terça-feira, 21 de janeiro de 2020

O IMPÉRIO MEXE-SE COM PÉS DE BARRO!



A cisão cada vez mais evidente no grupo restrito da aristocracia financeira mundial, (aqueles 1% que na sua ânsia capitalista azota o mundo com seus artificiosos jogos de poder, de domínio unipolar, do esgotamento dos recursos globais e das manipulações que têm também provocado as profundas alterações climático-ambientais em curso), expõe o início da exaustão do império com pés de barro: a força deixou de persuadir, muito menos convencer, as nações, os estados e os povos da Terra e o império tornou-se cada vez mais um pesado factor de barbárie, fazendo cair a máscara por si próprio criada e recriada de campeão de civilização! (https://www.counterpunch.org/2020/01/10/despair-in-america-the-unspoken-issue-of-the-2020-election/).

A RECESSÃO E A CRISE SÃO PRODUTOS DA MALHA QUE A GLOBALIZAÇÃO DO IMPÉRIO DA HEGEMONIA UNIPOLAR TECE!

A EMERGÊNCIA MULTILATERAL E INTEGRADORA É UM EMERGENTE PARADIGMA QUE SE DESTACA DA PRÓPRIA HISTÓRIA DA REVOLUÇÃO NA REPÚBLICA POPULAR DA CHINA!



01- Qualquer que seja o passo que os Estados Unidos deem no Médio Oriente Alargado, em África e na América Latina, os pés de barro indiciam começar-se a esboroar, expondo já suas internas fissuras, apodrecidas com o sangue húmido ou seco de tantos milhões de inocentes e mártires espalhados pelo mundo: o contraditório entre Congresso e Senado jamais foi tão intenso na aproximação das próximas eleições nos Estados Unidos (https://actualidad.rt.com/opinion/luis-gonzalo-segura/339388-donald-trump-incendia-iran-ano-electoral) e o carácter do Pentágono, dos serviços de inteligência e da instrumentalizada NATO, vai também reflectindo essa radiografia que expõe os filamentos dos poderes dominantes da hegemonia unipolar em início de putrefacção! (https://actualidad.rt.com/opinion/luis-gonzalo-segura/339388-donald-trump-incendia-iran-ano-electoral).

Os Estados Unidos, no Médio Oriente Alargado, estão presos dentro das teias do seu próprio labirinto (https://br.sputniknews.com/oriente_medio_africa/2020011214998014-eua-ameacam-cortar-acesso-do-iraque-as-receitas-do-petroleo-caso-bagda-insista-na-retirada-de/), um recriado labirinto com condimentos de caos e terrorismo desde o início da década de 90 do século XX (uma década antes dos acontecimentos de Nova York a 11 de Setembro de 2001) quando o neoliberalismo de Ronald Reagan e de Margareth Thatcher se assumiram como “medida padrão”!… (https://history.state.gov/milestones/1989-1992/gulf-warhttps://actualidad.rt.com/opinion/alberto-rodriguez-garcia/339488-guerra-convencional-asimetrica-iran-eeuu;  https://plataformacascais.com/plataformacascais/artigos/mundo/62360-aristocracia-financeira-mundial-iii-guerra-mundial.html).

O “sistema” vem de longe e a sua utilização para fins excludentes em função de interesses próprios expressos da maneira mais pérfida, a maneira do caos e do terrorismo, mergulha nas origens do capitalismo neoliberal!... (http://pagina--um.blogspot.com/2011/03/iraque-iraque-75-anos-depois.html;  http://www.voltairenet.org/article7613.html).

No início do século XXI, em 2003, invadiram o Iraque, de onde não saíram mais até hoje! (https://vermelho.org.br/2018/03/20/hoje-faz-15-anos-da-invasao-no-iraque/).

Estimulados pelo triângulo de alianças consubstanciado na “Coligação” (http://asian-defence-news.blogspot.com/2014/09/us-coalition-in-middle-east.html), um triângulo que une os mecanismos de intervenção formatados pelo império, o sionismo e as monarquias arábicas wahabitas-sunitas (http://pagina--um.blogspot.com/2011/03/salvar-os-reis.htmlhttps://paginaglobal.blogspot.com/2011/06/o-diktat-da-hegemonia.html), os Estados Unidos forçaram a disseminação, por via da Al Qaeda e do Estado Islâmico (e seus apêndices), de “inimigos úteis” que se tornaram garantes de caos e terrorismo, inviabilizando ou enfraquecendo os estados de toda essa região (https://www.globalresearch.ca/u-s-military-aid-to-al-qaeda-isis-daesh/5548960), que agora com essa mesma “Coligação”, nada têm a ganhar e têm tudo a perder! (https://actualidad.rt.com/actualidad/339588-islamico-aplaudir-asesinato-soleimani-intervencion-divina?fbclid=IwAR2x9Tev9YND73rVTRF7K9nMKSvqPkrtXKhz7udOcDcBphnhwmZlJYVhlkohttps://www.americansecurityproject.org/national-security-strategy/u-s-bases-in-the-middle-east/).

São esses “inimigos úteis” que justificam o Pentágono e a sua disseminação de bases e intervenções de toda a ordem e por essa razão eles se tornaram tão úteis, a ponto de afirmarem que o assassinato do general iraniano, ser “obra de deus”!... (https://twitter.com/Minalami/status/1215558265272197122?ref_src=twsrc%5Etfw%7Ctwcamp%5Etweetembed%7Ctwterm%5E1215558265272197122&ref_url=https%3A%2F%2Factualidad.rt.com%2Factualidad%2F339588-islamico-aplaudir-asesinato-soleimani-intervencion-divina).

Nada a ganhar a tudo a perder (https://www.globalnegotiator.com/international-trade/dictionary/win-lose-strategy/), é esse o verdadeiro pântano do poder dominante e por isso se digladiam os componentes da aristocracia financeira mundial, (https://paginaglobal.blogspot.com/2017/04/aristocracia-financeira-mundial-impoe-o.html) expondo-se ao contraditório público (em vigor) e expondo as fissuras de seus pés de barro no solo mártir do Médio Oriente Alargado!

A guerra psicológica (https://frenteantiimperialista.org/blog/2018/07/08/la-guerra-psicologica-del-imperio-de-la-hegemonia-unipolar-en-africa/) utilizando a mentira, a hipocrisia, o cinismo, o medo, ou até o “soft power” que está à sua disposição, já não é suficiente para alimentar o artificioso jogo e a manipulação dos seus disseminados “estatutos”, por que agora, numa espiral de milhares de milhão, os outros percebem que já estão a lutar pela sua própria sobrevivência! (https://frenteantiimperialista.org/blog/2020/01/11/ahi-esta-la-iii-guerra-mundial/).

Com a gestação do “inimigo útil”, o império da hegemonia unipolar congeminou o seu verdadeiro inimigo, que no sul da Ásia é o Irão e toda a rede religiosa shiita, ou aqueles que, até por necessidade de luta pela sobrevivência, a ela se juntem, como os casos, entre outros, da Rússia e da China! (https://www.globalresearch.ca/america-an-empire-on-its-last-leg-to-be-kicked-out-from-the-middle-east/5699693).

Nessa estratégia o próprio Estado islâmico enquanto “inimigo útil”, ressurgirá numa pré-programada intensidade… logo que o império e sua dilecta “Coligação”, queiram!... (https://expresso.pt/internacional/2019-08-14-Ressurgimento-do-Daesh-e-uma-questao-de-tempo-preveem-especialistas).

O império na sua imensa hipocrisia e cinismo, quer ser o arquitecto e vector duma IIIª Guerra Mundial assimétrica e de geometria variável que alimenta a ilusão fundamentalista de ser-lhe favorável, (https://paginaglobal.blogspot.com/2018/01/os-falcoes-primeiro.html) mas não quer que outros lhe deem resposta em justapostos termos similares, ainda que seja para se defenderem, ou mesmo para sobreviverem parente tal tipologia de ameaças e riscos que sobre eles o império faz pender, começando por ultrapassar e vencer incompatibilidades antigas! (https://www.cavok.com.br/blog/zonas-de-guerra-ira-x-iraque/).

Por isso Trump rotula o general Qassem Soleimani, um dos campeões da luta contra o Estado Islâmico e Al Qaeda no Líbano, na Palestina, na Síria, no Iraque e no Iémen, de “terrorista”, (https://www.counterpunch.org/2020/01/10/assassination-lies-and-the-trump-difference/) no momento em que a todo o custo pretendem salvar o resto dos militantes do Estado Islâmico e da Al Qaeda, jogando com a permeabilidade das fronteiras entre uns e outros, algo que dá um subversivo significado às forças da “Coligação”! (https://www.globalresearch.ca/mysterious-helicopters-continue-to-evacuate-isis-militants-from-battlefields-across-middle-east/5660297).

Os Estados Unidos temem que se consolide a aliança e a integração do Irão, do Iraque e da Síria, sobretudo esses, tendo em conta a plataforma sionista que erradicou do mapa a Palestina! (https://neweasterneurope.eu/2019/11/20/the-new-great-game-of-alliances-in-the-middle-east/).


O assassinato do general Qassem Soleimani é também e além do mais uma diversão para cobrir a tentativa de renascimento do caos pelo menos no Iraque, agora seu dilecto campo de manobra contra o Irão, meio-perdidos que estão os campos de manobra na Síria e no Afeganistão-Paquistão (“AfPak”), também isso com muitas dificuldades para ultrapassar! (https://actualidad.rt.com/video/339560-licencia-matar-medios-justificar-asesinato-soleimani;  https://www.globalresearch.ca/a-major-conventional-war-against-iran-is-an-impossibility-crisis-within-the-us-command-structure/5682514?utm_campaign=magnet&utm_source=article_page&utm_medium=related_articles).

Os Estados Unidos na sua radicalizada versão de expansionismo por via do “choque de civilizações”, (tornou-se cada vez mais evidente), são no Médio Oriente Alargado, como na América Latina e em África, os que estão a mais nessas regiões, os que estão da pior maneira e mesmo as suas justificações, tal como as que agora estão a utilizar para tentar fugir a ser os “maus da fita” no assassinato do general Qassem Soleimani (dizendo que ele se preparava para atacar mais embaixadas suas), esvaem-se no labirinto por si próprios recriado, por que com eles e sua “Coligação”, para os outros há tudo a perder e literalmente nada a ganhar!... (https://www.globalresearch.ca/us-foreign-policy-shambles-nato-middle-east/5684713?utm_campaign=magnet&utm_source=article_page&utm_medium=related_articles).

Ninguém vai aceitar uma “Coligação win-lose”, equacionada para a guerra, para o caos e para o terrorismo, quando a oportunidade de negócios em paz e equacionada para o “win-win”, está cada vez mais próxima e, para alguns (como por exemplo os “5 satãs” da Ásia Central), está ali mesmo à mão!... (https://www.globalresearch.ca/shift-in-military-alliances-america-declares-war-on-turkey-nato-in-disarray/5651137?utm_campaign=magnet&utm_source=article_page&utm_medium=related_articles).


02- O Parlamento do Iraque e o governo iraquiano, insistem legitimamente na necessidade de saída dos instrumentos dos Estados Unidos do seu território, por que já perceberam os significados múltiplos do jogo do “poder dominante” em curso e dando sequência ao papel e exequibilidade ao império desde o Tratado de Quincy! (https://actualidad.rt.com/actualidad/339493-irak-pedir-eeuu-retirar-tropashttps://actualidad.rt.com/actualidad/339532-eeuu-responder-exigencia-irak-retirar-tropas;  https://br.sputniknews.com/oriente_medio_africa/2020011014992873-eua-quer-discutir-retorno-a-parceria-estrategica-com-iraque-em-vez-de-retirar-tropas/).

Às instituições iraquianas vão-se juntar as vozes de muitas outras instituições e entidades, por que todas elas estão presas ao pântano recriado, num labirinto que parece não mais ter fim, onde têm tudo a perder e nada a ganhar, a não ser caos, desarticulação, vitimização, vulnerabilização, miséria, fome e morte!

Esse anátema “win-lose” está do lado sul da antítese que transpõe o imenso continente euro-asiático, por onde em paz e segurança se procura articular e desenvolver por via de expedientes integrados no “Belt and Road Initiative”, no âmbito da Nova Rota da Seda inspirada pela República Popular da China!

Só o império não reconhece seus pés de barro, nem a putrefacção bárbara do seu expansionismo, exposta nos passos que dá fora de suas próprias fronteiras! (https://www.globalresearch.ca/us-strategy-what-gas-pipeline-war-costing-us/5699048).


03- As respostas de geometria variável dos que identificaram as razões do foco de terrorismo que é o império e seu cortejo de vassalos e de cúmplices, sabem que são eles mesmo que se expõem como o “inimigo a abater”, precisamente por que não se deixaram tornar em “inimigos úteis”. (https://www.globalresearch.ca/twenty-six-things-about-the-islamic-state-isil-that-obama-does-not-want-you-to-know-about/5414735).

É esse o significado também da recusa dos Estados Unidos em não pretender sair do solo iraquiano, justificando com mais um jogo entre os tantos de que é pródigo, para equacionar apenas o que é de seu interesse, esquecendo-se mesmo que o seu expansionismo inveterado que já leva séculos, é histórica, política e antropologicamente, injustificável e cada vez mais impraticável! (https://www.latimes.com/opinion/story/2020-01-03/qassem-suleimani-donald-trump-iran-drone-assassination).

O exercício da barbárie feudal a cavalo nas tão socialmente retrógradas monarquias arábicas (https://www.businessinsider.com/trump-is-losing-badly-in-the-middle-east-2017-6 ; https://edition.cnn.com/interactive/2019/02/middleeast/yemen-lost-us-arms/), começa a ser contraproducente até já para alguns aliados da “Coligação”, por que já perceberam que com paz e segurança têm estrategicamente muito mais a ganhar! (https://www.csis.org/analysis/americas-failed-strategy-middle-east-losing-iraq-and-gulf).

Agora esse “vacilantes” pretendem alinhar com a República Popular da China e as iniciativas que a ela se ligam, afastando-se do “win-lose” a que exclusivamente se propõe um poder com pés de barro!


De facto, os oleodutos e gasodutos que da Federação Russa se expandem pelo continente euro-asiático, sendo percussores da Nova Rota da Seda que só tem 6 anos, constituíram fontes de inspiração para o seu conceito e os estados que compõem o Médio Oriente Alargado sabem que essas nervuras, estando por melhor equacionar no seu espaço, constituem por si uma das razões da desesperada renitência terrorista do império!... (https://time.com/5730849/end-american-order-what-next/).

Por incrível que possa parecer aos fundamentalistas da “civilização ocidental”, que tanto usam o petróleo como “excremento do diabo”, (https://www.globalresearch.ca/how-hide-empire-history-greater-united-states/5700299) os oleodutos e gasodutos que da Rússia se expandem, são vectores da paz que torna possível o comércio e, com ele, a integração multicultural e multicontinental!...

… Amanhã a paz vai chegar à Líbia e as condutas de petróleo e de gaz, serão as nervuras do novo contexto de que tanto precisa desde já o norte de África!

…Agora mais que nunca, o império mexe-se com pés de barro!

Martinho Júnior -- Luanda, 11 de Janeiro de 2019

Mapas:
01- Os tubos que levam o gaz da Rússia para a Europa, são veios de paz, que a NATO não pode nem beliscar, nem vencer – https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Major_russian_gas_pipelines_to_europe.png;
02- A absorção energética indispensável à China, vocacionam vínculos de paz pluricontinentais – The pipelines through Myanmar will mark the third leg of major overland import routes, and will be capable of supplying 440,000 barrels of oil a day and 12 billion cubic meters of natural gas a year to China's southern Yunnan province.
The gas will come from a new development off the coast of Myanmar, while the oil will be shipped from the Middle East and Africa on tankers – http://www.oilseedcrops.org/2013/07/16/myanmar-oil-and-gas-pipelines-to-china/;
03- A Dinamarca foi o último dos falcões do Báltico; subsiste o falcão imperial –  Denmark is the last country still to complete its national permit procedure for the Nord Stream 2 gas pipeline designed to bring Russian gas offshore to Germany under the Baltic Sea, after Nord Stream 2 obtained a permit from the Swedish government yesterday (7 June) –  https://www.euractiv.com/section/energy/news/all-eyes-on-denmark-after-sweden-awards-nord-stream-2-permit/;
04-   Nem a cartada da Guerra na Ucrânia parou o gas da paz entre a Rússia e a Europa – For Europe, thinking about energy security means thinking about Russia. First in January 2006 and then in January 2009, gas pricing dispute between Russia and Ukraine led to the halt of Russian gas supplies to Europe via Ukraine – its primary transit route. This generated economic damages for Europe, notably in South-Eastern European countries heavily dependent on Russian gas for both electricity generation and residential heating.
Europe responded to these gas crises by adopting an energy security strategy mainly focused on reducing its dependency on Russian gas supply. The high priority given to Russian gas supplies arose because: (1) gas represents about one quarter of the European energy mix; (2) about one third of this gas is imported from Russia; and (3) in contrast to oil or coal, it is not possible to bring large amounts of gas to where it is needed if the corresponding infrastructure is not in place – https://bruegel.org/2018/07/beyond-nord-stream-2-a-look-at-russias-turk-stream-project/.

Sem comentários: