segunda-feira, 11 de julho de 2016

LUSOFONIA NA ÁSIA EXULTA E COMEMORA A VITÓRIA DE PORTUGAL NO EURO2016

PARTILHAR



Caravanas através de Díli celebram vitória portuguesa ao nascer do sol

Díli, 11 jun (Lusa) - O nascer do sol saudou hoje, em Díli, longas caravanas com milhares de timorenses e portugueses, em todo o tipo de veículos, aos gritos de "Portugal" e "Portu", em celebração da vitória portuguesa no Euro 2016.

Ainda não tinha soado o apito final e já se começavam a ouvir nas ruas as primeiras motas, num sinal idêntico ao que ocorreu depois dos outros jogos, com a emoção do grito ecoado em Timor-Leste, quando do golo de Éder, a ouvir-se depois em toda a cidade.

O jogo foi transmitido em direto para vários pontos da capital timorense, e também para vários pontos de todo o território, com as redes sociais a encherem-se de vídeos de celebrações em todo o país.

Uma multidão de bandeiras portuguesas, numa grande celebração e em jeito de apelo à seleção nacional: com tanto apoio, diziam hoje vários timorenses, se calhar a seleção nacional deveria vir a Timor-Leste mostrar a taça.

As celebrações prolongaram-se ao longo de todo o dia de domingo, numa festa que se alargou durante a madrugada - o jogo foi transmitido às 04:00 locais - com muitos a concentrarem-se no Centro de Convenções de Díli, para acompanhar o encontro.

A saída de Ronaldo provocou uma onda de tristeza e de preocupação entre os muitos timorenses ali presentes, à semelhança do que aconteceu com portugueses e timorenses que se reuniram em vários pontos da capital.

Mas a saída foi 'vingada' com uma vitória que, em Timor-Leste, está a ser vivida, nesta manhã de segunda-feira, como se fosse uma grande festa nacional.

ASP // MAG

Malaca gritou "sou português, sou campeão" já ao nascer do dia

Malaca, Malásia, 11 jul (Lusa) -- Mais de mil pessoas assistiram hoje em Malaca, na Malásia, à vitória de Portugal no Euro2016 e celebraram o título já perto do nascer do dia, pintados com as cores nacionais dos pés à cabeça e gritando: "Sou campeão".

O jogo começou quando eram três da madrugada em Malaca e a praça central do "portuguese settlement", um bairro onde vive uma comunidade de cerca de 2.200 pessoas descendentes dos descobridores portugueses que conquistaram a cidade em 1511, encheu-se com adeptos de Portugal pintados de verde e vermelho, 't-shirts' da seleção, "a cantar e a bater nas suas baterias", para verem o jogo num ecrã gigante, contou à Lusa Mónica Martins, da ONG portuguesa Associação Coração em Malaca e bolseira do Instituto Camões.

O bairro "apareceu em força" para ver a final do Euro2016 e apoiar Portugal, mas também aparecerem "pessoas de fora", com a praça cheia de carros e "mantas no chão", segundo o relato de Mónica Martins, que está a fazer trabalho com a comunidade dos "portugueses de Malaca".

"Contavam-se facilmente mais de um milhar de adeptos", afirmou, contando que no intervalo do jogo houve um concurso para eleger a melhor pintura corporal, prémio arrecadado por um "homem literalmente pintado dos pés à cabeça" com as cores de Portugal.

Mesmo com "a chuva a ameaçar e a trovoada constante, nada de arredar pé", contou.

No final, houve "festa total que nunca mais cessou", com os apoiantes malaios de Portugal, conhecidos como "portugueses de Malaca", "sempre a saltar, a gritar e com uma réplica da taça de campeão do mundo a saltar de mãos em mãos" e a gritarem: "Sou português, sou campeão português", segundo o relato de Mónica Martins.

Para esta portuguesa, foi um "orgulho" partilhar com os "irmãos em Malaca esta alegria indescritível e irrepetível".

O entusiasmo com a seleção portuguesa de futebol percorreu no domingo os territórios da Ásia por onde os portugueses passaram na expansão marítima num "fenómeno incrível" e "inexplicável", segundo disse à Lusa Joseph Sta Maria, lusodescendente de Malaca.

"Os portugueses estiveram nos nossos países centenas de anos e deixaram-nos há séculos e, ainda assim, as comunidades luso-asiáticas estão orgulhosas com o sucesso de Portugal no Euro 2016", afirmou.

"Isto é inexplicável e é difícil acreditar que este entusiasmo partilhado também está presente aqui na Ásia", acrescentou.

Joseph Sta Maria tem partilhado na sua página no Facebook imagens que lhe têm chegado de comunidades na Malásia, na Indonésia, no Sri Lanka ou na Índia a celebrar as sucessivas vitórias de Portugal no Euro 2016.

"Partilhamos com os portugueses a alegria e a esperança de que Portugal - para vocês, o vosso país e, para nós, a nossa cultura mãe - ganhe o campeonato europeu de futebol. Viva Portugal!", afirmou, ainda antes da vitória da seleção portuguesa.

MP // SB

Em Macau a "sensação fantástica" de vencer festejou-se quase de manhã

Macau, China, 11 jul (Lusa) - Muitos portugueses preparam-se para ir trabalhar quase sem ir à cama hoje em Macau, mas com a "sensação fantástica" de ter visto Portugal ser pela primeira vez campeão da Europa.

"É uma coisa incrível, há 60 anos que ando à espera de uma coisa destas", afirmou Jorge Senna Fernandes, abraçado ao amigo Virgílio Valente, que logo interveio para defender que é preciso " acreditar sempre".

"Viva Portugal", exclamou ainda, vestido a rigor, com a camisola das 'quinas', como as dezenas de portugueses que se juntaram num bar para assistir à final entre Portugal e a França, donde só saíram depois de a seleção erguer o tão desejado troféu.

No início do jogo (às três da madrugada em Macau), o ambiente era de festa, mas a saída inesperada de Cristiano Ronaldo veio colocar os nervos ainda mais à flor da pele, mas nem por isso cessaram as vozes de apoio que se ouviam como se das bancadas fossem: "Vamos lá Portugal".

O golo de Éder foi a explosão de alegria e de toda a tensão acumulada.

Eric Peres, a viver em Macau há 20 anos, também estava a torcer por Portugal "desde o princípio". "Segui as duas seleções porque os meus pais são franceses. Eu nasci em Portugal, nunca vivi em França, portanto, tenho mais afeto por Portugal", explicou à Lusa, já depois de ter falado com os pais, que "aceitaram a derrota".

"Não é isso que vai dividir a família", brincou. "Estou muito, muito feliz, é uma sensação inexplicável", afirmou Eric Peres, para quem Portugal reagiu "muito bem ao revés de perder Cristiano Ronaldo logo no início" e a conquista do campeonato europeu teve o treinador Fernando Santos como "grande obreiro".

Diogo Cernadas, 22 anos, também descreve a "sensação ótima" de vencer e de, "ainda por cima, estar no estrangeiro a festejar Portugal, acordado a qualquer hora". "É incrível", exclamou o jovem, considerando ser "outra" a emoção de acompanhar à distância.

"Estou cá com a família e com amigos de infância e é diferente. Mas posso dizer que vi Portugal campeão europeu e consegui acompanhar [a seleção] nos dois continentes", disse o jovem que viveu 18 anos em Macau, onde se encontra atualmente de férias, dado que está a estudar em Portugal.

Também para Kénia Nunes, de 17 anos, é uma "sensação fantástica" ver Portugal ser campeão europeu: "Só posso dizer 'au revoir' aos franceses, porque já foram".

Portugal sagrou-se hoje campeão da Europa de futebol pela primeira vez na sua história, ao bater na final a anfitriã França por 1-0, após prolongamento, em encontro disputado no Stade de France, em Saint-Denis.

Um golo do suplente Éder, aos 109 minutos, selou o triunfo da formação das 'quinas', que perdeu por lesão, aos 25, o 'capitão' Cristiano Ronaldo, substituído por Ricardo Quaresma, depois de uma falta dura de Dimitri Payet.

A seleção portuguesa tornou-se a segunda na história da competição a vencer a equipa da casa na final, 12 anos depois de ter perdido por 1-0 com a Grécia a do Euro2004, no Estádio da Luz, em Lisboa.

DM/FV // VM

Foto das comemorações em Díli / Ivo Gunner Tilman (Facebook)

PARTILHAR

Author: verified_user

0 comentários: