quinta-feira, 10 de maio de 2012

Portugal: UGT DIZ QUE GOVERNO MOSTRA “SINAIS CLAROS DE INCOMPETÊNCIA”



Jornal de Notícias

O secretário-geral da UGT, João Proença, acusou esta quinta-feira o Executivo de demonstrar "sinais claros de incompetência" na área do emprego e disse esperar medidas concretas ainda durante o mês de maio.

"Eu diria que há sinais claros de incompetência do Governo na área do emprego e na área económica, por estar fortemente condicionado pelas medidas de austeridade, mas esperamos que haja no muito curto prazo, e no muito curto prazo é o mês de maio, medidas na área do emprego, nomeadamente a questão da definição da reestruturação dos centros de emprego", disse João Proença em conferência de imprensa.

João Proença defende o "rápido lançamento" do programa de empregabilidade e qualificação dos jovens no âmbito do 'Impulso Jovem' que, no entender da UGT, "deve ser orientado para uma oferta adequada a todos os jovens desempregados até aos 25 anos".

A UGT quer ainda que o Governo aplique "em pleno" os 'Programas de Estágios, de Aprendizagem e o Estímulo 2012', valorizando a qualificação profissional e não "introduzindo medidas só para retirar os desempregados dos ficheiros dos Centros de Emprego".

"Esperamos que neste momento e até ao dia 18 sejam definidas as medidas prioritárias e o calendário de discussão com os parceiros sociais" quer no âmbito das políticas de emprego, quer no estímulo à economia, disse João Proença.

O Governo e os parceiros sociais reúnem-se em sede de concertação social, na próxima sexta-feira, dia 18 de maio e deverão discutir, entre várias matérias, o regime de Segurança Social e o Salário Mínimo Nacional (SMN).

A propósito do SMN, à semelhança do que já havia referido no início desta semana, João Proença reiterou que "é muito importante aumentar o salário mínimo", pois esta subida "tem um efeito mais positivo sobre o emprego do que negativo".

"Se as empresas apostam num sistema de baixos salários, estamos condenados no futuro", considerou o sindicalista, acrescentando que o SMN deve aumentar pelo menos até 500 euros já a 1 de janeiro do próximo ano, embora destaque que em 2013 "há condições para ir além" deste valor.

Sem comentários: