declarações de Donald Trump, que já falou em expulsar todos os muçulmanos dos EUA, considerando-a uma proposta "perigosa". "Onde irá isto parar?", questiona-se Obama e questionamos nós. Entretanto, a mulher do atirador de Orlando, Omar Mateen, pode vir a ser acusada pela justiça, uma vez qu terá confessado às autoridades que sabia do ataque que o marido estava a planear e que o terá tentado demover.

26.000.000.000 doláres. É verdade, foi mesmo isto que a Microsoft pagou pela rede Linkedin. Valerá tanto assim?

FRASES

"Custa um bocadinho mas há que levantar a cabeça", Cristiano Ronaldo após empate Portugal-Islândia

“Acharíamos absurdo que no debate o PM falasse sobre a influência do batráquio na couve-flor, e não na Caixa Geral de Depósitos”, Deputado do PSD, Duarte Pacheco, sobre o debate quinzenal

“A estrada da Beira e a beira da estrada não são a mesma coisa, pois não? Pois... Eu também não apelei à emigração!”, António Costano Twitter sobre polémica acerca de declarações sobre emigração.

"Marcelo tem causado irritação no PSD e no CDS mas trouxe confiança ao contrário do antecessor", Carlos César, líder parlamentar do PS no jornal i

O QUE ANDO A LER

A uma semana do referendo no Reino Unido sobre a permanência ou não na União Europeia, o britânico The Guardian preparou uma série de trabalhos para perceber o que se passa e as consequências da vitória do 'sim' ou do 'não' desde explicadores sobre se a UE funciona de forma democrática ou um conjunto de cartas dirigidas ao Reino Unido e escritas por ex-líderes políticos como Yanis Varoufakis ou escritores Javier Marías ou Elena Ferrante.

Noutra área completamente diferente, deixo uma sugestão de leitura sobre bebés prematuros. "Viver a prematuridade" é um livro de Cláudia Pinto feito em articulação com o Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto, que ajuda os pais a lidar com o nascimento de um bebé prematuro através de testemunhos e das palavras de especialistas. O livro, patrocinado pela Associação Portuguesa de Apoio ao Bebé Prematuro - XXS, foi lançado primeiro no Porto e no início de junho em Lisboa.

Ah, já agora aqui ficam as melhores apps para iPhone escolhidas pela própria Apple. Algumas são grátis e ajudam-nos desde fazer vídeos a dicas de personal trainer. Experimente e veja se concorda com a escolha da própria marca.

Tenha uma boa quarta-feira! Tudo faremos para que ao longo do dia continue bem informado com o Expresso online, com o Expresso Diário às 18h e com o novo site dedicado ao Euro2016. Até já!

Sem comentários: