domingo, 23 de fevereiro de 2014

Angola: ZÂMBIA FAZ LIGAÇÃO À LINHA FÉRREA DO LUAU




A Zâmbia anunciou para breve o início da construção de uma linha ferroviária que vai ligar Chingola, no coração da antiga província de Copperbelt, à fronteira de Angola, onde se junta ao Caminho-de-Ferro de Benguela.

A linha ferroviária vai ser construída numa parceria entre os sul-africanos da Grindrod e os zambianos da Northwest Rail Company e tem duas fases: uma que se estende desde Chingola até às minas de Kansanshi, Lumwana e Kalumbila (uma via de 290 quilómetros) e outra que vai ligar à linha de Benguela na fronteira da Zâmbia com Angola, perto de Jimbe. 

Outra ligação está a ser feita com Moçambique. Quando o projecto estiver concluído, a zona austral do continente vai passar a ter uma linha ferroviária a ligar o Oceano Atlântico (Angola) ao Índico (Moçambique). O objectivo é abrir um corredor directo até ao Lobito, para permitir que a Zâmbia, um país sem costa marítima, importe produtos como o petróleo, directamente de Angola.

 O Presidente da Zâmbia anunciou recentemente a disponibilização de 120 milhões de dólares à empresa pública do sector para dinamizar o processo de reabilitação das linhas ferroviárias do país, iniciado em Setembro passado. 

O dinheiro é parte de 750 milhões negociados em 2012. Do lado angolano, o comboio chega ao Luau, fronteira com a República Democrática do Congo, desde Dezembro passado.

No processo de reabilitação e modernização do Caminho-de-Ferro de Benguela foram reabilitados 1.344 quilómetros do canal ferroviário do Lobito ao Luau, construídas 107 estações e 35 pontes. 

A circulação dos comboios de passageiros e mercadorias começa em Abril. O restabelecimento do CFB até à fronteira Leste volta a dar ao Porto do Lobito o seu estatuto de porta de entrada e saída de mercadorias e passageiros do interior do país e, também, dos países vizinhos sem acesso ao mar. 

O Caminho-de-Ferro de Benguela está também a preparar a introdução de locomotivas para explorar o turismo. Ao longo dos 1.344 quilómetros de percurso existe um património natural que pode ser explorado para a indústria turística.  O ministro dos Transportes, Augusto Tomás, anunciou para breve a conclusão dos programas para ligar Angola à RDC, à Zâmbia e à Namíbia. A próxima acção está virada para a ligação das três linhas férreas de Angola: Benguela, Moçâmedes e Luanda.

Jornal de Angola – foto Daniel Benjamim

Sem comentários: