quarta-feira, 12 de setembro de 2012

ABRAÇAR SANTA FILOMENA, RESPEITAR CABO-VERDIANOS EM PORTUGAL

 

Amadora - Portugal
 
Liberal (cv)
 
EMANUEL BARBOSA ACUSA EMBAIXADA E GOVERNO DE NÃO PROTEGEREM CONCIDADÃOS DO BAIRRO DE SANTA FILOMENA
 
Num acto solidário ocorrido no passado domingo, o dirigente e deputado do MpD não poupou as autoridades cabo-verdianas que acusou de “assobiarem” para o lado e considerou desumana a atitude da Câmara Municipal da Amadora, dirigida pelo PS, um “partido irmão” do PAICV
 
Praia, 11 de Setembro 2012 - O Coordenador do Movimento para a Democracia em Portugal (MpD-PT), Emanuel Barbosa, teceu fortes críticas às autoridades cabo-verdianas e à Câmara Municipal da Amadora pela forma como têm lidado com a questão do desmantelamento do Bairro de Santa Filomena.
 
Emanuel Barbosa que é também deputado do MpD pelo Círculo Eleitoral da Europa falava, no último domingo, num acto da iniciativa denominada “Abraçar Santa Filomena” que visava solidarizar-se com os patrícios cabo-verdianos contra “os fortes indícios de atropelo dos direitos humanos que é o Direito à Habitação” de que estão a ser alvo neste momento com o desmantelamento daquele bairro.
 
“Não podíamos estar em mais desacordo com a forma como a Câmara Municipal da Amadora tem conduzido o processo de desmantelamento do Bairro de Santa Filomena, com uma insensibilidade de ferir a alma de qualquer humano”, enfatizou Emanuel Barbosa.
 
De acordo com Emanuel Barbosa, o MpD não podia ficar indiferente ao drama dos moradores de Santa Filomena, assim como, segundo disse, não podia juntar-se àqueles, citando neste caso, a Embaixada de Cabo Verde e o Governo cabo-verdiano que, na sua opinião, decidiram “assobiar” para o lado e fazer de conta que não têm nada a ver com o problema
 
Aquele coordenador do MpD-PT disse ter participar no acto com o objectivo de defender os seus patrícios e para dar o seu contributo para que se encontre uma solução razoável para todas as partes envolvidas neste processo.
 
Barbosa considera incompreensível a pretensão da Câmara Municipal da Amadora de proceder ao realojamento das pessoas com base num recenseamento que tem mais de 20 anos.
 
Aquele deputado do MpD considera uma aberração a proposta da Câmara da Amadora que vai no sentido de as pessoas que não estão abrangidas no recenseamento de 1992, procurarem casas no mercado livre de arrendamento, numa altura em que grande parte se encontre desempregada.
 
Emanuel Barbosa acusa Também a Câmara Municipal da Amadora de ter ainda falhado a vários níveis e, sobretudo, ao não montar um esquema de fiscalização eficiente que impedisse à instalação de novos moradores após o recenseamento de 1992.
 
Para além de moradores do bairro, participaram na iniciativa “Abraçar Santa Filomena” lançada pelo MpD-PT, cabo-verdianos e portugueses que quiseram solidarizar-se com as pessoas que vão ser desalojadas sem lhes serem apresentadas alternativas condignas.
 
No acto esteve ainda presente uma delegação do partido português MPT - Partido da Terra, encabeçada pelo seu presidente, John Rosas Baker.
 
Houve ainda atividades culturais abrilhantadas pelo artista Mika Kutuvelada.
 
*Título PG
 

Sem comentários:

DESTAQUE

Chega "esconde" propósitos fascistas do seu programa

Chega "eclipsa" destruição da escola pública e do SNS do seu programa Quase dois anos depois de Ventura ter anunciado a "cl...

Mais lidas da semana