Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

segunda-feira, 6 de junho de 2016

PARTIDO SOCIALISTA ESTÁ A REGRESSAR ÀS ORIGENS E À HONESTIDADE SOCIALISTA



Há os que consideram estar a ocorrer uma viragem à esquerda por parte do PS (pois está) e provavelmente lhes desagrada, pelo congresso terminado ontem ficou o esclarecimento de que aos presentes, maioritariamente, agradou este regresso às origens e à honestidade de realmente se designar de “socialista”. Partidos há muitos… seus palermas!

Este assunto, o congresso PS, serve a abertura do Expresso Curto trazido em bandeja laranja-passos por Pedro Candeias. Naturalmente que Pedro quase escalpeliza a dita viragem à esquerda do PS. Falta ali o que falta e não é para menos nem para mais. Na sua visão refere-se a Francisco Assis como um fulano da “direita da esquerda” no PS. Nem pó! - senhor dr. Pedro. Assis é a direita da direita infiltrada no PS. Dar-se-ia bem com o salazarismo “democrático” de Pedro Passos Coelho. Assis errou no tiro, devia ter ingressado no CDS ou no PSD deste Passos e companhia. Democráticos eles são, desde que consigam fazer vencer os seus pontos de vista e as suas aspirações e convicções ao serviço dos que detêm o vil metal. Eles são da realeza e o resto, os que se destinam ao esclavagismo, são os plebeus - criados para todo o serviço. Democratazinhos, pois. Moderados, pois.

O Partido Socialista tem andado pelas ruas dos vendilhões do templo, dos vigaristas que se dizem socialistas mas não passam de chuchalistas (a chuchar com os eleitores). Presentemente está a regressar às origens, ao socialismo democrático para quem as pessoas contam e devem usufruir de todos os direitos consagrados constitucionalmente, em prol de uma cidadania equilibrada, equitativa, transparente e justa. Passos, Cristas e os Assis, no PS, são contra, querem pena livre para massacrar os reformados, os carenciados e os mais carenciados. Querem salários baixos, menos feriados, mais horas de trabalho… Volta Salazar, estás perdoado! Quase se pode ouvir segredarem entre eles.

Claro que não se pode esperar uma revolução vinda do PS, não está nos seus genes, mas podemos assim futurar que o bom filho à casa torna… pela mão de Costa e dos realmente socialistas ou sociais-democratas (se quiserem). Social-democracia a que Passos e a sua pandilha são avessos. E Assis, já agora.

Apesar desses ditos democratas que nos tramam, tenha um bom dia, uma boa semana.

Mário Motta / Redação PG

Bom dia, este é o seu Expresso Curto 

Pedro Candeias – Expresso

PS: À esquerda, volver

As generalizações podem ser abusivas porque confundem a floresta com a árvore, o cardume com o peixe, a matilha com o lobo, e por aí fora, sem mais delongas, já perceberam onde se quer chegar - generalizar é tomar o todo pela parte e isso pode ser injusto para o generalizado e perigoso para o generalizador. E tanto os transmontanos como o José Cid, por exemplo, sabem o que isto é e o que isto faz, sobretudo nos tempos em que vivemos, em que se é uma coisa ou o seu contrário, em que se está a favor ou contra, em que se é preto ou se é branco - é assim ou assado, assim-assim jamais. Mas as generalizações também são boas precisamente porque nos permitem arrumar ideias em gavetas diferentes, para distinguirmos isto daquilo e assim construírmos as nossas representações mentais sobre o que vemos e ouvimos.

E eu, que não vi nem ouvi tudo, sou do tempo em que o que se discutia nos Congressos do Partido Socialista era se este estava suficientemente à esquerda para ser considerado de esquerda. E esse tempo não é assim há tanto tempo, mas há um tempinho atrás, e como diz o Vítor Matos no Observador, os tempos são outros e o fato do crítico passou do guarda-roupa de Manuel Alegre para o de Francisco Assis: da esquerda da esquerda, para a direita da esquerda.

Agora sim, a generalização: o PS guinou à esquerda, como o PSD guinara à direita.

No Expresso, isto está explícito nas “prioridades de Costa”, especialmente naquela parte do discurso em que o Primeiro Ministro disse que os “socialistas e sociais-democratas” têm de “dizer basta desta deriva neoliberal”. “Não podemos estar na UE atentos e obrigados à espera, nem aceitar a submissão, somos iguais entre iguais”, atirou Costa. Em causa, estão as possíveis sanções da UE a Portugal por falhar as metas do défice: “Isso será injusto, imoral e incompreensível”, porque mesmo “nas piores previsões, este ficará abaixo dos 3%”. Nas sete frases marcantes do PM também coube um elogio a Tiago Brandão Rodrigues, ministro da Educação, que “tem coragem para enfrentar os lóbis”. Lá fora, horas antes, decorrera uma manifestação dos colégios privados.

Nos outros jornais, diz-se que o PS se redescobriu e que António Costa acenou a Catarina Martins e despachou a europa neoliberal. Nos outros partidos, que o PS está refém da esquerda radical e que há um quê de Syriza nos socialistas.

Em suma, na generalidade toda a gente generalizou: à esquerda, volver no PS. Acabou-se o centrão.

OUTRAS NOTÍCIAS

O dia em que Frederico Carvalhão Gil disse à Audi que não podia ir àquela festa porque estaria ausente de Portugal, foi o dia em que tudo mudou para ele: a PJ juntou as pistas todas e confirmou que ele, um espião do SIS, afinal andava a vender segredos aos russos. Carvalhão Gil foi detido em Roma há duas semanas, ontem aterrou em Lisboa, e amanhã ou depois será ouvido pelos procuradores Vítor Magalhães e João Melo no DCIAP. Esta operação da PJ chama-se Top Secret e gravita à volta de um tipo que faz do segredo o seu negócio - embora a sua conta no Facebook pareça dizer o contrário.

Contrariamente ao que se esperava, o Partido Democrático não perdeu tudo para o Movimento Cinco Estrelas nas eleições autárquicas de Itália. O PD, do PM Matteo Renzi, ganhou em Milão, onde está o dinheiro, e vai passar à segunda volta em Roma, onde está o simbolismo. Isto quer dizer que a Aliança Nacional e aLiga Norte, ambos de extrema-direita, ficaram abaixo das expectativas na capital da moda. Voltando a Renzi, ele já antes dissera que este escrutínio contava pouco, que o que interessava era o referendo que acontece em outubro, no qual os italianos vão decidir-se (ou não) por uma reforma constitucional que reverta os poderes para o Senado. Se sair derrotado, demitir-se-á e antecipará o calendário das eleições em dois anos.

Dois mil e trezentos euros era o valor do Rendimento Básico Incondicional promovido por um grupo de suíços que levaram esta ideia a um referendo. Foram derrotados. 79% dos elegíveis disseram que não estavam para aí virados, e a AFP traça o perfil psicológico de um país que não aceita receber sem trabalhar, que recebe em média cinco mil e quatrocentos euros por mês, que via nesta proposta um convite à preguiça e ao laxismo - e ao aumento de impostos para cobrir o subsídio. Ficou tudo na mesma.

O que mudará no Perú é o rosto do novo presidente - nas eleições que decorrerm naquele país da América do Sul, Pedro Pablo Kuczynski leva uma vantagem magra sobre Keiko Fujimori, filha do antigo ditador. As contas ainda não estão concluídas, mas PPK tem 50,49% dos votos.

De uma mulher derrotada para uma vencedora, Hillary Clliton está a uma nesga de garantir a nomeação democrata para as eleições presidenciais nos EUA. Clinton conquistou as primárias emPorto Rico, está a 28 delegados de distância da meta, mas Bernie Sanders não desarma: "Se me perguntarem pela Clinton Foudation, acho que deveo ficar preocupado quando uma secretária de estado é casada com um homem cuja fundação é financiada por governos estrangeiros, governos esses que são ditaduras."

E agora, os jornais:

No Público a manchete são os "175 mil alunos que inauguram o novo modelo de avaliação do ensino básico". Na primeira página também está o congresso do PS e a autorização de Bruxelas para a capitalização da CGD.

No Diário de Notícias noticia-se que o Ministério da Justiça "lançou um concurso para reforçar a vigilância e a segurança privada de todos os seus organismos a preços abaixo dos recomendados pela Autoridade das Condições do Trabalho".

No Jornal de Notícias destacam-se o perigo e o volume de negócios com os suplementos nutricionais e para a perda de peso (€75 milhões) e a venda da Comporta que tem o dedo de Ricciardi.

No Correio da Manhã a história do dia é a do "negócio de Damásio com Veiga" que terá apanhado "ex-governantes". As fotografias dos antigos ministros Miguel Relvas e Sérgio Monteiro aparecem ao lado de Veiga e Damásio.

No jornal i surge Pedro Nuno Santos, tingido a cor de rosa, com a frase: "Se a geringonça correr bem, o PS nunca mais dependerá da direita para governar."


FRASES

"Esta política do afeto funciona mas tem um prazo curto de vida. Já começa a abrandar. Se o Presidente da República é um senhor muito simpático que vai dar beijinhos a toda a gente que encontra e tirar aquelas fotografias com telemóveis... como é que aquilo se chama? [...] Sim, tirar selfies com toda a gente... As pessoas gostam, acham o homem simpático... E [Marcelo] não lhes traz nada: dá-lhes dois dedos de conversa e uma famazita local e mais nada, acabou."Vasco Pulido Valente sobre Marcelo Rebelo de Sousa, ementrevista ao Expresso.

"O fascismo tem mesmo origem no marxismo" José Rodrigues dos Santos, aka The Portuguese Dan Brown, responde ao historiadorAntónio Araújo. Está aqui.

"Ao fim de vários meses, não há críticos dentro do PS, os seguristas acabaram... Todos se renderam ao poder." Marques Mendes naSIC.

"Bom... Eu não quero parecer arrongante, mas eu acho que se pode conseguir tudo na vida, não há impossíveis" Novak Djokovic, acabadinho de vencer pela primeira vez o torneio Roland Garros, sobre a possibilidade de conquistar todos os torneios Grand Slamnesta época.

O QUE ANDO A LER

Antes de Maradona, de Magic Johnson, de Michael Jordan, de Ayrton Senna, de Tiger Woods, de Zidane, de Cristiano Ronaldo, de Lionel Messi - antes de todos estes grandes houve um grande original que foi maior do que qualquer um dos que lhe seguiram. Era o "The Greatest" e deixou-nos este fim de semana e o que fiz nestes dois dias foi ler tudo o que consegui do que me foi aparecendo sobre o mais carismático e magnético atleta de sempre. Descobri, por exemplo, que ele gostava de magia e que chegou a contratar um mágico pessoal. Descobri, também, como é que ele ganhou no antigo Zaire diante de George Foreman, quando tudo indicava que iria perder. E redescobri as frases que todos já ouvimos dele, o lado humano e humanitário,político e intervencionistadivertido e eloquente. E, claro, revi osmelhores KO da carreira.

Agora que este curto está quase arrumado, deixo-vos esta sugestão:siga o Europeu no Expresso em euro2016.expresso.pt,um site que criámos especialmente para esta competição e no qual vai encontrar praticamente tudo: crónicas, equipas, estrelas, seleccionadores,histórias do baú de memóriasentrevistasvídeosreportagens, notícias e até ficção.

Posto isto, tenha um bom dia.

Sem comentários: