sábado, 20 de agosto de 2016

Moçambique. QUEM PROTEGE O POVO?



@Verdade, editorial

Nunca antes o povo moçambicano esteve tão desprotegido como nos dias que ocorrem. A cada dia que passa a situação tende a deteriorar-se, ou seja, o que já era complicado, agora piorou. Presentemente, os moçambicanos vivem numa insegurança mórbida sem precedentes, e na constante incerteza de voltar a respirar no dia seguinte. Tudo porque a Polícia moçambicana, assim como as forças governamentais, tem estado a semear terror, dor e luto no seio das famílias.

No lugar de garantir a segurança dos moçambicanos, a Polícia é o principal promotor da criminalidade e execuções sumárias de cidadãos indefesos e inocentes. Um pouco por todo país são reportados casos de indivíduos barbaramente assassinados pela Polícia moçambicana. Os casos mais recentes deram-se nas cidades da Beira, Nampula e Nacala-Porto, onde alguns dos nossos compatriotas foram alvejados mortalmente.

Outra situação bastante indignante é o que se sucedeu na província central de Sofala, envolvendo as Forças de Defesa e Segurança que se encontram naquela região supostamente para garantirem a soberania do país. Por exemplo, seis pessoas, cinco moçambicanos e um natural do Bangladesh,foram mortas à tiro e os seus corpos posteriormente carbonizados na localidade de Nangué, no distrito de Cheringoma. Os indivíduos que escaparam a esse acto macabro contam que os autores foram as forças governamentais.

Este facto demonstra claramente que o principal promotor de todos os ataques armados a cidadãos moçambicanos que frequentemente são registados no centro do país e imputados aos homens da Renamo são, na verdade, perpetrados por aqueles que supostamente deveriam garantir a segurança e integridade física dos moçambicanos.

Infelizmente, o Governo, por intermédio das Forças de Defesa e Segurança, continua a matar sem dó e nem piedade os filhos desta pátria. Assassinam e reprimem o povo e fingem que lutam para o bem-estar dos moçambicanos, quando, na verdade, subjugam-nos. Por ganância e em nome de uma falsa soberania promovem a guerra e exterminam centenas de moçambicanos.

Portanto, a impressão que fica é de que as Forças de Defesa e Segurança têm mandato para exterminar os moçambicanos que todos os dias trabalham arduamente para pagar os impostos.

Sem comentários: