segunda-feira, 2 de julho de 2018

Obrador vence eleições. México vira à Esquerda quase 90 anos depois

PARTILHAR

Andrés Manuel López Obrador prometeu acabar com a corrupção e a impunidade no país e anunciou mesmo que vai dobrar as pensões para idosos logo no primeiro dia do executivo.

Foi presidente da câmara da cidade do México e consegue levar o país a virar à Esquerda depois de quase 90 anos de governos de Direita. Andrés Manuel López Obrador, também conhecido pelas iniciais AMLO, chega à presidência depois de ter sido candidato às eleições de 2006 e 2012. À terceira foi mesmo de vez, depois de se apresentar como um candidato antissistema.

No discurso de vitória, Obrador relembrou que vai combater a corrupção e reduzir a violência. Fala mesmo de "mudanças de fundo".

"As mudanças serão profundas, mas ocorrerão de acordo com a ordem legal estabelecida. Haverá liberdade comercial, liberdade de expressão, de associação e de crenças. Em matéria económica, será respeitada a autonomia do Banco do México. O novo governo manterá disciplina financeira e fiscal e serão reconhecidos os compromissos contraídos com empresas e bancos nacionais e estrangeiros", garantiu.

Durante a campanha o líder do MORENA, o Movimento Regeneração Nacional, prometeu reduzir gastos do Estado, aumentar o investimento e garante que vai colocar Donald Trump no seu lugar.

Prometeu vender o avião presidencial, transformar a residência oficial do presidente num centro cultural, assegurou uma redução dos salários dos altos funcionários da administração e anunciou esta madrugada uma medida inesperada: vai dobrar as pensões para idosos logo no primeiro dia do executivo.

De acordo com o Instituto Nacional Eleitoral Andrés Obrador conseguiu cerca de 53% dos votos, mas as contagens ainda decorrem. Ainda assim, é uma vitória histórica. Obrador fica bem à frente dos candidatos José Antonio Meade, do Partido Revolucionário Institucional, de Ricardo Anaya, da coligação do Partido Ação Nacional e do Partido da Revolução Democrática, e Jaime Rodriguez, o independente conhecido como 'El Bronco'.

As eleições ficam marcadas pelo assassinato de uma ativista política do Partido dos Trabalhadores, pouco antes da abertura das urnas.

A campanha eleitoral foi considerada por vários analistas como a mais violenta da história do país, marcada pela morte de pelo menos 145 políticos ou ativistas e 48 candidatos.

O Partido Revolucionário Institucional (PRI) chegou ao poder em 1929 e só em 2000 perdeu as eleições para o Partido da Ação Nacional (PAN), também de Direita. Em 2012, o PRI reconquistou o lugar, com Enrique Peña Nieto como presidente. Agora, é a vez do MORENA, com López Obrador aos comandos.

Sara de Melo Rocha | TSF | Foto: Carlos Jasso/Reuters
PARTILHAR

Author: verified_user

0 comentários: