domingo, 11 de março de 2018

PORTUGAL - PSD | Rui Rio tem um vigarista como secretário-geral da sua liderança?

PARTILHAR


Mário Motta, Lisboa

MAIS UM RELVAS “DÓTOR DA MULA-RUÇA” EM CARGO DE DESTAQUE NO PSD

“Diz-me com quem andas, dir-te-ei quem és”. Que fará Rui Rio?

O caso é diferente do de Relvas mas... Pelo visto eles são mais do que se pensava. Vigaristas, mentirosos, e intrujões, com a mania das grandezas académicas e outras, vão abundando nos partidos políticos, no PSD eles também não faltam. Agora é o secretário-geral do partido laranja nesta liderança de Rui Rio. Mais um intrujão, um “fazedor” de título académico forjado, mais um ”dótor da mula-ruça” que mente e vigariza com quantos dentes tem? E são indivíduos destes, gravosamente desonestos, vigaristas, falsificadores, que mais cedo ou mais tarde podem vir a assumir cargos de governação do país. Não admira que com tantos casos já constatados as suspeições por aí existentes sejam correspondentes à realidade e assente como uma luva em muitos dos políticos da nossa praça, fazendo da mola real para o poder político – os partidos – um chiqueiro de gente desonesta que mais não faz que governar-se em vez de governarem (bem) o país em prol dos interesses de todos os portugueses.

Criminalizar devidamente estes vigaristas e falsificadores já tarda. Falta saber se Rui Rio e o PSD vão manter em secretário-geral Barreiras Duarte, declarado e denunciado charlatão, no dizer de Deolinda Adão, que termina a denúncia de documento a alegar Barreiras como visiting scholar na Universidade de Berkeley afirmando que “Esse documento é forjado. Feliciano Barreiras Duarte nunca cá esteve." 

O que fazer perante tanto vigarista, tanto aldrabão, tantos corruptos, tantos ladrões, que oportunistamente podem passar (passam) a exercer cargos (serem eleitos) que marcam o destino desastroso da nação e dos portugueses, fazendo de todos nós vítimas de um forrobodó de energúmenos mentirosos e falsificadores ou muito pior que isso? 

Ao longo dos anos foram reunidas provas e testemunhos, casos nas mãos da Justiça, que comprovam esta terrível realidade e o mais ou menos constante temor dos portugueses que afinal são os que com o seu trabalho honesto alimentam esta corja de bandidos. Não são assim todos os agentes políticos mas parece que também está provado que são demasiados. Enfim, leia a peça tratada por Susana Lúcio, na Sábado, e pergunte-se se este “promissor” novo líder do PSD vai fazer tábua rasa do que já é público acerca do declarado falsificador que é secretário-geral do PSD, Barreiras Duarte. Vale o adágio: “diz-me com quem andas, dir-te-ei quem és”. 

A ser completamente verdade o que a peça da Sábado trás a público e pelas avaliações anteriores - em casos semelhantes - podemos presumir que vai ser avançada uma justificação peregrina. E tudo fica na mesma. Assim se verá, ou não, o rigor, transparência, honestidade e tudo do melhor em caráter que anunciam acerca de Rui Rio. Sim, porque também ele fica em causa ao constatarmos com o que pactua, ou não. Estamos para ver. (MM | PG)

Secretário-geral do PSD mentiu no currículo

O secretário-geral do PDS, Feliciano Barreiras Duarte, apresentava-se como visiting scholar na Universidade de Berkeley, mas não é verdade.

Feliciano Barreiras Duarte, nomeado secretário-geral do PSD pelo novo presidente, Rui Rio, incluía no seu currículo que era há anos, visiting scholar (um professor de uma universidade que realiza investigação ou dá aulas noutra universidade por convite) da Universidade de Berkeley, na Califórnia, EUA.

Mas, segundo o semanário Sol, a Universidade de Berkeley não tem qualquer registo em nome de Feliciano Barreiras Duarte. O antigo chefe de gabinete de Pedro Passos Coelho já avançou que irá corrigir o currículo.

O secretário-geral do PSD apresentou como prova uma carta escrita pela directora executiva do Programa de Estudos Portugueses da Universidade de Berkeley, Deolinda Adão, em que se atesta que Feliciano Barreiras Duarte "se encontra inscrito nesta universidade como estatuto de ‘visiting scholar, no âmbito do seu doutoramento em Ciência Política com a tese Políticas Públicas e Direito da Imigração."

Mas Deolinda Adão nega ter escrito a dita carta. "Essa é, de facto, a minha assinatura, mas o que aí está escrito nunca foi escrito por mim", disse.

"A príncipio, ainda quis dar o benefício da dúvida porque recebemos muitos alunos há vários anos e poderia não ter memória deste. Mas assim não. Esse documento é forjado. Feliciano Barreiras Duarte nunca cá esteve."


O secretário-geral do PSD diz não compreender a situação. "A carta está lá como vinda dos Estados Unidos. Isso deixa-me estupefacto. Aquilo existiu, como existiu a troca de correspondência."

Professor na Universidade Lusófona, Feliciano Barreiras Duarte, diz ter sido convidado para fazer investigação na Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento (FLAD) e com a Universidade de Berkeley por Manuel Pinto de Abreu, também professor na Universidade Lusófona. 
  
Este garante que foi feito um "trabalho preparatório" no sentido de Feliciano Barreiras Duarte ser visiting scholar, mas que acabou por "oficialmente nunca se ter tornado realidade."

Susana Lúcio | Sábado

Imagens: 1 – Feliciano Barreiras Duarte, foto de Paulo Duarte/Cofina Média; 2 – Feliciano junto a Rui Rio e outros do PSD quando da visita de Rio à Presidência da República, foto de José Sena Goulão/Lusa
PARTILHAR

Author: verified_user

0 comentários: