quinta-feira, 16 de julho de 2020

MEMÓRIA QUATRO, DUM SEMPRE ACTUAL


Há 15 anos no nº 423 do “ACTUAL” propiciou-se dar a conhecer um pequeno inventário das “Private Military Companies” (Companhias Militares Privadas), com base numa publicação do “Le Monde Diplomatique”. (https://mondediplo.com/2004/11/08iraq).

Além dessa fonte há muitas outras ainda disponíveis que relacionam o mercenarismo moderno que compõe as “Private Military Companies” no Iraque em 2005, com capacidade de intervenção onde quer que seja, praticamente em todo o globo!... (https://corpwatch.org/article/us-state-department-list-security-companies-doing-business-iraq).

Decerto que quando produziu o livro “A doutrina do choque, o auge d capitalismo do desastre” (http://www.ihu.unisinos.br/176-noticias/noticias-2007/562784-a-doutrina-do-choque-o-tema-do-novo-livro-da-ativista-naomi-klein), Naomi Klein levou em consideração essas inúmeras fontes, muitas delas públicas, que na época davam corpo à doutrina elaborada pelo duo  Donald Rumsfeld e Almirante Arthur Cebrowski, uma doutrina que se vai repercutindo até hoje!... (https://www.voltairenet.org/article210301.html).

Os mercenários foram tendo um papel essencial na elaboração das teias de caos, de terrorismo e de desagregação um pouco por todo o mundo, tendo crescido entre os dispositivos que regem a IIIª Guerra Mundial contra o sul global, de há 75 anos a esta parte! (https://frenteantiimperialista.org/blog/2020/03/18/de-donde-parte-del-caos-y-el-terrorismo-impuesto-por-la-iii-guerra-mundial/).

África não escapou a essa teia, que se tem desenvolvido desde o início do século XXI… o caso de Uganda é ilustrativo, mas eles estão espalhados praticamente por todo continente e não só nas áreas em conflito! (https://mondediplo.com/2012/05/05ugandahttps://www.dw.com/pt-002/cresce-o-n%C3%BAmero-de-mercen%C3%A1rios-em-%C3%A1frica/a-47992753https://observador.pt/2019/05/11/mercenarios-portugueses-pelo-mundo-da-siria-e-libia-ao-iraque-quanto-ganham-e-quem-os-contrata/).

Angola um dia derrotou mercenários que faziam parte nos dispositivos da invasão em 1975, quando se proclamou a independência… mais tarde, na segunda metade da década de 90 d secul0 XX, acabou por os utilizar!... (https://paginaglobal.blogspot.com/2018/01/mercenarios-ate-quando-i.htmlhttp://pagina--um.blogspot.com/2010/11/mercenarios-ate-quando-ii.html).




Muito recentemente, conforme a fracassada “Operação Gedeón” (https://www.youtube.com/watch?v=ASLB9KyRDQMhttps://www.bbc.com/portuguese/brasil-52467168) os mercenários têm vindo a actuar contra a Venezuela Bolivariana, tirando partido das redes paramilitares colombianas (https://www.insightcrime.org/colombia-organized-crime-news/auc-profile/https://www.globalsecurity.org/military/world/para/auc.htm), das redes de tráfico de droga na região do Caribe (https://fort-russ.com/2020/07/major-venezuela-shoots-down-us-plane-used-for-drug-trafficking/?utm_medium=ppc&utm_source=push&utm_campaign=push%notificationss&utm_content=varies) e dos dispositivos disseminados pelos falcões que têm como eixo principal de actuação o SouthCommand. (https://www.southcom.mil/).

Na América Latina as “Private Military Companies” têm hoje muito a ver com tráfico de droga, com os paramilitares colombianos e com o carácter do poder do próprio presidente colombiano, Ivan Duque (https://www.cartamaior.com.br/?/Editoria/Politica/Carta-aberta-ao-Presidente-da-Colombia-Ivan-Duque-Marquez/4/45922https://orinocotribune.com/president-maduro-colombias-duque-himself-supervises-mercenary-training-for-new-attacks-against-venezuela/https://vermelho.org.br/2018/09/19/apesar-do-acordo-de-paz-a-guerra-nao-acabou-na-colombia/), a mescla de interesses que têm tentado impulsionar o cavalo-de-troia Juan Guaidó para o poder em Caracas, sob o guarda-chuva da administração de Donald Trump!

No Médio Oriente Alargado, a presença de forças militares e mercenários dos Estados Unidos foi-se disseminando, tendo como uma das “referências” o Afeganistão, precisamente outro dos maiores produtores de droga, a par da Colômbia, outro pântano de caos, de terrorismo, de desagregação e de impunidade! (https://www.voltairenet.org/article210487.htmlhttps://civiliancontractors.wordpress.com/tag/armorgroup-murders/).

O crime invadiu a superestrutura do poder na Colômbia e no Afeganistão, mas invadiu sobretudo o poder nos Estados Unidos tornando o império da hegemonia unipolar numa tão tóxica quão tentacular barbaridade para toda a humanidade, em pleno século XXI, está aí a IIIª Guerra Mundial! (https://frenteantiimperialista.org/blog/2020/01/11/ahi-esta-la-iii-guerra-mundial/). (MJ)

Luanda, 9 de Julho de 2020

Imagens:
01- Captura, julgamento e sentença dos mercenários que fizeram parte da Operação Iafeature, da CIA contra Angola – texto num jorna britânico – https://www.executedtoday.com/2010/07/10/1976-costas-georgiou-colonel-callan-mercenaries-angola/;
02- Employees of Executive Outcomes in the presence of the commanders of the Angolan army demonstrate the weapons seized from the rebels. Camp on the Rio Longa – https://www.arrse.co.uk/community/threads/colonel-callan-aka-costas-georgiou-executed-40-years-ago-in-angola.257572/page-5;
03- Mercenários do ArmorGuard Security no Médio Oriente Alargado, assassinar em privado – https://civiliancontractors.wordpress.com/tag/armorgroup-murders/;
04- Venezuela já capturou 30 mercenários da Silvercorp USA tentando invadir o país – https://horadopovo.com.br/venezuela-ja-capturou-30-mercenarios-da-silvercorp-usa-tentando-invadir-o-pais/;
05- Organização de mercenários que tentou invadir a Venezuela atuou no Brasil em 2018 – https://www.geonoticias.com.br/organizacao-de-mercenarios-que-tentou-invadir-a-venezuela-atuou-no-brasil-em-2018/.


MALHAS QUE A GLOBALIZAÇÃO TECE

O IMPÉRIO E A NEBULOSA DE “PMCS” ESPALHADAS PELO MUNDO

Tirando partido dos impactos de sua acção no Iraque, o “lobby” do petróleo, que saiu profundamente reforçado das últimas eleições nos Estados Unidos, tem vindo a accionar os dispositivos de fortalecimento das “Private Military Companies” por todo o Globo, cobrindo o espaço que durante a Guerra Fria era de total competência das Forças Armadas e dos Serviços de Inteligência Norte Americanos.

É a seguinte a nebulosa de “Private Military Companies” Norte Americanas segundo o “Le Monde Diplomatique”, que actuam no Iraque :

- “Airscan International” , transportadora aérea e vigilância aérea, presente também em Angola e na Colômbia.

- “Braddock”, especializada em “marketing” e em comunicações.

- “Combat Support Associates”, (“CSA”), com Quartel General em Camp Doha, no Koweit.

- “Crucible”, especializada em motores de aviões civis e militares.

- “Custer Battles”, com um importante contrato em Bagdad para proteger o Aeroporto Internacional.

- “Dyn Corp”, que possui 90.000 profissionais espelhados por todo o Mundo.

- “International Charter Inc”, (“ICI”) que apoia as operações de paz, possui formação em desminagem e em luta contra o terrorismo.

- “KBR – Halliburton” , muito presente no Iraque , onde está implicada em escândalos de sobrefacturação; a “Halliburton” está presente em Angola.

- “Military Professional Resources Incorporated”, (“MPRI”), com largos milhares de profissionais espalhados pelo Mundo; o seu director executivo, o ex General Carl Vuono, foi o Chefe de Estado Maior do Exército Norte Americano durante as operações no Panamá e no Golfo; presente em Angola, onde faz vigilância em  Cabinda; presente em quase todos os Países do Golfo da Guiné, tendo saída a sua posição reforçada, com o desastre dos “Búfalos”, que pretendiam dar um golpe de estado na Guiné Equatorial.

- “Northrop Grumman Corporation”, essencialmente presente na Colômbia.

- “Vinell Corp”, com interesses muito fortes na Arábia Saudita.

- “Wackenhut”, baseada em Copenhaga (Dinamarca), faz parte do “Grupo 4 Falk”.

A Gã Bretanha por seu turno, “está no mercado”, no quadro das estratégicas Hegemónicas da Globalização com as:

- “Alfa Cinco”, agora com sede em Hong kong e presente em Angola.

- “Control Risks”, especializada em segurança marítima.

- “Genrie”, que faz a protecção dos grupos ingleses em Bassorá.

- “Global Risk”, especializada na análise de riscos a nível Internacional, presente no Iraque e empenhada na protecção das famílias reais no Médio Oriente.

- “Presidium International Corporation”, grupo anglo-italiano, baseado nas Seychelles.

- “Sandline International”, sociedade Internacional de especialistas militares, implicada na utilização de mercenários (Serra Leoa e Libéria).


A tudo isso haveria a acrescentar o facto da África do Sul possuir por seu turno outra nebulosa de “Private Military Companies”, algumas delas com história na utilização de mercenários, apresentando em relação a todos os demais competidores um “record” que por si só significa um risco permanente para a África Sub Sahariana: é o País com o “ratio” entre os efectivos das “PMCs” e os da Polícia mais favoráveis às primeiras, que qualquer outro à escala Global, ou seja, 250.000 efectivos das “PMCs” contra 95.000 Polícias.

Algumas das “PMCs” Sul Africanas estão também presentes no Iraque.

Em Angola também existem algumas, bem conhecidas e identificadas.


As “PMCs”, um produto desta Globalização neoliberal, pelo menos aquelas que maiores rendimentos dão e melhor cobertura fazem, são autênticos apêndices da aristocracia financeira mundial, que permitem “aliviar a carga” das acções de algumas Forças Armadas de Potências, a começar pela Potência Hegemónica, aumentando o espectro da manipulação, mesmo que as suas bandeiras sejam a de Países de segunda ordem, como a África do Sul, ou mesmo Angola.

Desse modo as Forças Armadas de Potências como os Estados Unidos, ou a Grã Bretanha, vão organizando os sues pontos de apoio, desde os rastreios previstos nos segredos do “ECHELON” até às discretas “Forward Operation Locations” que pouco a pouco vão ocupando as mais solitárias ilhas do Globo.

Sem comentários:

DESTAQUE

Neoliberais e ultradireita: o tronco único

# Publicado em português do Brasil Por trás das diferenças aparentes, as correntes se encontram. Partiram da reação oligárquica ao comunismo...