terça-feira, 9 de agosto de 2016

São Tomé e Príncipe. PATRICE TROVOADA SUSPEITO DE LAVAGEM DE DINHEIRO. UMA FALÁCIA?



A queixa apresentada à justiça santomense data de 2013 e, tanto quanto se sabe, foi considerada imprucedente. Apesar de tudo impende sobre a figura do atual PM aquela memória. Ainda para mais porque Patrice se ausentou por largo tempo do país e quando regressou foi para eleições que levou a cabo com “uma campanha muito rica” comparativamente aos fracos recursos dos restantes candidatos e aquilo que é comum no país – assim considerado por observadores. 

Venceu as eleições e é primeiro-ministro. Tem maioria de deputados, do seu partido (ADI) no Parlamento e conseguiu fazer eleger o seu presidente da República (Evaristo Carvalho) em “eleições repletas de trapalhada”. Em suma: Patrice e os seus submissos e confiáveis são os DDT de São Tomé e Príncipe (donos daquilo tudo). Para onde irá o país e como será a sobrevivência e vivência dos santomenses a partir de agora é o que preocupa os patriotas apartidários e politicamente mais esclarecidos. Entretanto a exploração do petróleo santomense no Golfo da Guiné está a rodar.

“É de temer um reinado em que o clã dos Trovoada se apoderou de todos os poderes políticos e até económicos (por interpostas pessoas), o risco de se apoderar do poder judiciário foi demonstrado na atitude  e resolução da justiça ao ignorar os atropelos e as ilegalidades eleitorais que permitiram toda a trapalhada nas recentes eleições presidenciais”, disseram.

Acrescentaram ainda que “se é verdade que Pinto da Costa já deu o que tinha a dar ao país, além de estar em idade avançada e ter acumulado muitos anos no poder, também é verdade que a concentração dos poderes num só homem, num só clã, pode constituir um perigo acrescentado à débil democracia que existe e se processa no país. Além disso há que contar com a exploração do petróleo. Sabemos o que acontece com a febre do chamado ouro negro", acrescentaram. "Será que o que se está a passar já é um preâmbulo disso mesmo?" Perguntam. (PG)

Ex-primeiro-ministro santomense processado por lavagem de dinheiro

São Tomé e Príncipe (PANA) - O Partido da Convergência Democrática (PCD, oposição) apresentou uma queixa-crime contra o ex-primeiro-ministro de São Tomé e Príncipe, Patrice Trovoada, por alegada implicação num caso de branqueamento de capitais, soube-se terça-feira de fonte partidária em São Tomé.

Armindo Aguiar, um dos dirigentes do PCD, declarou à imprensa à saída da Procuradoria Geral da República (PGR) que existem "fortes indícios" de lavagem de dinheiro envolvendo o ex-primeiro-ministro Patrice Emery Trovoada e o banco comercial de capitais gaboneses BGFI Bank, instalado na praça financeira do arquipélago.

Ele disse ter pedido que a PGR acione mecanismos para apurar a veracidade dos factos, e sublinhou não ter dúvidas de que "o recibo de transferência em dinheiro vivo no valor de 624 mil e 600 euros, emitido pelo ex-primeiro ministro, e devidamente subscrito tanto por ele como pelo recetor do montante em numerário, é uma autêntica lavagem de dinheiro".

Ao pedido dirigido à PGR, Armindo Aguiar anexou um documento com timbre e selo branco do gabinete do primeiro-ministro e uma suposta assinatura de Patrice Trovoada.

Por seu turno, o partido do ex-primeiro-ministro, Ação Democrática Independente (ADI, oposição), reagiu por intermédio do seu secretário-geral, Levy Nazaré, para desvalorizar a ação como "uma manobra dos assaltantes do poder com objetivo de denegrir e aniquilar Patrice Trovoada".

"Nota-se um conjunto de atos contra uma só pessoa, sabendo eles que Patrice Trovoada é o político, é um líder porque vêm aí as eleições. O objectivo é aniquilar Patrice Trovoada com essas mentiras", sentenciou, acusando os proponentes da ação de terem "medo" da figura do antigo primeiro-ministro e do regresso do partido da oposição ao poder.

Panapress / RMG/IZ - 11 Junho 2013 16:43:54

Sem comentários: