segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Moçambique – Eleições: Nyusi presidente, Dhlakama de “folga”, Simango com Função Pública



Nyusi quer ser Presidente de todos

Filipe Jacinto Nyusi, candidato da Frelimo à Presidência da República, comprometeu-se a trabalhar pelo desenvolvimento da província de Sofala e a ser Presidente de todos os moçambicanos, caso vença as eleições de 15 de Outubro.

Falando fim-de-semana último, Nyusi prometeu, por outro lado, requalificar a cidade da Beira, porque, segundo as suas palavras, apresenta estradas cansadas, prédios velhos, dificuldades no abastecimento de água à população e com o sistema de transporte público deficitário.

No mesmo comício, Filipe Nyusi agradeceu à população da cidade da Beira e da província de Sofala pelo espírito de tolerância, reconciliação e respeito pela diferença. “Esta é a tradição da Beira. Notei isso também em Marínguè, Chibabava, Cheringoma e em toda a província.


Dhlakama não sai à rua

O candidato da Renamo às presidenciais de 15 de Outubro, Afonso Dhlakama, não vai sair à rua hoje e amanhã, retomando as suas iniciativas de campanha eleitoral na quarta-feira, num comício popular a ter lugar em local ainda por indicar.

Dados recolhidos pela nossa Reportagem de uma fonte autorizada indicam que o líder da Renamo vai repousar durante o dia de hoje e amanhã reunir-se-á com os responsáveis das organizações sociais do seu partido. Entretanto, Dhlakama afirmou sábado último em Quelimane que se vencer as eleições de 15 de Outubro vai implantar um sistema de governação democrática que sirva de inspiração para o Continente Africano. Falando num comício, o líder da Renamo disse que na sua governação vai privilegiar, entre outros, a mecanização agrícola, criação de postos de emprego, saúde e educação.


Simango promete Função Pública mais profissional

O candidato do Movimento Democrático de Moçambique (MDM) ao cargo de Presidente da República, Daviz Simango, prometeu este sábado aos eleitores dos distritos de Chibabava e Gorongosa, na província de Sofala, a despartidarização da Função Pública, de modo a torná-la cada vez mais profissional e assim servir melhor o cidadão.

Falando em comícios populares naqueles dois pontos de Sofala, Simango disse ainda que caso vença as eleições de 15 de Outubro próximo vai, por outro lado, priorizar uma agricultura mecanizada. Segundo ele, não se justifica que as comunidades residentes na província de Sofala enfrentem, ciclicamente, bolsas de fome, pois a província possui todas as condições necessárias para uma produção de consumo e comercial.

*Notícias (mz) - *Título PG

Sem comentários: