sábado, 7 de abril de 2018

Partidos e coligações distribuídos pelo país no arranque da campanha

PARTILHAR

TIMOR-LESTE

Díli, 07 abr (Lusa) - Os quatro partidos e três das quatro coligações que concorrem às eleições legislativas antecipadas em Timor-Leste iniciam na terça-feira as suas ações de campanha com eventos de maior ou menor dimensão em praticamente todo o território, segundo o calendário oficial.

Apenas duas das forças políticas, a Aliança de Mudança para o Progresso (AMP) - a coligação que reúne as três forças atualmente na oposição (CNRT, PLP e KHUNTO) - e a Frente Revolucionária do Timor-Leste Independente (Fretilin) - que lidera a coligação de Governo - têm previstos comícios.

No caso da AMP - coligação liderada por Xanana Gusmão e Taur Matan Ruak -, a campanha arranca no campo de futebol de Ainaro, a cerca de 131 quilómetros a sul de Díli, enquanto a Fretilin -liderada pelo atual primeiro-ministro Mari Alktatiri - escolheu a vila de Manatuto, a cerca de 68 quilómetros de Díli.

Já o Partido Democrático (PD), parceiro da Fretilin no Governo, começa a sua campanha na Região Administrativa Especial de Oecusse-Ambeno, onde permanecerá os primeiros dois dias da campanha.

Na capital timorense, Díli, estarão duas das forças candidatas, o Partido Republicano (PR) que lança a sua campanha na sede do partido, e a coligação Movimento de Desenvolvimento Nacional (MDN) que se divide em ações de rua em cinco municípios.
O Movimento Social Democrata (MSD) fará campanha na vila de Liquiçá, a oeste da capital e a coligação Frente de Desenvolvimento Democrático (FDD) estará na ponta leste em Lautem.

Finalmente, o Partido Esperança da Pátria (PEP) só arranca a sua campanha oficialmente na quinta-feira, com uma ação em Bobonaro, capital do município de Maliana, a cerca de 120 quilómetros a sudoeste da capital.

As ações iniciam uma longa campanha que se prolonga um mês, até 09 de maio, antes de dois dias de reflexão e a votação. Os dias de reflexão são também em Timor-Leste uma oportunidade para os eleitores regressarem aos locais onde estão recenseados e onde têm de votar o que, dadas as condições de muitas estradas, pode implicar viagens demoradas.

Depois da maior campanha de sempre nas legislativas de 2017, com os principais partidos a gastarem milhões de dólares, esta campanha deverá ser mais reduzida, segundo fontes das principais forças políticas.

Tradicionalmente, a campanha aposta em comícios nas capitais de municípios e depois pequenas ações de rua, sendo que é a zona de Taci Tolo, na zona oeste da capital timorense, que serve sempre de 'régua' para medir a força da campanha.

O comício final da AMP decorre no dia 08 de maio, em Taci Tolo - a coligação estará na ilha de Ataúro no último dia -, enquanto o comício final da Fretilin decorre na mesma zona no último dia da campanha, a 09.

Globalmente estão previstos 37 comícios em todo o país.

Recorde-se que os timorenses vão eleger os 65 deputados da 5ª legislatura do Parlamento Nacional.

A previsão é de que o Secretariado Técnico de Administração Eleitoral divulgue o número e local dos centros de votação e estações de voto até à próxima quinta-feira.

O calendário define que o apuramento municipal e regional dos votos decorre até 14 de maio, com o apuramento final dos resultados - em que se clarificam os votos disputados - a decorrer até dia 17 seguinte.

A Comissão Nacional de Eleições tem depois três dias para elaborar a ata do apuramento dos resultados nacionais provisórios, abrindo-se até 22 de maio um período para eventual recurso dos resultados.

O Tribunal de Recurso terá depois de analisar eventuais recursos validando e proclamando os resultados até 27 de maio.

ASP // SR

LEIA MAIS EM TIMOR AGORA
PARTILHAR

Author: verified_user

0 comentários: