terça-feira, 3 de julho de 2012

Timor/Eleições: João Correia, da vida de padre para o palco político



MSE - Lusa

Díli, 03 jul (Lusa) - João Correia, que faz 50 anos em novembro, foi levado para a política pelo primeiro Presidente de Timor-Leste Xavier do Amaral, depois de desistir de ser padre para perpetuar o nome da família.

Nascido no distrito de Bacau, a leste de Díli, a 10 de novembro de 1962, João André Avelino Correia fez os estudos elementares naquela cidade, tendo depois completado o ciclo preparatório com os padres salesianos.

No período que antecedeu a revolução de abril de 1974 em Portugal e até 1975 deixou de estudar por causa da luta pela independência de Timor-Leste.

Com a invasão indonésia de Timor-Leste em 1975 regressou aos estudos.

"Rendi-me aos indonésios e voltei a estudar e acabei o secundário e depois caí na tentação de seguir a carreira de padre", disse à agência Lusa João Correia, o presidente da Associação Social-Democrata Timorense (ASDT).

Depois de uma experiência de dois anos, João Correia foi para Jacarta, capital indonésia, onde fez os estudos e regressou a Timor-Leste para o estágio espiritual.

Nas Filipinas, fez os estudos teológicos e acabou por ser ordenado padre.

Já em 2004, e depois da restauração da independência do país, colocou-se a questão de perpetuar o nome da família Correia (através da descendência), porque o irmão do atual presidente da ASDT também é padre, estando atualmente no Vaticano.

"Fiz um pedido a Roma e fui dispensado, depois fui convidado por Xavier do Amaral para integrar o partido", disse João Correia, casado e pai de dois filhos.

À Lusa lembrou as palavras de Francisco Xavier do Amaral, que morreu no início deste ano, quando o convidou a integrar a ASDT: "Vamos de mãos dadas tomar conta deste partido".

"Agora sou presidente", diz.

Sem comentários: