quarta-feira, 7 de setembro de 2016

O REGIME ANGOLANO AOS OLHOS E NA PROSA DE FERNANDO VUMBY



Fernando Vumby, opinião

LUVUALU  AINDA  NÃO  DEU CONTA   QUE  LHE FALTA  O MÍNIMO PARA  SABER FAZER FIGURA DE IDIOTA

Sempre que vejo na TV  os tais debates  com participação de Luvualu, fico com a sensação em estar num pequeno quimbo onde as pessoas têm como sua única forma de se divertirem assentarem-se á volta de uma fogueira e ouvirem o idiota mais popular da sanzala falar...

Mesmo sendo um pobre coitado vazio de inteligência Luvualu deveria poupar os telespetadores com os seus repugnantes vómitos  lançados sempre que abre a boca para tentar defender ate mesmo o indefensável.

Desde que foi nomeado para fazer uns biscates como boca alugada e mal paga pelo ditador angolano (JES) que este conterrâneo do meu pai, se tornou na vergonha de muitos jovens  que o conhecem desde os tempos da  sua passagem pela Rússia e Checoslováquia.

O Luvualu em tão pouco tempo já se tornou numa figura condenada ao ridículo sem o estatuto paradigmático reservado a outras figuras, como o matumbo ou o maluco, e assim lá vai  o coitado do jovem  se tornando a figura mais cómica do ano  2016.

Se ele depois de cada debate analisasse seriamente o tamanho das besteiras que  diz, acredito que chegaria à conclusão de  que há ocasiões na vida em que o silencio de uma pessoa o torna mais sábio, do que qualquer  palavra que poderia ser pronunciada.

Quase lagrimei ao ver  a forma tão brutal como o senhor João Soares o massacrou com argumentos  claros e convincentes á  semelhança daquele debate  com o  Rafael Marques onde no entretanto ficou claro pela primeira vez que Luvualu não passa mesmo de um sujeito de espírito curto e pouca inteligência para enfrentar pesos pesados daquele tamanho.

Sem qualquer ironia preferia ter ouvido  um Bento Kangamba falar, ao menos teria motivos para gargalhadas, do que o jovem Luvualu  que me entristece bastante por até agora não ter dado conta de que está a ser utilizado para fazer um papel muito sujo e triste.

Acredito mesmo que qualquer idiota ou parvalhão facilmente reconheceria que Luvualu na hora de se defender atabalhoadamente usa  quase sempre os mesmos ditados com  palavras diferentes e mistura pensamentos ao ponto de que nada faz sentido ou tem lógica, e fica-se numa figura patética, digno de pena.

Nada melhor para terminar este texto do que este conselho ao jovem Luvualu, com uma máxima de Abraham Lincoln que disse: " É melhor calar-se e deixar que as pessoas pensem que você é um idiota, do que falar e acabar com a dúvida "

ESTUDOS REVELAM DE QUE SOMOS GOVERNADOS POR PERVERSOS JÁ SEM CURA POSSÍVEL!

É nestas situações, diante de um amontoado de gente que em quase 40 anos já desenvolveram a sua própria personalidade distorcida, pensamentos destrutivos e maldosos, que vamos acabar por ser sempre os maus a seus olhos e as nossas boas ideias nunca serão aceites.

Só assim se percebe que todas as boas ideias e conselhos da oposição política parlamentar dadas de boa fé e claramente para bem de todos os angolanos inclusive deles próprios, acabam por não serem aceites, serem ignoradas e nem levadas á sério.

A nossa oposição política parlamentar precisa ter muito cuidado pois me parece com grandes dificuldades em dar conta de que estão diante de gente doente. Todo o perverso é um doente raramente com cura.

Como tudo indica quem dá as ordens é o dito senhor superior (JES), os outros, a maioria, são uma espécie de coitados que nos fazem lembrar as prostitutas sem possibilidades e nem tempo para escolherem os clientes porque na hora o que interessa e dá mais jeito é o dinheiro.

Sendo assim, temos que estar muito atentos e sermos cuidadosos porque as ordens dadas por JES - que têm sido cumpridas á risca ate agora - só estão a prejudicar o pais e está a deformar a qualidade de pensamento e reação dos angolanos. Ao ponto de o inaceitável estar a ser aceite e o perverso estar a ser concebido como normal. Poucos são os que já deram conta que JES tem negado inclusive as leis da própria natureza.

Atenção para este pormenor que devemos ter sempre em consideração, para um perverso do tamanho de JES todas as atitudes humanas nunca são sinceras. As suas fantasias e besteiras é que ele considera sempre como sinceras e boas para os angolanos.

Estamos perante uma situação de grande perigo e sem recuo, creio eu. Porque os sentimentos de destruição de JES/MPLA em relação aos seus opositores - através de pensamentos e actos de carácter maldoso - já se fazem sentir, cada vez mais nos seus efeitos negativos, para mal de Angola e dos angolanos.

Somem os escândalos, as mortes autorizadas, os roubos autorizados e autenticados com o carimbo da presidência, tida como o epicentro do crime e da corrupção, hoje aceites e concebidos por quase uma nação inteira como normal e já a fazer parte da nossa cultura.

Num país como nosso - onde estar vivo tornou-se uma questão de muita sorte - viver de ilusões passou a dar mais lucro do da realidade, quem é que está para perder tempo e fazer entender aos perversos que nos governam de que padecem de uma patologia e que devem seguir um tratamento para reeducação das suas mentes perversas?
  
AMBRÓSIO LUKOKI, UM BLEF DE MESTRE OU O PRÓXIMO A SER ENGOLIDO?

Lukoki, oxalá que não seja o próximo a ser engolido pela famosa doença prolongada...

Sempre que leio pronunciamentos do género dos que ele tem feito ultimamente os primeiros retratos que desfilam na minha memória são os daqueles camaradas de ontem que se rebolavam, se mexiam e se remexiam com tanta agilidade e alegria, mas logo que seus pontos de vista pessoal passaram a beliscar algumas sensibilidades pareceram terem cavado as suas próprias sepulturas.

Embora nem sempre mas de vez em quando você ouvia: "O camarada fulano foi evacuado para o país tal, no hospital tal, nunca se sabendo se de sua preferência ou não, e para se sacar informação aos seus familiares nem pó. O silêncio e evasivas era o mote.

Ainda assim, curiosamente, no meio de tanta confusão com versões baralhadas e contradizendo-se umas às outras, raramente não acabávamos por ouvir a mesma canção com um refrão já velho e famoso que dizia que “morreu de doença prolongada”.

PARA AMBRÓSIO LUKOKI CHEGOU A HORA DE DIZER VERDADES OU SAI MAIS UM BLEFE DE MESTRE?

Às vezes é preciso fazer as feridas sangrar. Acho que é mesmo obrigação moral e patriótica de quem ama o seu país e ainda tem voz para falar, consciente de que isso raramente não nos custe a vida, num país onde alguns já se calaram para sempre, outros se calam todos os dias por vontade própria, resignados ou por covardia - quando não aconselhados por quem depende a vida dos angolanos.

Saídas dessas de Ambrósio Lukoki também já ouvimos de tantos outros históricos do MPLA e não passaram de semi-tempestades num copo de água, alguns porque não lhes foi dado mais tempo de vida para contarem aos jovens de 20, 30 e 40 anos de idade tudo que sabem e das mentiras ardilosamente costuradas para iludir a boa fé de uma classe média nacional desinformada e aterrorizada por perversa lavagem cerebral da mídia tóxica estatal de cor vermelha, preta e amarela.

Mas ainda bem que hoje nasce uma juventude que já não precisa de motivações extras de que nunca se sabe se encomendadas ou fingidas, pois nestes kotas já nem dá para depositar muita confiança, visto a cara de um raramente não ser a do outro.

Para os jovens deixo um recado: mais vale confiarem mesmo só nas vossas armas, que são a vossa ideologia, os vossos argumentos, e nos vossos livros. Apesar do cerco estar infelizmente cada vez mais apertado no mundo académico e ser um crime estudar e ler livros que não sejam de mentiras fantasiadas em verdades.

Onde têm estado estes kotas, quando pessoas especialmente jovens são levados na calada das noites ou sob o sol brilhante. Levadas aos olhos da vizinhança impotente e sorrindo por falta de lágrimas para chorar, sem explicações nem motivos para tal? Para muitas vezes nunca mais serem vistos ou sabido o paradeiro dos seus corpos.

Nunca li nenhum pronunciamento deste Ambrósio Lukoki, de Lopes do Nascimento, ou de outra qualquer figura tida como histórica do MPLA, nem sei com que critério são ou foram condenados à morte, raptados, arguidos em julgamentos fantasiados, torturados nas cadeias, etc. Sem sequer uma simples mensagem de condolência ás imensas famílias angolanas enlutadas.

Para não falar de participação em funerais de vitimas de balas do regime, já que por decreto, pelo que me parece, estarem proibidos até mesmo como simples cidadãos, ou também país, filhos, tios, primos e avós de angolanos.

Oxalá que não seja mais uma vez a hipocrisia de sempre na grande escuridão chamada Angola, onde algumas pessoas ficam caladas de sempre, ou fingem sair da casca para simularem quererem falar de hoje como se ontem não tivesse acontecido nada de mau contra os angolanos nos cochichos com Agostinho Neto… das tantas conversas nunca publicadas.

Fórum Livre Opinião & Justiça - Fernando Vumby

Sem comentários: