quarta-feira, 3 de agosto de 2016

A ATD DENUNCIA O “REVIVALISMO PIDESCO” DO FILÓSOFO DE SALÃO CARLOS PACHECO!

PARTILHAR



Sem esgotar o tema, com fundamento nas investigações históricas que tem levado minuciosa e pacientemente a cabo durante anos de aturado trabalho no âmbito da ATD, o camarada Paulo Lara coloca a nu muitas das falibilidades que incorre Carlos Pacheco, que em pleno século XXI não encontrou melhor forma de se afirmar senão assumindo o caminho dum “revivalismo pidesco”.

Do desmascaramento dessas falibilidades encarrega-se o camarada Paulo Lara, que teve a hombridade de só o fazer depois de ler os dois tomos de Carlos Pacheco e sem esgotar a possibilidade de confrontar os dados, tal a quantidade de falências…

Haverá muitas conclusões a tirar do desperdício de que dá mostra Carlos Pacheco, mas decerto que interessa realçar estas duas:

- O leque de ideologias correntes que se permitem integrar, em tempo oportuno, este tipo de“revivalismos”, (o de Savimbi está também em curso);

- A quem, utilizando esses desvarios ideológicos, quantas vezes alienantes, interessa tirar partido deles (e das razões por que o fazem), dentro e fora do território angolano, ainda que em muitos casos subvertam os factos em completo desabono da verdade;

- Como está a ser forjada, por quem tutela o poder da terapia neoliberal, a contradição entre o leque ideológico que compõe a agitada antítese que se vai forjando e a tão fragilizada tese assumida pelo MPLA.

O que a terapia neoliberal trouxe para Angola após 2002 está hoje disponível a “revivalismos” com fortes raízes nos tempos coloniais, algo que é sintomático: quanto aquilo que foi um dia utilizado no passado colonial pela inteligência colonial, está a partir dele disponível àqueles que estão na disposição neocolonial?

“Revivalismo” algum, num momento como este, acontece por acaso!  
  
Foto do camarada Paulo Lara no Novo Jornal de 31 de Julho de 2016.


PARTILHAR

Author: verified_user

0 comentários: