Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

sexta-feira, 31 de maio de 2013

PORTUGAL VAI ENVIAR MAIS 18 PROFESSORES PARA TIMOR-LESTE

 

MSE – MLL - Lusa
 
Díli, 31 mai (Lusa) - O projeto das escolas de referência em Timor-Leste vai ser reforçado no próximo ano letivo com mais 18 professores, disse hoje à agência Lusa o secretário de Estado do Ensino e Administração Escolar de Portugal, João Casanova de Almeida.
 
"Vamos ter sempre mais professores portugueses porque o projeto está em expansão (...) Vai haver mais turmas e mais necessidades de professores portugueses em Timor-Leste", afirmou.
 
Questionado pela Lusa sobre quantos professores Portugal vai enviar no próximo ano letivo, o secretário de Estado disse que "serão 18 professores".
 
João Casanova de Almeida falava à agência Lusa no último dia da sua visita a Timor-Leste, que começou na terça-feira, para fazer o ponto da situação dos projetos de cooperação naquele país.
 
"Havia algumas questões que eram importantes, depois do projeto já estar em execução, verificar se corriam ou não conforme o planeado e foi esse trabalho que foi feito e foram definidos os caminhos, que visem otimizar a colocação de docentes nas escolas de referência", disse o secretário de Estado.
 
Para João Casanova de Almeida, a questão do ensino da língua portuguesa é muito importante para Portugal porque "constitui um traço de ligação entre Portugal e todos os Países de Língua Oficial Portuguesa".
 
Durante a sua estada em Díli, o secretário de Estado do Ensino disse também que foram "salvaguardadas e definidas" questões relativas a férias dos professores e processamento de suplementos remuneratórios.
 
"Tudo isso são questões menores que ficaram salvaguardadas e definidas, bem como questões que se prendem com a avaliação do desempenho dos professores que estão nas escolas de referência", acrescentou.
 
Durante a sua estada em Timor-Leste, que termina no sábado, a delegação portuguesa reuniu-se com vários membros do Governo timorense, visitou a Escola Portuguesa e uma escola de referência e teve reuniões técnicas.
 
O Ministério da Educação português coopera com o Governo timorense na criação das escolas de referência, com o objetivo de promover a qualificação do sistema educativo no país, e de assistência técnica na área de formação de recursos humanos.
 
O Camões - Instituto da Cooperação e da Língua coopera com as autoridades timorenses com apoio à Universidade Nacional de Timor-Leste e com o projeto de consolidação da língua portuguesa.
 
No âmbito destes projetos, estão destacados em Timor-Leste mais de 300 professores portugueses.
 
Leia mais sobre aquela região do mundo Macau e Timor-Leste em TIMOR LOROSAE NAÇÃO
 

5 comentários:

Anónimo disse...

INFORMAÇÃO: Os professores colocados nas Escolas de Referência de Timor-Leste estão sem receber há três meses... março, abril e maio a viver do ar. Para o senhor Secretário de Estado podem ser "questões menores", para quem aqui está é uma questão vital. Estamos sozinhos, sem apoio de ninguém. Alguns de nós enfrentam grandes dificuldades e outros têm sido obrigados a recorrer a empréstimos locais ou a dinheiro de Portugal. Muito obrigada pela atenção

Anónimo disse...

Também passei pelo Projeto das Escolas de Referência de Timor-Leste. Foi uma experiência fantástica mas extremamente difícil em situações financeiras pontuais, mas que acontecem. Igualmente no que se refere a assintência médica, não é fácil!!!!

Anónimo disse...

Timor, deve dinheiro aos Professores Portugueses e a instituições de ensino Portuguesas. É lamentável...

Anónimo disse...

Quem lhes vai pagar?

Anónimo disse...

Seria também importante que a excelência fosse premiada com o profissionalismo de todos os docentes portugueses das escolas de Referência em Timor Leste, reforçada pelo comportamento exemplar que cada qual deveria adotar como conduta inabalável, ser frontal e não alimentar medos pela sua verticalidade.