sexta-feira, 12 de maio de 2017

Fátima | CENTENÁRIO DAS ALEGADAS VISÕES (RESTRITAS), NÃO DAS APARIÇÕES

PARTILHAR

Neste momento o papa Francisco está no ar, a voar. Chega a Monte Real cerca das 4 horas da tarde. O programa da suas estadia em Fátima tem sido divulgado até à saturação, por isso não se justifica aqui usar espaço para também o divulgar. Em Fátima já lá estão imensos pagadores de promessas e crentes sinceros, na mistura também estão os hipócritas, os curiosos, os estudiosos, os vigaristas, os carteiristas, imensos elementos do clero, centenas de agentes de segurança sem mãos a medir para o serviço que têm de cumprir com eficácia, os da banca não oficial do Santuário de Fátima já estão a controlar o pilim (as notas e moedas) há uns dias, e a Fátima vai chegar o suprasumo papal Francisco. Homem que cativa e que quase nada tem que ver com os papas anteriores, da igreja dos ricos, dos pedófilos, dos cambalachos da banca ambrosiana cheia de podres. 

A PAZ EM PRIMEIRO LUGAR

Em Fátima temos e queremos ver a Paz em primeiro lugar, a tal nossa senhora é mesmo de barro e se alguém daquela figura tem de ser venerado é o artista que a moldou e a trabalhou. O provável "barrete" de Fátima permanece e chamam-lhe o centenário das aparições… Não. Na melhor das hipóteses poderá ser o centenário das visões. Provavelmente até foram visões só da Lúcia, que induziu os seus primos – todos miúdos e pastores – sobre a visão que teve (ou não). Até pode ter sido uma grande trapaça, que ela sempre manteve. Não sabemos. Mas, atenção: são visões e não aparições, pois muitos que ali foram para ver não viram nada, e assim declararam, está dito e redito, escrito e reescrito. Mesmo assim nada justifica que impere o respeito pela crença de outros, e são muitos. Afinal é um acontecimento que seja de origem ficcional, de patranha, ou real, só para uns quantos, merece ser tratado à luz da liberdade religiosa que é ponto marcante da Constituição da República Portuguesa. Assim seja. E que a paz seja o ponto principal deste encontro de tantas pessoas de fé, incluindo Francisco.

Não há santo que substitua Deus, dizem os menos apegados ao grande negócio de Fátima. E isso não é só uma visão limitada mas sim visão de um facto alargado à vista e entendimento de todos. Aquilo é um negócio que em tudo se pode comparar aos vendilhões do templo da era e descrições bíblicas. Vigaristas e gananciosos existem em todo o lado. No clero português também.

Siga para o Expresso Curto, por Ricardo Costa. Curto que também tem Fátima em destaque, como não podia deixar de ser.

MM | PG

Bom dia, este é o seu Expresso Curto 

Ricardo Costa | Expresso

Então, até amanhã à meia-noite

O Expresso Curto de hoje podia ser mesmo muito curto e começar e acabar assim:

"Bom dia, o Papa Francisco chega hoje a Portugal para uma visita de vinte e quatro horas. A visita do muito popular Sumo Pontífice assinala o centenário das aparições de Fátima e vai dominar todas as atenções em Portugal, sendo que as autoridades aguardam que um número inédito de peregrinos se desloque ao Santuário de Fátima, apesar do mau tempo.

O Papa Francisco regressará a Roma amanhã depois da hora de almoço, poucas horas antes do Benfica receber o Vitória de Guimarães em casa, num jogo que pode decidir o campeonato e garantir o “tetra” à equipa da Luz, e dos portugueses prestarem uma estranha e inédita atenção ao Festival da Eurovisão, assinalando a fulgurante popularidade do nosso representante, Salvador Sobral.

O fim desta épica jornada de feitos inéditos – visita do Papa Francisco, possível tetra do Benfica e disputa pela vitória na Eurovisão – será simbolicamente assinalada com a reabertura das fronteiras, pela meia-noite de amanhã, com Portugal a regressar ao espaço Schengen e, espera-se, à consequente normalidade em todo o território.

Tudo indica que a pátria volte a ser reconhecível na madrugada de domingo. Até lá, não se surpreenda com nada, é o aviso que deixamos a crentes, agnósticos e ateus, seja em que matéria for.

Este foi o seu Expresso Curto mais curto de sempre. Na segunda-feira voltaremos a falar do que se passa no mundo e no país, tenha uma boa sexta-feira e um ótimo fim de semana e amanhã não se esqueça de comprar o Expresso".

Quem quiser que fique por aqui, porque tudo o resto, como se costuma dizer na gíria, são trocos. É que quando o avião do Papa aterrar na base Aérea de Monte Real, como também se costuma dizer na gíria, pára tudo. E depois, como todos costumamos dizer nas redações, não se passa mais nada.

E quando passar, vai ser para só se falar (?) de futebol. E quando os benfiquistas estiverem aos gritos - de alegria ou de ansiedade por mais um dia ou uma semana de espera – vamos tentar ajustar anos e anos de contas em atraso com a malta da Eurovisão. Ao fim do dia, será caso para muitos gritarem, como o Éder fez na Alameda, “hoje é feriado, c*****o”.

Enfim, como sportinguista, custa-me recorrer à expressão que se segue. Mas já que o tom do Curto de hoje é este, vamos às outras notícias, nuns "cinco muitos à Benfica".

nota: o autor foi coagido pela estranha combinação de acontecimentos a recorrer a esta "muleta estilística" e promete não voltar a usá-la em períodos de normalidade, sua ou do país.

OUTRAS NOTÍCIAS (mais ou menos)

Vamos então ser rápidos e passar os olhos por sites, televisões e capas dos jornais nacionais.

No Expresso Online, o tema de topo é… aparições. Ok. Um pouco mais abaixo temos Fátima, Benfica e Salvador Sobral. Lindo serviço.

Mais um pouco para baixo, e depois de tropeçar em mais ângulos sobre Fátima, Benfica e Salvador Sobral (a malta esforçou-se, reconheço), eis que me deparo com a paz mais inesperada do virar do século.

Não, o Hamas não foi com uma pomba na mão a caminho de Jerusalém ao encontro de um Netanyahu de bandeira branca, mas quase: “Sporting e FC Porto anunciaram o reatamento das relações institucionais, com base na "urgência e necessidade de pacificação do futebol português", indicaram os clubes nos seus sítios oficiais na Internet. Hum…

No Observador, escapo-me a dez ângulos sobre Salvador Sobral e Fátima e fixo-me na manchete. Uma entrevista a Rui Moreira, onde o autarca diz que já parecia que a sua recandidatura ao Porto era "do PS apoiada por um movimento independente", acrescentando que a "mercearia" destrói a credibilidade dos partidos. Fica o link para lerem lá para domingo.

No site da SIC Notícias, há… Fátima, Fátima, Fátima e… o regresso do Santo José Mourinho. Sete anos depois, o treinador regressa a uma final europeia. O seu Manchester United sofreu até ao último minuto mas lá carimbou a passagem à final da Liga Europa. O outro finalista é o Ajax, que andava afastado destas lides há anos sem conta.

No Público, há Fátima em quantidades generosas, mas no topo podemos destacar que “Depois dos médicos, podem ser os juízes a fazer greve”. O jornal adianta que o Ministério da Justiça mantém em segredo projecto de revisão do estatuto dos magistrados judiciais. Assim sendo, a Associação Sindical de Juízes não descarta uma paralisação para protestar.

No DN, pode-se destacar um trabalho sobre a estranha chuva de promessas sobre estações de metro em Lisboa. O jornal escreve que o plano que Assunção Cristas anunciou para a expansão da rede pega basicamente num plano do tempo de José Sócrates, de 2009 e ao qual a líder do CDS e candidata à câmara da capital retirou seis estações.

No Jornal de Negócios, destaca-se a avaliação que a Bolsa de Lisboa está a fazer sobre a permanência do Montepio no PSI-20, na sequência da transformação da caixa económica numa sociedade anónima.

As notícias internacionais continuam a ser dominadas pela demissão do diretor do FBI, que já obrigou Donald Trump a dar uma confusa entrevista televisiva e sucessivas explicações. O caso pode mesmo minar a Presidência de Trump, com várias pontas soltas nas relações com o Kremlin e desmentidos do diretor interino do FBI.

Em França, a ressaca das eleições não está a ser fácil de seguir, com uma chuva de informação sobre as listas para as legislativas que se seguem. Na Frente Nacional, o caos e a confusão estão instalados, com o partidos a fazer a catarse em público.

O estado de saúde de José Eduardo dos Santos está a ser alvo de grande especulação em Angola, com o Presidente alegadamente em tratamentos em Espanha. Mas Luanda já desmentiu oficialmente os rumores.

Há mais notícias, claro. Mas, enfim, já sabemos que hoje é um dia especial.

FRASES (e aparentados)

“Fátima, Benfica, Salvador Sobral: dez dicas para escapar ao 13 de maio mais agitado de sempre”. Título do Expresso Online sobre… já sabem

“Veja o vídeo. Música de Salvador Sobral cantada por jovens ucranianas”. Trabalho do Observador sobre… isso, acertaram

“As versões humorísticas da canção de Salvador Sobral”. Trabalho no DN sobre, ena ena, isso mesmo.

O QUE EU ANDO A LER (depois percebem)
Uma biografia de Cosme Damião, o Manual de Instruções do Festival da Canção e uma Monografia sobe as gentes de Fátima…

Agora a sério. Ainda ando às voltas com Hoje Estarás Comigo no Paraíso, de Bruno Vieira do Amaral, um poderoso romance de um escritor que nos espantou em 2013 com a forma como trouxe a margem sul do Tejo para a literatura.

Estava, assim, pronto para falar do que conto ler de seguida. Acontece que o Henrique Monteiro se adiantou no Curto de ontem, quando recomendou detalhadamente O Pianista de Hotel, do Rodrigo Guedes de Carvalho. Já sei que alguns leitores vão achar que estamos todos combinados para elogiarmos um amigo e colega de muitos anos, mas não é o caso.

Para não repetir os elogios literários que o Henrique assinalou ontem, fico-me pelos factos. Este livro representa um regresso à literatura ao fim de dez anos, depois do magnífico Canário (Dom Quixote, 2007), um livro muito bem recebido pela crítica.

Para perceberem melhor que não estamos a falar de um-tipo-que-dá-na-televisão-e-que-escreve-livros, mas sim de um escritor com obra sólida, absoluta segurança narrativa e estilística, capacidade inegável para nos oferecer personagens incrivelmente humanas e pista literária própria, sugiro que espreitem esta recente entrevista do Rodrigo.

Uma outra sugestão, neste caso audiovisual: o documentário que a TF1 exibiu na segunda-feira à noite, vinte e quatro horas depois da eleição de Emanuel Macron. Les coulisses d’une victoire (Os bastidores de uma vitória), é um incrível trabalho sobre ascensão do novo Presidente francês, feito por uma equipa que o acompanhou nos bastidores de uma campanha fulgurante.

O documentário é brilhante e uma dupla lição de jornalismo documental e de política. Pode ser visto no site da TF1, desde que se registem. Não está legendado.

Bem, o Expresso Curto fica por aqui. Já sabem que hoje vai ser um dia em cheio e que o dia de amanhã ainda pode ser mais complicado. Para não se perderem, amanhã de manhã há Expresso nas bancas. Bom mergulho nesta sexta-feira e bom regresso à tona de água lá para domingo.

PARTILHAR

Author: verified_user

0 comentários: