sábado, 17 de março de 2018

PORTUGAL | Estamos de acordo!

PARTILHAR
Paulo Baldaia | Diário de Notícias | opinião

A política aos olhos dos eleitores é uma coisa e aos olhos dos eleitos é outra coisa completamente diferente. Não é de agora, mas a chegada de Rui Rio à liderança do PSD veio lembrar-nos a todos que o bem comum é sempre superior ao interesse de cada um.

Rui Rio não tem tido uma afirmação fácil. Do ponto de vista dos seus adversários internos, ele até já é um falhanço confirmado. Mas Rio não está na política para receber medalhas e as suas convicções só podem ser postas à prova pela aderência dos eleitores, nunca pelas jogadas de bastidores.

Rui Rio acredita que é preciso estar ao lado do PS, ou melhor, que é preciso trazer o PS para o lado do PSD, para fazer de Portugal um país viável a médio e longo prazo. Saber o caminho que é preciso percorrer não faz automaticamente de Rui Rio, no entanto, a pessoa certa para o lugar que ocupa. Neste ponto, ele vai ter de provar que entre a teoria e a prática, com ele a liderar o maior partido da oposição, a distância é inexistente.

Contra o poder que estava instalado na São Caetano à Lapa, Rio cedo fez saber - em plena campanha eleitoral interna - que queria desencostar os socialistas da ortodoxia da esquerda parlamentar, para mudar o que tem de ser mudado no país.

O estudo de opinião da Eurosondagem para o Expresso e para a SIC diz-nos que uma larga maioria dos portugueses não só defende os acordos de regime que estão em cima da mesa como quer que os dois partidos vão mais longe. Os portugueses não querem o Bloco Central a governar o país, mas querem que o PSD e o PSD garantam a viabilidade do Serviço Nacional de Saúde. E que se entendam também na Justiça, na Segurança Social, na Educação e noutras matérias em que todos podemos ficar a ganhar.

Da fase em que o PS de Costa e o PSD de Passos Coelho estavam, à partida, em desacordo para esta nova fase, há uma evidência que parece transtornar os que só têm tempo para pensar nos seus próprios interesses: a maioria dos portugueses está de acordo com os pactos de regime.

*Paulo Baldaia é diretor do Diário de Notícias
PARTILHAR

Author: verified_user

0 comentários: