quarta-feira, 27 de julho de 2016

Fraude. Governo de São Tomé e Príncipe afirma a diplomatas que eleições foram transparentes

PARTILHAR


O Governo são-tomense chamou hoje os representantes das missões diplomáticas no arquipélago para informar que a primeira volta das eleições presidenciais foi "pacífica, ordeira e transparente", pedindo aos diplomatas para transmitirem isso mesmo aos seus "respetivos estados e governos".

"O Governo reitera a sua profunda convicção de que a primeira volta da eleição presidencial realizada no domingo, 17 de julho, foi ordeira, pacífica e transparente e, em consequência tomou todas as disposições necessárias para a realização da segunda volta", disse o Ministro dos Negócios Estrangeiros e Comunidade (MNEC), Salvador dos Ramos.

"Ficou demonstrado que não houve quaisquer ilícitos no processo suscetíveis de pôr em causa o resultado da eleição, não se constataram quaisquer protestos depositados nas mesas de voto reclamando o que quer que seja", acrescentou o governante, durante um encontro no MNEC de pouco menos de 20 minutos, em que participaram os embaixadores de Portugal, Brasil e Taiwan, seis encarregados de negócios e o representante do sistema das Nações Unidas.

O executivo são-tomense agradeceu também "aos estados, governos, organizações internacionais e toda a comunidade internacional" por todo o apoio e colaboração no processo eleitoral.

O Governo apelou ainda ao povo são-tomense a "manter a calma e a tranquilidade que sempre caracterizaram os são-tomenses em ocasiões semelhantes e reitera a sua convicção de que no dia 07 de agosto o país elegerá o seu novo Presidente da República que, como previsto na lei, tomará posse no dia 03 de setembro".

O Tribunal Constitucional decidiu que Evaristo Carvalho, candidato apoiado pelo partido no Governo, a Ação Democrática Independente (ADI), concorrerá sozinho à segunda volta das presidenciais, depois de o atual Presidente, Manuel Pinto da Costa, que ficou em segundo lugar na primeira volta, ter desistido.

Pinto da Costa considerou que "participar num processo eleitoral tão viciado seria caucioná-lo".

Os resultados provisórios divulgados logo após as eleições de 17 de julho deram a vitória a Evaristo Carvalho à primeira volta, mas os resultados oficiais ditaram a necessidade de uma segunda volta.

Segundo esses resultados, Evaristo Carvalho obteve 34.522 votos, o que corresponde a 49,88% dos votos expressos, seguido de Manuel Pinto da Costa com 17.188 votos (24,83%) e Maria das Neves com 16.828 (24,31%).

Num universo de 111.222 votantes, foram às urnas 71.524 eleitores, com uma abstenção de 35,69%.

Relativamente aos outros dois candidatos, Manuel do Rosário obteve 478 votos (0,69%) e Hélder Barros 194 (0,28%).

MYB // VM – Lusa

PARTILHAR

Author: verified_user

0 comentários: