Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

segunda-feira, 3 de julho de 2017

PEDRÓGÃO E TANCOS | DEMISSÕES SEM APURAR CAUSAS E RESPONSABILIDADES?



Com a cafeína do costume mas depois de almoço em vez de acontecer de manhã. É o Expresso Curto, hoje servido por Martim Silva. Traz a lista do material de guerra roubado em Tancos e mais divulgações e considerações. Pedrógão e os incêndios na região centro também são conteúdo que aqui vai encontrar na caneca que até tem natas. Azedas, as natas. mas tão boas, dizem os entendidos dessas coisas de vacaria.

Antes de tudo vamos ao mentor (ex?) de Passos Coelho, o veterano Ângelo Correia: "Nós só podemos criticar aquilo que existe e como não existe nós nem sequer podemos criticar", Ângelo Correia, sobre o PSD. 

Ora aqui têm quanto vale Passos Coelho e a sua "oposição". E quanto vale o seu mau caráter. E a sua política... Já nem existe, apagou-se, autoconsumiu-se. Não existe.  Reconhecido também pelo seu mentor (ex?). Afinal é o que dias atrás foi pelo PG trazido à estampa: o tipo já é cadáver e nem sequer deu por isso. Adiante.

Sobre Tancos predomina a tal insistência sobre a videovigilância (que custa um balúrdio). Até parece que todos se esquecem que quando não existia tal coisa os paióis de Tancos e perímetro militar de Santa Margarida era inviolável e numa área tão imensa nunca aconteceu nada de roubos em paióis. Paióis que eram bem aconchegados à mata. Com sentinelas e reforço, com rondas sistemáticas mas de surpresa. Nem à noite, escuro como breu deixava de haver proteção humana-militar junto aos diversos paióis. Nada aconteceu, nada desapareceu.

Como se diz agora: a tropa está entregue às novas tecnologias e se falharem nem sabem o que fazer. É o que deixam perceber. Não há videovigilância? Reforcem a vigilância com plantões, com sentinelas, com rondas frequentes, etc. A falta de condições para a videovigilância por falta de verbas não é desculpa. Além disso "a tropa manda desenrascar" e não que se armem em Marias Alice. Em panacas inoperacionais perante uma dificuldades tecnológica ou outras. 

Ainda outra: a vedação estragada... Bem, caserneiramente é recomendável mandar os que assim argumentam que vão mamar na 5^perna do boi. A vedação está estragada, arranjem como puderem. Para isso existe a arma de engenharia militar. Antes era assim e porque não pode continuar a ser? É caro? Desenrasquem-se e façam de modo a que a verba seja bastante para superar os condicionalismos causados por orçamentos curtos. Na segurança é que não podem abandalhar. São as forças armadas, são o exército, carago!

O que aqui se vê são desculpas esfarrapadas. De mariconços fardados com galões a brilhar... e pouco mais. E são esses até que , tantas vezes, vão para as chefias. Os finórios já nem dizem um palavrão. Ai, ai...

Certo é que puseram o Exército da Nação a bater no fundo. Tirem os galões e ponham mãos à obra. Ora porra! Seus caraças!

Ainda há outra daquelas que custam muito: Pedrógão. Procura-se entender o que se passou. Nada é certo, exceto que as comunicações falharam. Pois. E o resto?

Quer sobre o roubo em Tancos, quer no infeliz caso de Pedrógão Grande, andam a procurar encontrar as razões dos falhanços, da incúria (se existir) e supostos responsáveis. Mas a oposição ao governo de Costa já quer ver demissões. E o Bloco também, pelo tanto dito de fininho. Estes sujeitos e sujeitas devem ser do estilo de dar porrada nos filhos por acharem que foram aqueles dois que fizeram uma asneirada, quando depois vai-se a ver e comprovadamente foi o filho mais sonsinho que fez a trampa toda. Chama-se a isso injustiça. Pelo menos.

O que eles e elas andam a fazer é gerar confusão. E querem que o governo fale à toa, sem dados exatos para tal. E assim lá andam a aproveitar para fazer a oposição feia, porca e má. De notar que muitos na comunicação social andam a fazer o mesmo. Até dá para suspeitar que são pagos para isso. Pois. Compreendemos-te.

Calma. Apurem tudo como deve ser, apurem responsabilidades. Depois é que são horas de fazer rolar as cabeças dos realmente responsáveis. E até culpabilizá-los criminalmente se for esse o caso.

Um pormenor: imaginemos que o roubo em Tancos acontecia na era de Paulo Portas ministro da Defesa, e que a aliança CDS / PSD era governo. Com Passos PM. Então Passos demitia Portas sem apurar primeiro responsabilidades? Claro que não, e mesmo que Portas tivesse responsabilidades não o demitiria. Aliás. bem mais simples foi o caso de Relvas e foi o que se viu para o vigarista sair do governo.

Sigam para a prosa de Martim Silva, se continuarem a ler. Boa tarde.

MM | CT | PG

Tancos e Pedrógão, o fim do estado de graça de António Costa

Martim Silva | Expresso

Bom dia,

Este é o seu Expresso Curto desta segunda-feira, 3 de Julho de 2017. Estamos no início de um verão muito quente para o Governo de António Costa, que parece rapidamente ter passado de um total estado de graça, alavancado pelos resultados económicos e financeiros e pelo bom funcionamento da geringonça, para uma total ausência de estado de graça, na gestão política dos incêndios de Pedrógão Grande e do roubo mais recente de material militar em Tancos.

É por estes temas precisamente que começamos

-1450 cartuchos de 9 mm
-22 Bobinas de fio para ativação por tração
-1 Disparador de descompressão
-24 Disparadores de tração lateral multidimensional inerte
-6 Granadas de mão de gás lacrimogéneo CS / MOD M7
-10 Granadas de mão de gás lacrimogéneo CM Anti-motim M / 968
-2 Granadas de mão de gás lacrimogéneo Triplex CS
-90 Granadas de mão ofensivas M321
-30 Granadas de mão ofensivas M962
-30 Granadas de mão ofensivas M321
-44 Granadas foguete antitanque carro 66 mm com espoleta M4112A1 com lançamento M72A3 --M/986 LAW
-264 Unidades de explosivo plástico PE4A
-30 CCD10 (Carga de corte)
-57 CCD20 (Carga de corte)
-15 CCD30 (Carga de corte)
-60 Iniciadores IKS
-30,5 Lâminas KSL (Lâmina explosiva)

lista completa impressiona, não impressiona?

E esta lista do material roubado de Tancos foi ontem divulgada em primeira mão pela imprensa... espanhola! Explicação? Aparentemente as autoridades nacionais não estavam a querer a divulgação da lista, mas esta foi passada aos congéneres lá fora e acabou por chegar aos media.

E não é preciso ser-se um especialista em matéria militar ou um 'nuno rogeiro' desta vida para se suspeitar, pelo menos, que não se tratou de coisa pouca. Para que pode servir todo este material roubado? A resposta é dada pelo Observador, e não é algo que nos permita ficar muito descansados.

Aqui pode ficar a saber quem são ao certo os cinco militares responsáveis por instalações que foram afastados pela chefia do Estado Maior depois do sucedido. O assunto está a causar alguma perplexidade no próprio Exército, como noticia hoje o DN.
Na semana anterior, e ao Expresso, já o Presidente da República defendera uma investigação total ao incêndio de Pedrógão Grande. Agora faz o mesmo para o sucedido em Tancos, dizendo que se "deve investigar até ao fim em matéria de factos e responsabilidades".

A oposição cavalga o sucedido, Cristas até pediu uma audiência a Marcelo, que vai acontecer esta tarde, e Passos fala num caso muito grave. Mas também de dentro da própria geringonça vêm pedidos mais duros que os habituais. Veja-se o que disse Catarina Martins, exigindo o apuramento de responsabilidades políticas.

O ministro da Defesa já veio dar explicações, mas a conversa na SIC não deu para acalmar os ânimos à sua volta, bem pelo contrário.

Hoje, há reunião do Conselho Superior do Exército e nos próximos dias o minsitro Azeredo Lopes será ouvido no Parlamento.

Na última noite foram entretanto ouvido tiros junto à casa do comandante da base militar de Tancos, noticiou o Correio da Manhã. Está por saber se existe ligação com o sucedido nos últimos dias.

Sobre o incêndio de Pedrógão, vamos sabendo um pouco mais, à medida que as investigações avançam. Aqui ficamos a saber que a PJ acredita que não houve mesmo mão criminosa. E que insiste na pista do raio, já não sobre a árvore mas sobre um cabo de eletricidade.

Ao mesmo tempo, também o IPMA já chegou às suas conclusões.

Apesar da tragédia que já vivemos nas últimas semanas, foi só neste último fim de semana que entrámos oficialmente na fase mais críticas dos incêndios, Charlie.

Tudo isto somado, o que temos politicamente?

Um primeiro-ministro de férias (e nunca me verão criticar alguém por ir de férias, faz parte da vida e dos direitos de cada um e ninguém é imprescindível), um Estado que falha na proteção e segurança dos cidadãos (como lembra António Costa, do Eco), um governo que parece com dificuldade em reagir e dois ministros, Constança Urbano de Sousa e Azeredo Lopes, em estado muito crítico.

Não é coisa pouca, convenhamos. O tempo de ida a banho costuma ser de calmaria na política mas 2017 está a desmentir essa máxima.

OUTRAS NOTÍCIAS

Cá dentro,

Software do fisco só teve apagão nas declarações dos offshores, titula hoje o jornal Público, acrescentando que a solução tecnológica usada pelo fisco nos últimos anos para registar as transferências para offshores, onde se verificaram anomalias que deixaram de fora do sistema central fluxos de 10 mil milhões de euros, também era utilizada para processar outras declarações, como retenções de taxas liberatórias. Mas as anomalias só aconteceram no registo do dinheiro enviado para paraísos fiscais.

Outro jornal, o Jornal de Notícias, faz manchete com umainvestigação judicial ao antigo presidente da Câmara de Braga Mesquita Machado, dizendo que é “suspeito de gestão danosa no estádio do Braga”. Em causa na investigação do Ministério Público e Polícia Judiciária está a suspeita de prevaricação e gestão danosa por causa do contrato assinado em 2004 entre a autarquia e o clube de futebol para a gestão do novo estádio municipal. Isto porque, de acordo com esse contrato, o Braga pagava anualmente seis mil euros à autarquia para utilização da infra-estrutura, mas esta responsabilizava-se pelas despesas de electricidade e outras, num total de mais de 100 mil euros ano.

No ensaio da oposição interna a Passos no PSD, Morais Sarmento ganhou as eleições para a Assembleia Distrital de Lisboa, mostrando que os próximos tempos não vão mesmo ser nada fáceis para a atual liderança do partido laranja.

Não é a primeira, nem a segunda, nem a terceira vez que se dão notícias destas. Para ser correcto é mesmo a 14ª vezque tal acontece este ano. Tantas quantos os registos de incidentes envolvendo drones que atrapalham voos comerciais junto a aeroportos nacionais. Eis um daqueles temas que está a tornar-se mais e mais preocupante a cada dia que passa. E como se percebe por esta notícia do Guardian, o problema não é mesmo só por cá.

Santana Lopes continua a alimentar o folhetim ‘quero-não quero-afinal quero outra vez-e agora é que não quero mais’ da entrada da Santa Casa no Montepio. O Negóciosnoticia que o Banco de Portugal obrigou o banco a um aumento de capital de 250 milhões. E o Expresso no fim de semana noticiou a assinatura do memorando de entendimento entre a Santa Casa e o Montepio.

A ADSE quer garantir os benefícios aos antigos titulares de cargos políticos

As entradas em museus e monumentos voltaram a ser gratuitas ao domingo, cumprindo-se assim uma promessa do ministro da Cultura

A partir de hoje é mais fácil a obtenção da cidadania nacional

Entre hoje e quarta-feira cerca de 3 mil investigadores debatem em Lisboa o futuro da ciência em Portugal.

Ainda hoje, assinala-se o dia internacional sem sacos de plástico e a esse propósito a associação ambientalista ZERO já veio defender a criação de uma taxa para todos os sacos de plástico usados pelos consumidores.

Rui Moreira apresentou formalmente a sua candidatura a novo mandato à frente da Câmara do Porto e promete apostar na ‘sustentabilidade’. Saiba aqui o que é que quer dizer com isso.

E se o seu banco se lembrar de aumentar o seu spread do empréstimo da casa sem que você sabia? Pois, parece que é possível. Convém estar atento. E o melhor mesmo é ir lendo as Dicas de Poupança.

Chegou ao fim a Taça das Confederações em futebol, e assim termina a época para os nossos craques da selecção (ao mesmo tempo que já começa a nova época dos clubes). Adrien Silva marcou o penálti decisivo que permitiu a Portugal obter a medalha de bronze no torneio (depois de quatro penáltis falhados por portugueses na competição).

Já a final permitiu fazer cumprir a velha máxima de que o futebol são onze contra onze e no final ganha a Alemanha. Os derrotados foram os briosos chilenos. Muito elogiados aqui na Tribuna pelo Diogo Pombo: A perder, que se perca sempre como eles perderam. Eles, são os chilenos.

Morreu o presidente da Câmara de Sesimbra, Augusto Pólvora, eleito pela CDU e que se encontrava a cumprir o terceiro e último mandato à frente da autarquia.

Esta é uma daquelas notícias boas para serem lidas por quem ficou a trabalhar nos últimos dias e não teve oportunidade para aproveitar o calor à beira mar: parece que o mar no Algarve está bastante mais frio que o habitual.

Lá fora,

O Qatar conseguiu um prolongamento de mais 48 horaspara responder às exigências dos seus vizinhos do Médio Oriente, que o acusam de ser financiador do terrorismo e querem, entre outras coisas, ver encerrada a Al Jazeera. Aqui pode ler sobre as ironias de toda esta crise. Cá está um assunto que não tem estado no topo da nossa actualidade mas que é vital à escala global.

Aproxima-se a cimeira do G20, que vai decorrer no final da semana em Hamburgo, e Angela Merkel já veio balizar o encontro, dizendo que tem de se focar no crescimento sustentável. Em paralelo com a preparação do encontro, são esperados muitos protestos populares ao longo dos próximos dias.

Donald Trump voltou a fazer das suas e na sua ‘cruzada’ anti-media decidiu colocar na sua conta de twitter um vídeo em que aparece a ‘bater’ na CNN. Ridículo até mais não. E, pior que ridículo, perigoso: A estação televisiva já veio acusar o presidente de fomentar a violência contra os media

Um tiroteio frente a uma mesquita em Avignon, no sul de França, causou oito feridos ligeiros. As autoridades já vieram garantir que o incidente nada teve que ver com atos de terrorismo.

Uma marcha gigante de protestantes entre Ancara e Istambul, prevista para terminar no próximo domingo, junta manifestantes contra a atuação do regime de Erdogan

Em Wimbledon, começa a 140ª edição do mais emblemático torneio de ténis à escala planetária.

aqui pode ficar a saber tudo sobre o casamento mais mediático do fim de semana (não, não falo da boda de Bruno de Carvalho).

FRASES

“Não é a maior quebra de segurança do século”, Azeredo Lopes, ministro da Defesa, sobre o roubo de material militar em Tanco

"Se um dia houver um ataque terrorista na Europa com estas armas, Portugal terá uma quota-parte de responsabilidade", Rui Tavares, no Público

"Costa tem dois ministros que já não o deviam ser", Nuno Magalhães, do CDS, ao DN

“A Santa Casa da Misericórdia de Lisboa só participará num processo estratégico, amplo, de todo o sector social, não aparecerá sozinha individualmente em nada”, Santana Lopes, sobre a entrada no Montepio

"Nós só podemos criticar aquilo que existe e como não existe nós nem sequer podemos criticar", Ângelo Correia, sobre o PSD

O QUE ANDO A LER

Na última semana, de férias, dediquei-me à leitura de um clássimo. Moby Dick, de Herman Melville. Uma daquelas obras de que todos já ouvimos falar mas que, no meu caso, ainda não tinha lido. Como geralmente acontece com os clássicos, que o são por alguma razão, não desiludiu.

"Chamem-me Ismael. Há alguns anos - não importa precisá-los - tendo pouco ou nenhum dinheiro no bolso, e nada de especial que me prendesse a terra firme, pensei em embarcar e ver o mundo das águas. É a maneira que tenho de afugentar o fastio e de regular a circulação". A edição é da Guerra e Paz e a tradução de Maria João Madeira.

Por hoje é tudo, tenha boas leituras, na companhia do maior jornal do país, que está sempre consigo, ao início da manhã com o Expresso Curto, 24 horas no online, ao fim da tarde com o Expresso Diário e no próximo sábado com mais uma edição semanal.

Sem comentários: