terça-feira, 29 de outubro de 2013

Portugal: MÁRIO SOARES CRITICA MACHETE E GASTOS DO GOVERNO

 


"Há inúmeros delinquentes" que "andam por aí impunemente" - Mário Soares
 
Económico
 
Antigo Presidente da República diz que quando forem conhecidos os gastos do Governo, a revolta "pode levar a uma revolução".
 
Num artigo de opinião publicado hoje no Diário de Notícias, Mário Soares também criticou aqueles que atacam as decisões do Tribunal Constitucional (TC) e notou o silêncio do actual Presidente da República.

"O actual Governo nunca diz o que faz nem explica as condições e sarilhos em que está metido. Depois de destruir o Estado, anda desde Janeiro a dizer que vai apresentar um guião sobre a reforma do Estado, que Paulo Portas nunca fez nem fará. Também não explica o que se passa com o erário público e os dinheiros que o Governo gasta com os membros deste Governo que são 54 (ministros e secretários de Estado), chefes de gabinete e inúmeros assessores. Para quê? Os automóveis que todos têm e as viagens que fazem permanentemente com os seus amigos e assessores. Nada do que gastam é conhecido. Mas um dia será", afirma Mário Soares.

E quando se souber, "a revolta que existe hoje já praticamente todos os dias pode levar a uma revolução", continua o ex-presidente da República, questionando se Cavaco Silva tem essa noção.

Para Mário Soares, é imperativo defender a Constituição e salvar a democracia e entende que é por isso que "todos os portugueses sérios gritam: Governo rua". Já o actual Presidente da República mantém o silêncio: "nunca se viu nada assim", conclui Mário Soares.

O antigo líder do PS aponta ainda o dedo à presidente do FMI, Christine Lagarde, e à Comissão Europeia, dirigida por Durão Barroso, por aquilo que considera uma intromissão no TC.

O histórico socialista também afirma, no seu artigo, que a justiça portuguesa "está pelas ruas da amargura" e que "há inúmeros delinquentes" que "andam por aí impunemente".

E aqui acrescenta: "alguns até parece que foram escolhidos por isso mesmo, como é o caso do actual ministro dos Negócios Estrangeiros, Rui Machete".

Mário Soares refere que quando conheceu Machete, este parecia "uma pessoa séria". "Mas deixou de o ser, como se sabe agora", conclui.
 
*Subtítulo retirado do texto em destaque PG

Leia mais em Económico
 

Sem comentários: