Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

sábado, 11 de fevereiro de 2017

Moçambique. HAJA PACIÊNCIA!




@Verdade, Editorial

Definitivamente, o Governo moçambicano não é sério, pois, além de incompetente e medíocre, é deveras patético, para não falar do seu lado prepotente. Se porventura existisse o ranking dos piores e mais ridículos Governos do mundo, sem sombras de dúvidas a primeira posição seria ocupada por mérito próprio pelo Governo da Frelimo. Até porque reúne todos os requisitos necessários: é um Governo sem agenda, que vive medindo a paciência dos moçambicanos.

Ao longo do tempo, para além de demonstrar até à náuseas a mediocridade e falta de bom-senso por que ainda se rege, o Executivo de Filipe Nyusi tem vindo a insultar a inteligência do povo moçambicano.

Nestes últimos dias, como sabemos, devido à crise económica que está a empurrar o país para uma situação de caos, provocada pelo Governo da Frelimo, o Executivo de Nyusi anda desnorteado, chegando até a se reunir para tomar medidas insensatas e patéticas, tal como o incentivo a produção de nheué (tseke, como é conhecida na região sul do país), uma planta que surge em qualquer parte à semelhança de capim sem necessidade da sua plantação. Aliás, trata-se de uma planta abundante ao redor das casas de banhos, sobretudo aquelas construídas na parte exterior das residências nas zonas suburbanas e rurais.

Com tantos assuntos pertinentes por serem resolvidos, é um desperdício de tempo e de dinheiro do povo que o Presidente da República e os ministros sem reúna para debater tamanha mediocridade (Deviam ser presos por isso). É lamentável ver o Governo de turno a chover no molhado ao tentar de forma leviana incentivar a produção e o consumo de algo que tem sido o prato principal dos moçambicanos. Por outras palavras, enquanto o PR e os seus títeres incentivam o consumo de nheué (tseke), a população já ingeriu uma quantidade deveras considerável com Xima (agora está a arrotar, palitar e a bocejar), o que mostra à partida a falta de atenção crónica que provavelmente acompanha e fustiga sem dó nem piedade a Frelimo desde a Independência Nacional.

Há, sem dúvidas, muita hipocrisia que se esconde por detrás dessas muitas decisões do Governo moçambicano demoniacamente montadas. Portanto, é importante que o povo moçambicano não se perca nesta floresta de decisões que são claras manifestações de falta de bom-senso. É preciso que os moçambicanos não embarquem nessas políticas terroristas, e sejam capazes de saber discernir o trigo do joio, ou seja, a verdade da trapaça política desenhada para distraí-los dos reais problemas do país.

Sem comentários: