sábado, 28 de dezembro de 2013

NÚMERO DE MORTOS PELAS CHUVAS NO SUDESTE DO BRASIL ELEVA-SE A 45

 


As autoridades brasileiras elevaram hoje para 45 o número de mortos causados pelas chuvas das últimas semanas no sudeste do Brasil, fixando em sete o número de desaparecidos.
 
A Defesa Civil dos Estados de Minas Gerais e de Espírito Santo confirmou hoje a morte de quatro pessoas em diferentes acidentes ocorridos entre quinta e sexta-feira na sequência das chuvas.
 
Duas das vítimas, homens com 36 e 66 anos, morreram afogadas depois de serem arrastadas por uma enchente em Virgolâdia (Minas Gerais), uma das mais afetadas e que na sexta-feira foi sobrevoada pela Presidente do Brasil, Dilma Rousseff.
 
Também na sexta-feira, um jovem de 17 anos morreu quando a sua mota colidiu contra uma árvore derrubada pelo vendaval em Minas Gerais. As autoridades registaram ainda a morte de uma pessoa não identificada na localidade de Pancas.
 
Seis pessoas permanecem desaparecidas em Baixo Guandú e uma outra na região de Minas Gerais, enquanto quase 70 mil pessoas se encontram desalojadas.
 
O período de maior incidência de chuvas no sudeste brasileiro é entre dezembro e março, durante o verão.
 
Notícias ao Minuto com Lusa
 
Dilma aprova novas regras de recursos para desastres naturais
 
A Presidente brasileira, Dilma Rousseff, definiu hoje novas medidas que permitem a rápida transferência de dinheiro federal para os estados e municípios afetados por desastres naturais, que causaram 39 mortos e a retirada de 50 mil pessoas.
 
As novas regras provisórias, divulgadas hoje no Diário Oficial da União, simplificam o envio de recursos para as autoridades estaduais e municipais, a quem é permitido fazer obras de reconstrução e de prevenção de desastres naturais sem aprovação prévia dos projetos.
 
legislação brasileira confere poderes ao Governo federal para efetuar a transferência de recursos e fiscalizar o cumprimento das atividades desenvolvidas pelos estados e municípios, que, por sua vez, devem prestar contas das atividades de prevenção, de resposta e de recuperação perante aquele órgão.
 
Na terça-feira, Dilma Rousseff sobrevoou as várias cidades inundadas e, no final da visita, prometeu uma intervenção multissetorial dos ministérios do seu Governo no auxílio às vítimas.
 
A governante brasileira disse que a prioridade do Governo é resgatar as centenas de famílias que ficaram isoladas em cidades alagadas devido à subida do caudal dos rios, bem como oferecer ajuda humanitária àqueles que perderam as suas casas.
 
O Governo também enviou cobertores e produtos de higiene pessoal, medicamentos, produtos químicos para a purificação de água e várias toneladas de alimentos doados por cidadãos.
 
Nas últimas horas, as chuvas tornaram-se menos intensas, mas as equipas de resgate continuam a busca de possíveis vítimas em estados completamente inundados, onde centenas de pessoas têm casas em perigo de desabar.
 
Notícias ao Minuto com Lusa
 

Sem comentários: