quinta-feira, 21 de julho de 2011

Cabo Verde: "Cluster do Mar" vai determinar o futuro do país, defende PM José Maria Neves




JSD - LUSA

Mindelo, Cabo Verde, 21 jul (Lusa) - O primeiro-ministro cabo-verdiano considerou hoje que o "Cluster do Mar", orçado em 300 milhões de euros, vai determinar o futuro de Cabo Verde, pois permitirá o desenvolvimento do arquipélago em praticamente todos os setores.

José Maria Neves discursava no Mindelo (ilha de São Vicente) na abertura do Fórum sobre o "Cluster do Mar", reunião que constitui um espaço de análise, discussão e definição de um plano de ação, a curto e médio prazos, para o desenvolvimento do setor, que envolve outros dois "clusters", o do Ar e o das Novas Tecnologias.

Os projetos associados são vários, como as pescas, a criação de um centro internacional de conservação, processamento e exportação de produtos marinhos, reparação naval e pesquisa oceanográfica, como fármacos, energia das ondas e alterações climáticas, dependendo, porém, da mobilização de recursos financeiros.

Tudo está ligado à renovação e/ou reconversão do Porto Grande, no Mindelo, infraestrutura que, a par da renovação de outros portos internacionais -- Cidade da Praia, Sal e Santo Antão -, pretende tornar Cabo Verde uma referência no Atlântico Médio.

Hoje, na sessão de abertura do Fórum, realizado pelo Gabinete do Primeiro-Ministro em parceria com a Câmara do Comércio, Indústria, Agricultura e Serviços do Barlavento (CCIASB), José Maria Neves salientou a oportunidade de se proceder a um balanço estratégico sobre políticas públicas no domínio do mar.

O chefe do Governo cabo-verdiano, citado pela Inforpress, disse esperar que o encontro do Mindelo permita traçar a visão e as estratégias, definir os recursos institucionais e humanos, identificar os principais atores e construir os consensos sobre a formulação de uma Agenda Estratégica para o Mar.

"O Estado terá, com certeza, um papel de visionário, de estratego e de regulador, mas caberá ao setor privado o papel motor de protagonista fundamental na construção e no desenvolvimento do já denominado hiper-cluster do mar", sustentou.

José Maria Neves reconheceu que ainda não se conseguiram explorar todos os recursos naturais e as potencialidades marinhas, sendo "bem nítida" a "deficiente" exploração económica que é feita do "valioso recurso".

Desde que, em 2003, se introduziu o conceito "Cluster do Mar", acrescentou, foram já desenvolvidas várias ações, nomeadamente nas pescas e na reparação naval, bem como investidos "milhões de contos" na modernização dos portos e na transformação do Porto Grande num "hub" de cargas marítimas na sub-região.

"É preciso também dar um novo impulso aos transportes marítimos internacionais", sustentou José Maria Neves, para quem a criação de uma Companhia Nacional de Transportes Marítimos Internacionais é um "desígnio nacional", atendendo à vocação marítima do país.

"Tornar Cabo Verde um ator marítimo relevante ao nível regional e no Atlântico constitui a missão principal da nossa geração e na qual o Governo está empenhado com a implementação da sua agenda de transformação", concluiu José Maria Neves.

O encontro do Mindelo deve definir os elementos do "Cluster do Mar" e os fatores de sucesso e risco, conceber um quadro institucional e articular os serviços públicos e privados, bem como, os termos de referência do Núcleo Operacional do Mar.

*Foto em Lusa

Sem comentários: