quinta-feira, 27 de fevereiro de 2020

Missionárias católicas temem pela vida após assalto à sua congregação em Luanda


Um centro católico das irmãs catequistas franciscanas foi assaltado e vandalizado por jovens armados que levaram vários bens, entre computadores e telemóveis.

Uma responsável do centro disse à Lusa que teme "pela vida". "A gente confia, porque a primeira coisa é a vida, mas a gente sente essa preocupação de insegurança. Nós aqui no bairro não temos segurança e, então, pode vir a acontecer uma coisa pior" desabafou a missionária Veronique Luachime.

Em declarações à emissora Católica de Angola, deu conta que o assalto ocorreu, na madrugada de quarta-feira, na instituição localizada no bairro Belo Monte, município de Cacuaco, norte de Luanda.

Segundo a missionária, que manifesta preocupação com a insegurança na localidade, os assaltantes quebraram uma das janelas para terem acesso ao interior e levaram uma impressora de entre outros haveres.

Há pouco mais de um mês, a Casa das Irmãs Beneditinas, centro católico também do município do Cacuaco, foi também assaltado por homens armados, que na ocasião algemaram e fizeram refém um padre.

Angola regista em média 150 crimes por dia, maioritariamente contra a propriedade, tem uma taxa média anual de 191,8 crimes por cada 100.000 habitantes e os índices criminais do país registaram um aumento de 24% nos últimos cinco anos.

Os dados foram apresentados na semana passada pela polícia nacional, no âmbito das celebrações do seu 44º aniversário que se assinala em 28 de fevereiro.

Plataforma | Lusa

Sem comentários: