Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

terça-feira, 16 de maio de 2017

OLHO VIVO… E ATÉ AO NOSSO REGRESSO


Tudo está bem quando acaba bem, dizem. Como Portugal não acaba pelos tempos mais próximos, talvez séculos, não está tudo bem. Há por aí uns sucessos que nos põem felizes justificadamente, mas também há por aí insucessos que nos carregam de dificuldades, de infelicidade, de fome, de desemprego, etc. A pobreza extrema abunda em Portugal e na Europa do Sul. Porém, não se duvide que se acaso Passos Coelho, Portas, Cavaco e os seus correligionários se mantivessem nos cargos que ocuparam até 2016, tudo estaria muito pior. Costa e a tal chamada geringonça (gosto do nome mas desconfio muito do autor) vieram despoluir o cinzentão podre com que Cavaco, Passos, o PSD, Portas, o CDS e etc. contagiaram Portugal e os portugueses. Os índices na economia sobem e mostram-se positivos, o otimismpo dos portugueses está em alta, a confiança idem, e a esperança em melhores dias regressou, enquanto que com Passos o que já se andava a perspetivar era como correr com ele e a sua cambada. Adiante.

Se continuar a ler terá de seguida o Expresso Curto do costume. É um balanço razoável para começar o dia. Convém ler com o cérebro a funcionar e ver os prós e contras do que contém. Por nada, mas é que por ali às vezes surgem umas rasteiras à Bilderberg Balsemão & Companhia. Cousa que acontece em todos os jornais e outros órgãos de comunicação mais para o enriçado e manutenção do sistema emporcalhado em que se movem os exploradores dos grandes capitais sacados aos otários que são a força do trabalho que rende e à especulação dos negócios que tantas vezes se deviam chamar roubos. Enfim, é o que temos.

E então siga para o Curto. Como vamos fazer uma suspensão no acompanhamento do Curto aqui no PG deixamos a si especialmente a possibilidade de o continuar a acompanhar na origem. Comodamente deparará no final de toda a prosa de Rui Gustavo – que é quem serve a chávena cafeeira -  com a possibilidade de receber a newsletter diária que nos serve de razão para estas “entradas” à má-fila no PG. Siga para bingo que está com sorte. Por nós havemos de criar modo de começar o PG de outro modo. Vamos pensar nisso. Agradecidos por estar connosco. E não se deixe “adormecer” com certos e incertos blá-blás que são uma grande tanga. Passos Coelho é um desses tanguistas… mas há muitos mais. Olho vivo. Adeus, até ao nosso regresso!

MM | PG

Bom dia, este é o seu Expresso Curto 

Rui Gustavo | Expresso

Feliz e desgraçada

O Vinicius já sabia: "Tristeza não tem fim, felicidade sim." O poeta e cantor e o branco mais preto do Brasil falava do Carnaval e da vida e a verdade é que vivemos preparados para enfrentar a infelicidade mas não sabemos como lidar com a felicidade, especialmente se for muito prolongada. Depois do super-fim-de-semana da canonização dos pastorinhos e da festiva visita do Papa a Fátima que decorreu sem qualquer incidente; do tetra-campeonato do Benfica, dando felicidade a mais de metade do país e da espetacular vitória de Salvador Sobral no Festival da Eurovisão, estava à espera de um início de semana de ressaca, de más notícias, de chuva e descida de temperaturas. Mas não.

O Produto Interno Bruto cresceu 2,8 %, o valor mais alto dos últimos dez anos o que significa que há mais riqueza para distribuir por todos. E como o turismo será a principal causa para o sucesso - É o turismo,estúpidos! - só temos razões para ficar ainda mais otimistas: vem aí o verão e o mais certo é que todos os recordes de receitas e visitas de turistas sejam batidos outra vez este ano. Já repararam há quanto tempo não se fala de crise, austeridade e desemprego? Não há coração de fadista que aguente.

Para equilibrar a força houve um ataque informático em larga escala e sem precedentes (de acordo com a Europol) que infetou 12 mil computadores em Portugal e milhões no mundo inteiro. Um vírus sequestrou os dados dos computares e hackers de origem ainda desconhecida (norte-coreanos, chineses, russos?) um resgate de 300 dólares para os devolver. Ninguém ou pouca gente terá pago e o ataque foi sustido. Não houve prejuízos graves e o incidente até serviu para as grandes empresas se convencerem da necessidade atualizar os sistemas de proteção. Pelo caminho, mais um herói: Marcus Hutchins, um puto rodeado de pizzas e videojogos inventou uma espécie de vacina que resolve, ou pelo menos trava o problema, por cerca de dez euros.

Indiferente a Salvador Sobral que fez uma excelente divulgação da língua portuguesa não só na impecável atuação, mas também na conferência de imprensa; e até ao Benfica – só o benfiquista um bocado lixado com isto parece ter compreendido o meu drama - o líder da Coreia do Norte continua a assustar o mundo e António Guterres com os planos de construção de uma arma nuclear de destruição em massa. Os testes nucleares continuam, caíram bombas no mar do Japão e críticas do mundo inteiro, até dos aliados China e Rússia, mas será Kim Jung-un uma ameaça real? Um verdadeiro motivo para provocar infelicidade fora da Coreia? A Revista E desta semana ajuda a clarificar os espíritos mais confusos.

Felizmente há Trump. De acordo com o insuspeito Washington Post, o presidente dos Estados Unidos terá partilhado informação classificada sobre o Daesh com o embaixador e o ministros dos Negócios Estrangeiros russos. A informação, segundo o jornal, pôs em perigo uma fonte no terreno e terá resultado de uma bravata de Trump que queria demonstrar que estava bem informado. A Casa Branca desmente. Esse arrepio na espinha que acabou de sentir é o mais parecido com infelicidade que se pode arranjar por hoje.A Amália já tinha dito que era "feliz e desgraçada".

OUTRAS NOTÍCIAS

Juro que não estou a fazer de propósito: Leonardo Jardim foi eleito treinador do ano em França. O técnico português já é campeão francês pelo Mónaco, pondo fim a uma hegemonia de quatro anos do muito mais rico Paris Saint-Germain. Em Portugal foi mais ao menos corrido do Sporting depois de uma época sem títulos. Em França não só ganhou como revelou ao mundo a próxima grande estrela: Kylian Mbappé, um adolescente de 18 anos que faz coisas destas. Bernardo Silva, que saiu do Benfica quase sem ter jogado pelo clube do coração e João Moutinho, o ex-maçã podre do Sporting também são campeões.

O ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes e os sindicatos dos médicos reúnem-se hoje para negociar as reivindicações “justas” (palavra de ministro) que na semana passada fizeram greve por dois dias adiando consultas, exames e intervenções cirúrgicas. Depois de ter dito que não negociava “sob pressão” o governante dá agora sinais de abertura já que foi dele o primeiro passo na direção da paz.

Em França, o novo presidente Emmanuel Macron, um ex-simpatizante do Partido Socialista que rebentou com o partido nas últimas eleições, convidou Edouard Phiippe, social-democrata, para primeiro-ministro. É a primeira vez que um presidente francês convoca alguém fora da sua área política sem ter sido forçado por eleições. Como é linda a fraternidade.

O Sporting anunciou a contratação de Piccini, lateral italiano e Matheus, um médio brasileiro que começou por ser notícia porque é filho de Bebeto, mas que fez por merecer esta oportunidade depois de uma boa temporada no Estoril.

A ILGA diz que Portugal é um dos países do mundo que mais defende os direitos dos homossexuais.

Hoje o ministro do Ambiente vai à Assembleia da República explicar porque é que Portugal aceitou que Espanha construísse um depósito de resíduos nucleares na velha central de Almaraz. A Rádio Renascença cita um estudo do exército português de 2010 que diz que 800 mil pessoas seriam afetadas pela radioatividade no caso de um acidente nuclear. A proteção civil desconhece o estudo. Uma nuvem negra no céu azul de hoje.

Nos jornais de hoje, o normalmente dramático Correio da Manhã garante que “Riqueza sobe 14 milhões por dia”. O Jornal de Notícias denuncia o facto de os Call centers mudarem um terço dos funcionários todos os anos. O Público diz que a acusação do caso dos comandos estará pronta em junho e que a procuradora acusa os instrutores de saberem que estavam a por em perigo a vida dos instruendos. Morreram dois. O DN faz manchete com a providência cautelar que suspendeu o castigo a um oficial da PSP responsável por 57 armas que desapareceram do armazém da polícia. No I o patrão dos patrões, António Saraiva, revela que foi líder de uma comissão de trabalhadores da Lisnave. No Negócios destaca-se que “Marcelo pediu mais de 2%. Economistas já acreditam”. O PIB outra vez.

O que eu ando a ler

"Inocência Perversa", Patricia Highsmit

Se pudesse escolher um super poder queria ter a direita do Federer e saber escrever como a americana, autora de clássicos como "O Desconhecido do Norte Expresso" ou "O Talentoso Mr, Ripley". Compro ou peço emprestado tudo o que me vem à mão e guardo e leio devagar para saborear melhor. "Inocência Perversa" é a história de um homicídio estúpido e desnecessário, um tema caro à escritora que tem uma capacidade de criar e perscrutar como um cirurgião mentes normais capazes do pior. Basta carregar nos botões certos. Ainda bem que é ficção e que na verdade não somos máquinas de matar prontas a explodir. Pode dormir descansado.

"Quando Perdes Tudo Não Tens Pressa De Ir a Lado Nenhum", Dulce Garcia

Tinha começado a ler no último curto e acabei agora. A primeira sensação não se apagou: excelente livro e promissora estreia da jornalista entretanto apanhada na onda de rescisões amigáveis (adoro o eufemismo) da Sábado. A história é baseada no caso real de uma mulher que vivia num aeroporto e um excelente retrato do atual estado das relações entre homens e mulheres e mulheres e mulheres. Pessoas. A autora, que é minha amiga, descreve carne e osso com humor, crueza e muita música. Ótimo retrato da capital e dos lugarejos do interior. Escreve mais um.

O que eu ando a ver

"Guardiões da Galáxia vol2"

Os filmes de superheróis e mais particularmente da Marvel estão para o cinema como os hambúrgueres para a cozinha. Se forem bem feitos sabem bem mas nunca serão gourmet. Mesmo que os ingredientes sejam do melhor. Mesmo assim fui. Chamem-lhe síndroma de domingo à tarde. O filme é ótimo, com uma banda sonora espetacular (hits e músicas desconhecidas dos ano 60 que me valeram uma tarde no youtube), excelentes piadas e uma história, vá, de alguma profundidade. A aventura foi ainda mais profunda porque vi o filme num cinema cheio de putos que não se calaram um segundo (alguns comentários não foram nada maus, tenho de admitir) e rebentaram num aplauso entusiástico no final. Cinemateca: prometo que não falho o próximo ciclo de expressionismo alemão.

Fargo, temporada 3

Adorei o filme e as duas primeiras temporadas e boa notícia é que se pode começar por esta série porque as histórias nem sequer estão ligadas. Só o ambiente é o mesmo: neve, bandidos, "wise-guys" e broncos com pronúncia do Minnesota. O protagonista é Ewan McGregor (Trainspotting) que faz o clássico papel de gémeos (ainda não bate Jeremy Irons Irmãos Inseparáveis, mas anda lá perto).

O que não vou ver

Caetano Veloso, hoje, no Casino Estoril. Vi o bardo brasileiro há poucos meses no Coliseu de Lisboa e se pudesse e se os bilhetes não fossem assim para o puxadotes ia outra vez. Que músico. Foi a primeira vez que o vi ao vivo e apara além de ter confirmado a excelente voz de mel fiquei extasiado com a dureza daquela mão na guitarra. E também ele podia ser fadista. Espero que cante outra vez "Libertação", de Amália.

Prometemos dar todas as notícias, boas e más, no site e no diário de hoje.E note que "a felicidade é como a pluma; Que o vento vai levando pelo ar; Voa tão leve; Mas tem a vida breve; Precisa que haja vento sem parar."


Sem comentários: