sexta-feira, 24 de agosto de 2012

PROCESSO 105 (1985), FIM DO PODER ECONÓMICO DO POVO LUNDA TCHOKWE

 


A história recente demonstrou como é que o regime estrangeiro instalado no poder em Luanda com o apoio de Portugal, Rússia, Cuba e o famoso e falecido bloco do Leste da Europa, maltratou, subjugou e mataram e condenaram nas masmorras o povo Lunda Tchokwe.
 
Este projecto que começou em 1985 contínua até hoje, basta lembrar que entre 2008 há 2012, a mando do regime, assassinaram no território da Lunda Tchokwe mais de 1000 pessoas, sem falarmos das violações de mulheres, velhos e crianças, até as deportações de natos Lundas para a Republica Democrática do Congo, o Chefe do Estado-maior das FAA naquela altura, General Furtado confirmou isso em Setembro de 2009.
 
O Processo 105, era crime de lesa pátria para natos Lunda Tchokwes que tivesse na sua posse uma pedrazinha de diamante de 0,002g, crime contra a segurança do estado para natos Lunda Tchokwes que tivesse 50,00 dólares no seu bolso, crime contra a Republica de Angola o nato Lunda Tchokwe que possuísse uma casa em zonas nobres de Luanda; Cassenda, Vila Alice, Bairro do Cruzeiro ou no bairro Maculusso na Ingombota.
 
Os serviços secretos do regime DISA hoje SINSE e SIM, trabalhavam noite e dia no seio dos bairros, nas unidades militares ou nas esquadras para o cadastramento dos Lunda Tchokwes em Luanda e em outras províncias de Angola, que fossem detentores de dinheiro ou de uma viaturazinha, um LADA fabricado na ex-URSS e saber a origem dos dinheiros que os mesmos possuíssem.
 
Até membros do Comité Central do MPLA ou Generais militares e Policias filhos Lunda Tchokwes, caíram na desgraça, porque estavam conotados com somas duvidosas de dinheiros, isso era perigo de lesa pátria. O falecido General Bernardo Tchizainga, havia sido julgado e condenado como Camanguista, expropriado dos bens que possuía e colocado fora de toda e qualquer actividade política do MPLA e das FAPLA, onde ele havia combatido como guerrilheiro nas matas, nesta desgraça do Tchizainga outros filhos anónimos da Lunda Tchokwe, que a terra lhes seja leve, passaram momentos difíceis por culpa do dinheiro que possuíam.
 
Assassinaram milhões de filhos Lunda Tchokwes, muitos eram enterrados vivos e outros queimados com ácido sulfúrico, muitos outros ainda eram lançados no alto mar, outros desapareceram sem deixarem rastro, foi um holocausto para dar fim ao povo LUNDA TCHOKWE e depois aproveitarem as suas terras e as suas riquezas.
 
Tudo isso aconteceu entre 1979 á 1990, com o mesmo regime Marxista-Leninista e COMUNISTA do MPLA no poder e com os mesmos actuais dirigentes, tendo sempre a Cabeça do destino desastroso do povo Lunda Tchokwe o Senhor Eng.º José Eduardo dos Santos.
 
O Presidente disse na sua campanha eleitoral no MOXICO que vai combater a pobreza para eliminar assimetrias que graça no território da Nação Lunda Tchokwe. Lembramos que o combate a FAVOR da pobreza e das Assimetrias começou com o PROJECTO DO PROCESSO 105 DE 1985.
 
As casas que muitos Lunda Tchokwes haviam adquirido em Luanda e outras províncias, foram confiscados e o dinheiro congelado nos Bancos do Regime até aos nossos dias, triste lembrança, porque a ordem de matar vinha do BP do MPLA que também orientava o julgamento sumário dos “CAMANGUISTAS OU CRIMINOSOS DA LUNDA”, com ela o fim da capacidade económica dos natos Lunda Tchokwes.
 
Ameaça de morte, intimidação, perseguição, prisões arbitrárias, infiltração de agentes secretos ou informantes foram semeados no seio das populações, que não podiam viver comodamente, quando no mesmo período foi decretado o estado de sítio para a LUNDA TCHOKWE, ninguém podia viajar para aquele território sem uma guia de MARCHA OU UMA CARTA DE CHAMADA, a estadia naquela região e a movimentação era controlada milimetricamente pelos serviços secretos, este é o terror que se viveu e se vive ainda hoje na Lunda Tchokwe.
 
O PROJECTO DO PROCESSO 105 DE 1985, fez com que o regime Marxista-Leninista e Comunista de LUANDA criasse e decretasse leis de diamantes, leis da humilhação e delimitasse a movimentação das populações na sua própria terra criando um exercito para controlar e matar nas ditas zonas de reservas estratégicas dos diamantes, “DEUS TENHA COMPAIXAO DO POVO SOFREDOR LUNDA TCHOKWE”, estas lei que só favorecem os dirigentes do poder politico, suas famílias e amigos estrangeiros a olho nu de toda a Sociedade.
 
O ÊXITO DO PROJECTO 105 FOI ALCANÇADO
 
O processo ou projecto 105 de 1985, havia sido lançado com um único objectivo, a eliminação da classe económica dos Lunda Tchokwes, a expropriação da terra e a matança continuada para diminuir demograficamente a população.
 
Outro grande objectivo que o “PROJECTO 105 ALCANÇOU”, esta a vista de todos; EXPLORAÇÃO FRENÉTICA DOS DIAMANTES e a distribuição das zonas mineiras a estrangeiros vindos de S.Tome, Cabo Verde, Guiné Bissau e a familiares e filhos de dirigentes do regime do MPLA.
 
Assim as minas de diamantes; Camutue, Chitotolo, Luó, Chegi, Cayshepa, Nzaji, SML, SMK, Lumina, Alto Chicapa, Luangue, Ngombo, Calamba, Calonda, Xamiquelengue, Luzamba e outros, onde o Projecto CATOCA vende 72,8% dos diamantes comercializados em Angola, projectos detidos na sua maioria pelos Generais, dirigentes de proa do MPLA e pelos filhos do Presidente José Eduardo dos Santos, naquilo que foi considerado em 1985 como crime de lesa pátria. Agora possuir fortuna já não é crime contra a segurança do Estado, não é? Agora não existe a exploração do homem pelo homem, nem capitalistas, nem da propriedade social sobre os meios de produção, que demagogia? Os eternos comunistas e defensores da doutrina Marxista-leninista, enganaram os outros, hoje são eles os maiores milionários, eles adaptam-se com facilidade a novas situações, abandonaram a doutrina Marxista, são capitalistas selvagens.
 
O processo ou projecto 105, conseguiu humilhar, empobrecer até a mendigos grandes populações Lunda Tchokwes, aumentou violentamente a prostituição infantil, baixou o nível de escolaridade, ausência dolosa de emprego, falta de serviços médicos, falta de produtos básicos a população, a carência é de tal ordem que o povo esta a pedir o regresso dos anos 50 ou 60 a presença do Protector Português que explorando os diamantes, mas respeitou a vida e permitiu que as pessoas crescessem economicamente com a sua própria riqueza.
 
O PROJECTO OU PROCESSO 105, veio afundar a classe económica Lunda Tchokwe, por isso não existe um único empresário de renome filho da Nação Lunda Tchokwe, enquanto cidadãos nacionais de S.Tome, Cabo Verde ou de Guiné Bissau dentro do regime em Angola, mal conhecem aquele povo e território são ricos a custa dos diamantes da Lunda, ainda dizem ser donos de extensões territoriais no interior da LUNDA TCHOKWE, expropriaram aldeias inteiras, destruíram lavras que servia de sustento de muitas famílias, poluíram o meio ambiente e estão a sabotar também a fauna.
 
Durante esse período a JUVENTUDE LUNDA TCHOKWE foi a mais sacrificada, forçada a integrar as forças armadas durante anos a fio sem a mínima possibilidade de formação, sem condição da satisfação económica pessoal e familiar, continua votada para o analfabetismo, é o meio que o regime achou para poder impor a sua vontade perpétua sobre a Nação Lunda Tchokwe, a sociedade no geral esta mais atrasada do que no passado recente.
 
A NOSSA JUVENTUDE E O POVO EM GERAL CONSCIENTE DE TUDO O QUE ACONTECE NA NOSSA LINDA TERRA, NOSSA AMADA LUNDA, DEVEM PENALIZAR O COLONIZADOR E CAMALEÃO, muito cuidado com o camaleão que ele muda de cores constantemente, é fingido, actua como gato e age rapidamente como Leopardo quando a oportunidade lhe chega as mãos.
 
Muito cuidado com mentiras de bocas de aluguer, com discursos bonitos, cheios de esperança, não se esqueçam da sabedoria Lunda Tchokwe, que diz “quem te ajuda a comer carne de Cão, o verás no momento da preparação e do tempero da carne do Cão”, UNIDOS VENCEREMOS QUALQUER INVESTIDA DO NOSSO ADVERSARIO, “quem te mente uma vez, pode mentir duas, três e mais vezes”, “quem roubar uma vez, se não lhe acontecer coisa alguma, volta a roubar mais vezes”.
 
A Lunda Tchokwe, é espantosa, terra de gente calorosa e generosa, famosa pelos diamantes do seu subsolo, mas ao mesmo tempo milhões e milhões dos seus habitantes vivem na mais absoluta miséria, jamais vista no planeta terra.
 
Nós subscrevemos a teses Gandhi: “A não-violência é a maior força á disposição da humanidade. É mais poderosa do que a mais potente arma de destruição concebida pelo engenho humano”. A nossa luta vencera o mal e a besta, o Sol para sempre brilhará numa só força de milhões de braços, retumbante voz de séculos de dor e esperança e a verdade ultrapassará as mais altas nuvens entre as nações.
 
Destruir para reconstruir, aproveitando a situação que for imposta para poder justificar os ganhos que dai advirem. Se o Lunda Tchokwe não fosse combatido, não fosse expropriado economicamente não teríamos tanta desgraça no território, porque os próprios filhos estavam com capacidades económicas para criar empregos e riqueza as populações carenciadas, os investimentos viriam de qualquer parte do PLANETA para ajuntarem-se aos empresários locais.
 
No próximo texto iremos falar “por dentro dos meandros do processo 105”, um tema da actualidade e de muito interesse, iremos falar dos autores, dos envolvidos, dos condenados ou desterrados e outros temas sobre o assunto com testemunhas que sofreram na carne e osso o 105.
 
Comissão do Manifesto Jurídico Sociológico do Protectorado da Lunda Tchokwe
 
 

1 comentário:

Anónimo disse...

Afinal o Carlos Fragata, o Armando Viegas, o Hadoindo Correia Miranda, o Armindo Silva, o Fernando Silva (Colorau), o Tony "Kafunfo", o Zeca Sibéria, o Adolfo Esteves, o Amilcar Dias, etc., etc., são todos tchokwes!!!

Pela fábrica de "autóctones" se vê quem é o dono da indústria!

Acho que o Frank Charles Carlucci é também tchokwe!!!