Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

sexta-feira, 31 de março de 2017

OFENSIVA DA HEGEMONIA UNIPOLAR EM DOIS PILARES DA AMÉRICA LATINA E DE ÁFRICA, EM CURSO



A Venezuela está a sofrer múltiplos impactos de desestabilização e, em África, um crescendo de instabilidade está já a varrer também a República Democrática do Congo.

Tendo em conta as experiências históricas acumuladas década a década nos dois continentes, só há uma potência capaz de simultaneamente realizar ofensivas do género: ESTADOS UNIDOS! (MJ)

Chanceler Rodríguez: Almagro faz parte de um plano para intervir na Venezuela

Boletim informativo semanal da Republica Bolivariana de Venezuela – N° 37. 28 Março 2017

Washington, 27 de março de 2017 (MPPRE).- Da sede principal da Organização de Estados Americanos (OEA), a chanceler da República Bolivariana da Venezuela, Delcy Rodríguez, denunciou as graves ações intervencionistas que vem desenvolvendo o Secretário-Geral da OEA, Luis Almagro, contra a Venezuela. 

Rodríguez sublinhou que Almagro está atuando de forma unilateral, ilícita, desviada e parcializada procurando prejudicar a imagem internacional da Pátria de Bolívar, afetar suas relações com os outros países e qualifica-la como um país problemático.
“Vemos com preocupação e alarma que desde a chegada de Luis Almagro à Secretaria Geral da OEA sua gestão está dedicada a agredir obsessivamente a Venezuela e seu povo”, enfatizou a Chanceler. 

A Ministra denunciou que o senhor Luis Almagro “entre 2016 e 2017 tive 26 reuniões com a oposição venezuelana, das quais 57% foram feitas com os militantes do partido Voluntad Popular”. 

Expôs que de 14 a 24 de Março de 2017, perante os lamentáveis acontecimentos da tragédia natural ocorrida no Peru, Almagro dedicou 73% dos seus tuits à campanha contra a Venezuela e só 27% à agenda geral da OEA. 

Além disso, indicou que desde que Almagro assumiu seu cargo de Secretário-Geral da OEA, 21% das suas publicações no Twitter contem mensagens contra o Governo e o povo venezuelano.

Mostrou à audiência a maneira ofensiva com que Luis Almagro se dirige ao presidente da República Bolivariana da Venezuela, Nicolas Maduro e ao povo venezuelano.

Neste contexto destacou que “Almagro não possui independência ao se submeter aos interesses do Estado mais poderoso da OEA, não possui imparcialidade quando sem escrúpulos desenvolve uma campanha contra a Venezuela e ignora as violações cometidas pelo país que lhe paga o salário”. 

A Chanceler enfatizou que com o desaparecimento físico do Líder da Revolução Bolivariana, Hugo Chávez, as agressões contra o nosso país aumentaram; “iniciaram-se ações para provocar um bloqueio financeiro contra o nosso país, se boicotou a comercialização e distribuição de alimentos e medicamentos, se aprofundou o contrabando de extração de bens essenciais para a Colômbia e se manipulou o valor da moeda venezuelana com respeito à divisa norte-americana com um marcador fictício e virtual”.  

Nesta linha, destacou que a agressão multiforme, econômica e financeira contra a Venezuela, dirigida desde Washington e apoiada por Luis Almagro, procura a intervenção do nosso país. 

Salientou que a esta estratégia se somam as ações do grupo de 14 países que publicaram um comunicado “altamente intervencionista e que promove o infame relatório de Luis Almagro”, bem como a ilegítima convocatória para abordar a situação da Venezuela, sem o consentimento do país em questão.

Instou a esses países a se retirar da avançada intervencionista contra a Pátria Bolivariana. 

Informou que a Venezuela promoverá conselhos permanentes para avaliar, em primeiro lugar, a atuação do Secretário-Geral da OEA; em segundo lugar para abordar questões ligadas aos migrantes que se encontram nos EUA, em terceiro lugar a solidariedade e apoio ao povo do Peru, quarto lugar as alterações climáticas que afetam os estados insulares do Caribe e suas implicações na nossa região e o quinto o cumprimento dos acordos em matéria de paz na Colômbia.  

A ministra Delcy Rodríguez, anunciou que se o assédio contra a República Bolivariana da Venezuela persistir, se tomaram ações contundentes e definidoras.

Boletim informativo semanal da Republica Bolivariana de Venezuela O CUMBE

Realizado pelo Instituto de Pesquisas Estratégicas sobre África e sua Diáspora. “Centro de Saberes Africanos, Americanos e do Caribe” www.saberesafricanos.net

Sem comentários: