sábado, 13 de agosto de 2016

Goldman Sachs. DURÃO, CHERNE DA TRAPAÇA, NAQUELE BANCO COMO PEIXE NA ÁGUA




Cherne é um peixe. Mas Cherne é também o Durão Barroso – confidência e opinião da sua consorte. Pois para onde queriam os críticos que Durão Barroso fosse “trabalhar” após a saída da presidência da comissão europeia? Onde acham que o Cherne, Barroso, se pode sentir como peixe na água? Na trapaça, na ignomínia, no Goldman Sachs. Pois claro. O novo banco de Barroso é useiro e vezeiro nas particularidades e apetências referidas, depois, às vezes, é multado. Mas as multas são muito inferiores aos lucros que obtém através das trapaças e do tramar a vida aos outros, aforrando muitos milhões para a organização… mafiosa. Durão, como peixe na água. (PG)

Goldman Sachs, novo banco de Durão Barroso, multado em 32,4 milhões

Banco norte-americano foi penalizado pela autoridade dos mercados norte-americanos devido à utilização de dados de supervisão para convencer potenciais clientes a investir.

É mais uma derrota para o Goldman Sachs, o gigante norte-americano que se tornou notícia durante a crise mundial de 2008 pelas dificuldades com hipotecas tóxicas e que anunciou no mês passado a contratação de Durão Barroso como chairman. 

O banco sediado nos Estados Unidos foi penalizado com uma multa de 32,4 milhões de euros devido à utilização de informação supervisora confidencial facultada pela Reserva Federal, utilizando-a como 'isco' para atrair investidores. Segundo o MarketWatch, a informação referia-se às avaliações positivas dos resultados e níveis de capital do Goldman Sachs e terão servido para conseguir contratos mais vantajosos com clientes.

Além da coima, a Reserva Federal abriu também uma investigação ao diretor executivo Joseph Jiampietro pela fuga de informação e proibiu o banco de contratar novamente ou renovar os contratos dos trabalhadores responsáveis pela divulgação dos dados.

Bruno Mourão / Elsa Pereira – Notícias ao Minuto

Sem comentários: