sexta-feira, 16 de setembro de 2011

PR da Guiné-Bissau demarca-se da possibilidade admitida pelo Governo de acolher Kadhafi




LUSA

Bissau, 16 set (Lusa) -- A presidência da Guiné-Bissau demarcou-se hoje, em comunicado, da possibilidade admitida pelo Governo guineense de acolher o ex-líder líbio, Muammar Kadhafi, no país caso este o solicitasse.

No comunicado, a que a agência Lusa teve acesso, a Presidência afirma que o chefe de Estado guineense, Malam Bacai Sanhá "não acompanha" o posicionamento do Governo assumido pelo primeiro-ministro, Carlos Gomes Júnior que já admitiu publicamente acolher o ex-líder Líbio na Guiné-Bissau.

"Após ponderada análise da situação política prevalecente na Líbia, bem como das recentes declarações do primeiro-ministro, nas quais manifesta a disponibilidade do Governo para acolher, em território nacional o coronel Muammar Khadafi (...), a Presidência, preocupada com a interpretação que tem sido dada a tais declarações em diversos setores da comunidade internacional, reputa importante esclarecer que a Presidência não acompanha as mencionadas declarações", lê-se no comunicado.

Sem comentários: