domingo, 13 de maio de 2018

PORTUGAL | 13 de Maio, a crença em Fátima e a "invasão" habitual

PARTILHAR

13 de Maio é tempo de Fátima, os crentes celebram a aparição afirmada pelas crianças que testemunharam ter visto a imagem e falado com a "senhora". Desde então que a Cova da Iria é lugar de adoração por todo o ano, atingindo o auge por este tempo. Muitos dias atrás os pagadores de promessas puseram-se a caminho, são peregrinos que distam do local centenas de quilómetros. Mas vão, sofrem, por vezes até encontram a morte em atropelamentos. Praticamente todos eles adquirem chagas e maleitas causadas pelo esforço de tantos dias de caminhada. Movem-se por uma coisa que é a fé. Acreditam e vão homenagear a "senhora" e agradecer-lhe ou pedir-lhe o milagre. Uma força quase sobrenatural os faz mover e superar todas as vicissitudes. (PG)

Fátima. Parques de estacionamento lotados e concerto de Andrea Bocelli esgotado

O tenor italiano sobe ao palco pelas 16h00 e tem como convidada a fadista Ana Moura

Ainda a manhã deste domingo, dia 13 de maio, está a começar e já todos os parques de estacionamento do Santuário de Fátima estão “completamente esgotados”.

A informação é dada à Renascença pelo capitão Carlos Canatário, da GNR de Tomar, que pede a todos os “condutores dos veículos ligeiros que tentem estacionar no limite exterior da Cova da Iria”.

“Relativamente aos condutores dos autocarros, [a GNR pede] que procurem a estrada do Moimento e a estrada de Fátima velha, porque vamos montar um dispositivo para permitir o parqueamento nesses dois locais”, acrescenta.

Também esgotada está a lotação para o recital de Andrea Bocelli em ação de graças pelo Centenário de Fátima. O tenor italiano atua às 16h00 e o espetáculo tem entrada livre.

A GNR pede a quem queira assistir ao concerto que chegue o mais cedo possível.

“Vão existir três zonas para entrada. Cada bilhete tem a sua cor, procurem as cores das entradas para facilitar o acesso”, apela o capitão Carlos Canatário.

Rádio Renascença


Cardeal John Tong. Numerosos santuários marianos na China lembram proteção da Virgem

O Presidente Marcelo Rebelo de Sousa e a chefe de Estado da Cróacia, Kolinda Grabar-Kitarovic, estiveram em Fátima.

O cardeal John Tong, bispo emérito de Hong Kong, afirmou, no Santuário de Fátima, que "os numerosos santuários marianos na China ajudam a relembrar constantemente ao povo" a proteção da Virgem.

"Na História da Igreja na China registam-se várias intervenções de Nossa Senhora. Por exemplo, em 1900, durante a perseguição dos Boxers, ocorreram duas aparições, uma em Pequim, onde a Virgem Maria apareceu acompanhada do arcanjo São Miguel e rodeada por uma multidão de anjos", refere o cardeal na homilia que escreveu, mas lida pelo reitor do santuário, padre Carlos Cabecinhas, na missa que hoje encerra o primeiro dia da peregrinação internacional aniversária ao Santuário de Fátima.

Concelebrada por 147 sacerdotes e 13 bispos, na eucaristia, após a procissão das velas, a que assistem o Presidente da República português, Marcelo Rebelo de Sousa, e a chefe de Estado da Cróacia, Kolinda Grabar-Kitarovic, o prelado aponta que "a segunda aparição ocorreu na cidade de Donglu, perto de Baoding, na província de Hebei, onde Maria apareceu no céu e, escutando as súplicas do povo, preservou a cidade da destruição".

"Uma aparição mais recente, pouco depois da perseguição da Revolução Cultural, ocorreu na Basílica de Sheshan, próximo de Xangai, quando, na primavera de 1980, os pescadores católicos lá voltaram encontraram as portas fechadas", continua o bispo emérito, para acrescentar: "Forçando-as, entraram e ajoelharam-se na igreja vazia, enquanto rezavam e cantavam durante longas horas, Nossa Senhora apareceu diante deles".

O cardeal John Tong salienta depois que "a causa das piores desgraças humanas é o pecado" e que Maria "sempre mostrou ter uma forte preocupação pelos pecadores", para sublinhar que "a presença do pecado, da dor e da morte no mundo persiste ainda".

Referindo-se à Mensagem de Fátima, lembra na homília que Maria "recomendou com insistência aos três videntes que rezassem e fizessem penitência pela conversão dos pecadores, pelo fim da guerra e pela paz no mundo, de forma a evitar tribulações para o mundo e perseguições para a Igreja".

Depois, John Tong recorda o exemplo dos videntes Francisco, Jacinta e Lúcia, os dois primeiros tornados santos há um ano em Fátima pelo papa Francisco, que aceitaram o convite da Virgem e "empenharam-se na oração, no sacrifício e no jejum", para perguntar aos milhares de fiéis presentes no recinto de oração qual a sua decisão.

O bispo emérito de Hong Kong dirige, ainda, uma palavra aos doentes, destacando que a Virgem "permanece junto de todos" para lhes "infundir coragem".

"A Mãe celeste está agora aqui connosco, está ao lado de todos vós, irmãos e irmãs doentes", lê-se na homilia, na qual o cardeal pede aos fiéis para renovarem a confiança na intercessão e no cuidado da Virgem, e que é a esperança que deve sempre sustentar as pessoas "nas dificuldades e no sofrimento".

Rádio Renascença | Fotos: 1 - DR; 2 -  Procissão das Velas. Ricardo Graça/Lusa
PARTILHAR

Author: verified_user

0 comentários: