sábado, 28 de dezembro de 2013

EMBAIXADORA DO ZIMBABUÉ PEDE ASILO POLÍTICO À AUSTRÁLIA

 


Sydney, 27 dez (Lusa) -- A embaixadora do Zimbabué na Austrália desertou e pediu asilo político, afirmando recear pela sua segurança caso regresse ao seu país quando a sua colocação terminar, na próxima semana, foi hoje noticiado.
 
Jacqueline Zwambila criticou o regime "ilegítimo" do Presidente do seu país, Robert Mugabe, afirmando que saiu da residência oficial a quatro dias de deixar o cargo, mas não tem qualquer intenção de utilizar o seu bilhete de avião em classe executiva para regressar a casa, noticiou o jornal Canberra Times.
 
"Eu não me sinto segura em regressar ao Zimbabué, de todo", afirmou Zwambila, que está alinhada com o Movimento pela Mudança Democrática (MDC, na sigla em inglês), da oposição.
 
"Desde que as eleições de 31 de julho foram tomadas pelo atual governo -- que é ilegítimo -- eu sabia que este era o fim da linha. Fim da linha para o povo do Zimbabué... e para pessoas como eu, que foram indicadas pelo ex-primeiro ministro Morgan Tsvangirai", disse a embaixadora, num vídeo divulgado na página online do jornal.
 
O líder da oposição no Zimbabué, Tsvangirai, partilhou o poder com Mugabe até às eleições, controlando o ministério das Finanças depois de ter formado um governo de união, em 2009, após uma violenta disputa eleitoral.
 
O acordo de partilha de poder terminou quando o Presidente veterano ganhou as eleições de 31 de julho com 61 por cento dos votos, contra os 34 por cento do seu rival, numa votação questionada por observadores internacionais.
 
"Fizeram-me tantas coisas desde que estou na Austrália, as campanhas sujas e ameaças... Não há qualquer hipótese de me sentir segura estando no Zimbabué ou regressando ao Zimbabué", disse Zwambila, cuja missão termina na terça-feira.
 
"O meu objetivo principal como embaixadora era reatar com o governo australiano após dez anos de hostilidade entre os governos" dos dois países, referiu.
 
JH // JMR - Lusa
 

Sem comentários: