sexta-feira, 15 de agosto de 2014

DESBRAVANDO A LÓGICA COM SENTIDO DE VIDA! – III



Martinho Júnior, Luanda (ler textos anteriores)

8 – “O que nos une é a ideologia, não a geografia”, dizia António Agostinho Neto em relação à solidariedade da Revolução Cubana para com o movimento de libertação em África, precisamente nos momentos mais críticos da luta contra o colonialismo e o “apartheid”.

Cuba apoiou como nenhum outro estado os projectos do Programa Mínimo e do Programa Maior do MPLA e isso deve-se em grande parte à clarividência do Comandante Fidel.

O Comandante sabe avaliar a imensa ferida que foi abrindo no âmago da humanidade um capitalismo selvagem que provocou duas guerras mundiais e deu sequência à segunda delas, insensível aos desequilíbrios de toda a ordem que seu próprio processo foi causando, com um enorme cortejo de conflitos sangrentos e inúteis.

A ferida deu azo à voracidade do próprio homem e do planeta e por isso Cuba assumiu o repto da luta contra o colonialismo e contra o “apartheid”, como assumiu a luta contra o analfabetismo e contra a doença, como assumiu sua própria Revolução e sua própria Resistência.

O Comandante Fidel soube com a Revolução Cubana não excluir os outros oprimidos da Terra e por via do internacionalismo agiu ali onde a ferida era maior e mais profunda!

A advocacia dos oprimidos da Terra não se ficou pelas palavras: há toda uma obra ciclópica que nas conjunturas e condições mais adversas se foram forjando e o que Cuba em termos de contribuição tem dado a África, não tem paralelo.
  
9 – É com os sentidos de África que estou desperto neste 88º aniversário do Comandante Fidel, pois quando a situação global se torna cada vez mais degradante, o Comandante é sempre um recurso pela sua lucidez, pela sua capacidade de sondar o futuro e pelos seus múltiplos ensinamentos.

Muitos dos jovens que acompanharam a trajectória dos seus pais na FNLA, por via do COMIRA tiveram acesso à educação por meio de bolsas de estudo postas à disposição por Cuba, entre os primeiros que logo depois da independência tiveram oportunidade de as beneficiar.

Para o Comandante Fidel o resgate de África passava também pela luta contra o subdesenvolvimento e Cuba não se coibiu de dar a sua contribuição nesse sentido, com particular empenho na educação e na saúde.

Nas políticas de paz que Angola tem encetado, Cuba é um acervo inestimável de inteligência e sensibilidade no âmbito da lógica com sentido de vida.

Esse é também um legado de Fidel. 

Foto: Neto e Fidel

Sem comentários:

DESTAQUE

Neoliberais e ultradireita: o tronco único

# Publicado em português do Brasil Por trás das diferenças aparentes, as correntes se encontram. Partiram da reação oligárquica ao comunismo...