domingo, 8 de julho de 2018

Cabo Verde | Voos da TACV cancelados "por mais alguns dias"

PARTILHAR

Atrasos "na reposição da frota" obrigam a companhia aérea Cabo Verde Airlines (TACV) a cancelar voos por tempo indeterminado.

A "Cabo Verde Airlines informa que no seguimento do atraso na reposição da frota, por razões de natureza técnico-operacional, estima-se que a irregularidade operacional possa prolongar-se por mais alguns dias", adiantou o Conselho de Administração da empresa em comunicado, na sexta-feira (06.07).

A companhia explicou que se mantém "o atraso na entrega do B767 em 'wet lease' (aluguer) e que tudo tem vindo a fazer para que se concretize o mais rapidamente possível". "No âmbito do reforço da sua frota conta ainda receber em breve mais uma aeronave, B757 D4-CCF, que se encontra no Reino Unido em fase de inspeção", acrescentou a empresa.

Segundo a administração, os atrasos "foram alheios aos TACV - Cabo Verde Airlines", tendo sido acionado "o plano operacional de proteção dos passageiros", que estão a ser encaminhados para outras companhias. 

O cancelamento de vários voos - com destino ao Brasil e Europa - prejudica centenas de passageiros.

Reformas necessárias

O Grupo de Apoio Orçamental (GAO) a Cabo Verde pediu rapidez na conclusão do processo de privatização da companhia aérea nacional, no final da primeira revisão anual ao país, que teve lugar na cidade da Praia, na sexta-feira. "Os parceiros enfatizam a importância de se concluir rapidamente as negociações em curso, especialmente em relação à companhia aérea nacional Cabo Verde Airlines", refere o comunicado final do encontro.

Cabo Verde tem em curso a reestruturação da companhia pública TACV com vista à sua privatização, que segundo o Governo deverá acontecer até final do ano.

O vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças, Olavo Correia, presente na conferência de imprensa, não se comprometeram com uma data para a conclusão da venda da companhia pública. "A TACV devia ter sido privatizada ontem. O processo já começou, com a avaliação da empresa, e temos um cronograma para podermos receber a proposta técnica e financeira. Estamos a trabalhar para que o mais rapidamente possível tenhamos concluído este processo", frisou.

O responsável sublinha que a privatização é um processo urgente pelos custos que a empresa representa para o orçamento de Estado, mas ressalvou que não depende apenas do Governo, mas do mercado e dos investidores.

Regresso à normalidade sem data prevista

A TACV lamenta os "incómodos causados" e manifesta-se confiante que "dentro de dias" a operação estará "estabilizada" e de regresso "à normalidade".

A Cabo Verde Airlines está em processo de reestruturação, no âmbito do contrato de gestão assinado com o grupo islandês Loftleidir Icelandic - Icelandair Group.

A empresa começou a operar com dois aviões da Icelandair em novembro e, aquando da assinatura do acordo de gestão, em agosto, o Governo cabo-verdiano tinha anunciado que a frota da empresa teria mais três aviões até final deste ano.

Com um passivo acumulado de mais de 100 milhões de euros, a companhia, que mudou a sua base operacional da capital cabo-verdiana para a ilha do Sal, assegura agora apenas as ligações internacionais depois de ter sido cedido à Binter Cabo Verde o mercado doméstico.

A empresa tinha inicialmente anunciado o cancelamento dos voos entre 2 e 4 de julho.

Agência Lusa, nn | em Deutsche Welle
PARTILHAR

Author: verified_user

0 comentários: