Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

sábado, 4 de março de 2017

FRENESIM DE ARTE E CULTURA INVADE MACAU


Macau acolhe exposição de 28 artistas lusófonas pelo Dia da Mulher

Macau, China, 04 mar (Lusa) -- Macau vai assinalar o Dia Internacional da Mulher, na próxima quarta-feira, com uma exposição que reúne 28 obras de 28 artistas femininas de países e territórios de língua oficial portuguesa.

Intitulada "28 + 28 - 28 artistas + 28 obras em feminino", a mostra junta trabalhos de artistas de Macau, Portugal, Moçambique, Brasil, Angola, Timor-Leste, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe e Cabo Verde.

A exposição -- organizada pelo espaço cultural Albergue SCM, sediado no histórico bairro de S. Lázaro, em coorganização com a Galeria 57 Macau - reúne trabalhos que "cobrem vários estilos e temas, testemunhando a relevância da contribuição das mulheres para a arte contemporânea".

Em comunicado, o Albergue SCM realça que os trabalhos são também "instrumentos para promover o diálogo entre artistas com diversas raízes culturais distintas".

A coletiva de pintura é composta por obras de Ana Jacinto Nunes, Graça Morais, Gracinda Candeias, Maria João Franco, Xaneca, Ana Silva, Carmen Gusmão, Fátima Pena, Joey Ho e Lai Sut Weng, entre outras.

O Abergue SCM destaca que o Dia Internacional da Mulher é uma ocasião para recordar que, "apesar de todos os avanços obtidos, a promoção da igualdade dos géneros e a eliminação de todas as formas de discriminação das mulheres é uma luta inacabada".

"28+28 -28 artistas + 28 obras em feminino", que inaugura na quarta-feira, vai estar patente ao público diariamente na Galeria A2 do Albergue SCM até 16 de abril. A entrada é livre.

DM // MP

Rota das Letras arranca hoje em Macau com dezenas de escritores de 25 países

Macau, China, 04 mar (Lusa) -- Mais de 70 convidados, incluindo mais de 50 escritores, de cerca de 25 países, marcam presença no Rota das Letras, que arranca hoje em Macau.

A sexta edição do Festival Literário de Macau -- Rota das Letras decorre até 19 de março e junta autores internacionais, do universo lusófono e chinês, num programa com mais de 100 eventos, incluindo exposições, filmes e concertos, e que além de sessões para o público em geral também vai às escolas.

Este ano o programa passa pela ficção chinesa contemporânea, bem como pelo romance histórico, poesia, ensaio e literatura infantil, entre outros.

A banda desenhada é um dos destaques, com uma sessão logo após a cerimónia de abertura e uma exposição do cartoonista português radicado em Macau Rodrigo de Matos.

Na literatura chinesa, o festival recebe pela primeira vez Lo Yi-Chin, importante autor de Taiwan, que venceu o 'Dream of Red Chamber', o maior prémio de literatura de Hong Kong.

EL (FV) // EL

Sem comentários: