domingo, 23 de fevereiro de 2014

Governo moçambicano diz que adesão representa "mais-valia" para a CPLP




Maputo, 21 fev (Lusa) - A capacidade de investimento da Guiné Equatorial será uma "mais-valia" para as economias da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, considerou hoje o ministro das Finanças moçambicano, Manuel Chang, em declarações à agência Lusa.

"Na linha do que temos defendido, achamos que os países da CPLP devem fazer investimentos nas economias dos outros Estados-membros, e a Guiné Equatorial tem a capacidade de fazer isso, portanto, será uma mais-valia para a nossa comunidade, sobretudo no setor das finanças", disse Manuel Chang.

Falando à margem da III Reunião dos Ministros das Finanças da CPLP, realizada hoje, em Maputo, Manuel Chang comentava a possibilidade de a Guiné Equatorial vir a integrar o espaço da comunidade lusófona enquanto membro de pleno direito.

Na quinta-feira, o Conselho de Ministros da organização lusófona decidiu recomendar a adesão da Guiné Equatorial à CPLP, após o país africano ter aprovado, há quatro dias, uma moratória que suspende a pena de morte.

A decisão final sobre a adesão daquele país à comunidade deverá ser tomada na próxima cimeira de chefes de Estado da CPLP, que irá realizar em Díli, em julho.

EMYP // VM

Sem comentários: