Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

quarta-feira, 25 de maio de 2016

BRASIL DE TEMER NA IMPRENSA INTERNACIONAL



Alberto Castro*, Londres

De olho no Brasil, imprensa internacional assinala falta de mulheres e de negros no Governo de num país em que ambos segmentos constituem a maioria da população. Democracia? Muito menos a racial! Eis reações de alguns meios internacionais para lá do The New York Times, The Guardian e El Pais, todos jornais de referencia mundial que tiveram editoriais e artigos de opinião contra a ruptura institucional no Brasil, mesmo tecendo criticas ao governo de Dilma.

Em um dia apenas (17 de abril), uma turba de deputados infantilizados, corruptos em grande porcentagem, de mentalidade provinciana na opinião do ex-ministro Joaquim Barbosa, deitaram na lama a imagem para lá do futebol, samba, violência, prostituição e carnaval que Lula da Silva e os Governos do PT souberam construir no cenário politico mundial.

De país respeitado e visto como pronto para finalmente decolar e ombrear com os melhores do mundo, aspirando por um lugar no Conselho de Segurança das ONU devido ao papel jogado, com voz própria, no cenário geopolítico mundial na última década, o Brasil voltou a normalidade de um país que não deve ser levado com seriedade, como teria dito De Gaulle, sendo caracterizado por alguns meios de informação mundial como a maior das repúblicas bananeiras, ao lado do Paraguai e Honduras.

O Washington Post titula:''Governo do presidente interino do Brasil completamente masculino''. Escreve o jornal que todos os 21 membros membros do governo de Temer se parecem com ele: homens brancos. O WP lembra também que Dilma começou seu segundo mandato no ano passado com apenas seis mulheres num governo de 39 ministros e que este só tinha uma pessoa negra, a ex-ministra Nilma Gomes.

https://www.washingtonpost.com/politics/congress/the-latest-brazil-police-presidents-supporters-clash/2016/05/11/56c40b2c-17db-11e6-971a-dadf9ab18869_story.html

A radio NPR (EUA) fala da ausência de mulheres no governo e lembra que nao haver uma pessoa de cor num países onde a uma larga porção da população é de origem africana. A matéria recupera um tweet de Ivan Martins que diz: ''Nem mulheres nem negros no ministério Temer. Uma casa grande patriarcal 100%. A Ponte para o Passado já se abriu e por ela avançamos.''

http://www.npr.org/sections/parallels/2016/05/12/477528379/brazils-new-cabinet-has-no-women-drawing-social-media-backlash

O site de noticias norte-americano Daily Beast diz em subtitulo que o processo de impeachment de Dilma acabou, mas a forma como se avizinha o futuro parece mau para a maioria composta por mulheres e negros. Escreve ainda que o governo de Temer parece mais do que nunca com um de um país do sul da Europa ao invés da grande, social e racialmente diversa republica latino-americana que é o Brasil.
 
http://www.thedailybeast.com/articles/2016/05/12/dumping-dilma-brazil-gets-all-male-all-white-government.html

A versão inglesa da rede multi-estatal latino-americana TeleSur titula que ''novo governo do Brasil imposto por golpe é todo ele composto por homens brancos''. Recupera uma analise da BBC que refere que a composição do governo reflete o perfil do Senado que retirou Dilma. Dos seus 81 dos membros apenas seis são negros (pardos), 11 mulheres das quais uma apenas é negra. Não tem um único preto no Senado brasileiro. A TeleSur lembra ainda que o Câmara dos Deputados que votou a favor do impeachment de Dilma na turbulenta sessão de 17 de Abril é igualmente dominada por homens brancos. 
 
A Agencia France Press titula: ''Mulheres brasileiras furiosas com governo só de homens''. A matéria da agencia relata também a ausência de negros e lembra que Dilma, sem ser especialmente uma feminista, aguentou fortemente o mundo da politica brasileira dominado por homens e lembra que durante seu consulado foram passadas leis marcantes como as que protegem as mulheres contra a violência e de imposição de cotas para estudantes negros nas universidades. Cita ainda Nilma Gomes, a primeira mulher negra reitora de uma universidade federal antes de se tornar ministra para os Direitos Humanos e Igualdade Racial. 
 
https://www.capitalfm.co.ke/news/2016/05/brazilian-women-angry-male-new-government/

A ''Fortune'' também destaca em titulo a composição totalmente masculina do novo governo brasileiro e vê a seleção de Temer como um passo atrás em termos de igualdade de gênero. Aponta que a homogeneidade do governo também não reflete a composição racial do país que é o um dos mais racialmente variados do mundo, sendo a maioria os que se identificam como não-brancos.   

''Um governo de homens'', escreve o jornal português Público, que vê na nova administração brasileira uma ruptura total com os governos do PT e uma ironia, perante o processo de impeachment à primeira Presidente mulher do país.


''Cheira a véspera de ditadura''. É assim que o colunista Daniel Oliveira, do também português  Expresso, se refere ao novo governo. Lembrando uma cancão de Caetano Veloso, ''A escravidão permanecerá por muito tempo como a característica nacional do Brasil'', ele argumenta que ignorar o fato é ignorar uma parte do combate político que se trava no Brasil. 

Sublinha ainda que ''um suspeito no Lava-Jato não eleito pelo voto popular substituiu uma das poucas políticas brasileiras que, apesar da sua atual impopularidade, não é suspeita de corrupção e que foi, num sistema presidencialista, eleita pela maioria dos brasileiros.''
O jornal argentino Pagina12 titula: ''Homens, brancos e ricos''  e destaca no executivo interino a presença de Blairo Maggi, um dos maiores cultivadores de soja de todo o mundo. Salienta também a presença de Alexandre de Moraes como ministro de justiça, ele que ficou conhecido por reprimir manifestações em São Paulo, enquanto secretario de Justiça do governo do Estado. Para além de notar a ausência de negros e de mulheres, o jornal traça um perfil de vários outros componentes dos ''salvadores da pátria'' deixa muito a desejar na matéria do jornal.  
  
- Em Afropress 15.05.2016

*Alberto Castro é correspondente de Afropress em Londres e colabora em Página Global

1 comentário:

Anónimo disse...

Um pouco do BRASIL REAL, pra ver se vocês aprendem alguma coisa:

https://www.youtube.com/watch?v=7GzriD9g_uU