sexta-feira, 23 de setembro de 2016

"Como é que alguém pode ainda dar crédito ao FMI?" – Ângelo Alves, PCP



O deputado do PCP Ângelo Alves desvalorizou o relatório do FMI apresentado esta quinta-feira e sem boas notícias para Portugal.

Ângelo Alves mostrou-se indignado com a atenção dada ao relatório do Fundo Monetário Internacional sobre as contas do Estado português.

Na sua página de Facebook, publicou uma nota onde condena classe política e a imprensa por gastarem horas "a falar das bocas chantagistas do FMI".

“Conhecidos os efeitos das políticas impostas pela troika onde estava o FMI, depois de o próprio FMI ter reconhecido que se 'enganou' e que esse 'engano' significou uma destruição em massa de rendimentos do trabalho e de recursos públicos em Portugal, depois de isto tudo, como é que alguém pode ainda dar crédito ao FMI?”, questionou.

Para o deputado do Partido Comunista, a resposta está naqueles que “aceitam dar crédito a nova chantagem e teoria de medo do FMI, são os que defendem os interesses que o FMI defende. Os do capital”.

Esta quinta-feira o FMI recomendou que o Governo socialista aplique em 2017 medidas de austeridade de 0,5% do PIB, cerca de 900 milhões de euros, focando-se nos salários e pensões da função pública.

Num relatório sobre as contas do país, o fundo alertou ainda que são precisas "mais medidas adicionais" para que Portugal cumpra a meta do défice com que se comprometeu para este ano, de 2,2% do PIB.

Carolina Rico – Notícias ao Minuto

Sem comentários: