quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Guiné Equatorial: EMPRESAS PORTUGUESAS PLANEIAM NOVA CAPITAL





Os autores do projeto pretendem que Djibloho, a futura capital equato-guineense, beneficie de sistemas de energias sustentáveis e renováveis.

Lisboa - A empresa portuguesa Arquitetura e Urbanismo IDF e a construtora Zagope estão a desenvolver o projeto para construção de uma nova capital na Guiné Equatorial.

A nova cidade, planeada para acolher 160 mil habitantes, será construída numa área de 8.150 hectares, de acordo com informações divulgada pela Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP).

A nova cidade irá substituir Malabo como capital política e administrativa do país, candidato a membro pleno da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Os autores do projeto pretendem que Djibloho, a futura capital equato-guineense, beneficie de sistemas de energias sustentáveis e renováveis.

O projeto do atelier portuuês tem como base a sustentabilidade. De acordo com a AICEP, este projeto pretende criar a primeira capital mundial inteiramente dependente de energias renováveis e sustentáveis.

Sem comentários: