Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

A ATUALIDADE NUMA XÍCARA DE EXPRESSO. PORTUGAL E O MUNDO. CULTURA




Bom dia! Rui Peralta, a partir de Luanda, deixa aqui no PG a edição do fecho de ontem: UCRÂNIA:A MIRAGEM DA PAZ OU A PAZ DA MIRAGEM? Ainda hoje de manhã teremos no PG Martinho Júnior, que também de Luanda escreve a parte VIII de A FRUTA QUE NÃO CAIU. Ainda de Martinho Júnior, mais para o fim da tarde, pode ler AS MENSAGENS HISTÓRICAS DE CUBA, a editar. Entretanto aproveite uma xícara de atualidade através do Expresso Curto, servida pelo editor do jornal Expresso, Bernardo Ferrão. Muito mais atualidade e opinião vai poder desfrutar no PG. Tenham um bom dia. (PG)

GRÉCIA CONTINUA DENTRO E SÓCRATES TAMBÉM 

De um lado o juiz Carlos Alexandre. Do outro o ministro das finanças alemão Wolfgang Schäuble. Haverá alguma coisa que os aproxime? Há. O quê? O dia 24 de fevereiro de 2015. Porquê? Porque neste dia foram tomadas decisões que afetam o futuro próximo de Sócrates e da Grécia. O ex-primeiro-ministro ficou a saber que continua em Évora. E a Grécia que se mantém no Euro. Agora a pergunta é para ambos: até quando?

No caso da Grécia, o editor de Economia da BBC escreve que Varoufakis, com as suas propostas, compra estabilidade económica e financeira mas arrisca, na frente interna, agitação política. Aliás o título deste artigo diz muito sobre a nova posição grega: “Syriza dumps Marx for Blair. “Dumps” significa deitar fora.

Nas muitas leituras que estão a ser feitas sobre as medidas gregas há uma palavra comum: recuo. Sobretudo quando se comparam com as promessas do programa de Tsipras. Para perceber melhor o plano apresentado é obrigatório consultar esta análise comentada docoordenador de Economia do Expresso, João Silvestre.

Para já Atenas consegue tempo para respirar. Mas a troika (agora diz-se as instituições internacionais), pela voz do FMI e do BCE, avisa que terá de haver mais concessões. A discussão sobre a saída da Grécia da zona Euro continua na agenda. O ex homem forte do BCE,Jean-Claude Trichet, lembra que o “Grexit” será tão perigoso agora como o era no auge da crise das dívidas.

Passemos para a prisão preventiva de Sócrates. Carlos Alexandre manteve a medida de coação mais grave para o ex-primeiro-ministro e para o empresário Carlos Santos Silva. Mas o motorista João Perna deixou a prisão domiciliária.

O jornal I escreve que o juiz “está confiante de que a Relação vai manter Sócrates na prisão”. E que há um “silêncio ruidoso” no PS que não quis comentar o prolongamento da medida de coação.

No Público pode ler-se que “novos factos poderão colocar em causa recurso de Sócrates na Relação”. Com os documentos apreendidos na casa do ex-PM em Lisboa, após as primeiras visitas dos investigadores, os desembargadores poderão considerar que o teor do recurso pode estar ultrapassado.

Joana Marques Vidal, Procuradora Geral da República, nesta entrevista à RR e ao Público, admite que magistrados comcontactos mais próximos com alguns jornalistas possam ter cometido alguns deslizes que conduziram a violações do segredo de justiça. Na mesma entrevista, a PGR diz ainda que o “Ministério Público atua de acordo com a lei. Não há timings políticos”

OUTRAS NOTÍCIAS

Processos disciplinares para quem andou a espreitar o IRS de Passos Coelho. O Negócios escreve que a Autoridade Tributária já instaurou 27 processos a funcionários das Finanças que acederam ao cadastro fiscal do PM. Mas o sindicato antecipa que os casos possam chegar a uma centena.

Quase dois meses depois dos ataques em Paris, o Charlie Hebdo, o semanário satírico francês, regressa hoje aos quiosques.

O Observatório Sírio para os Direitos Humanos denunciou que oDAESH (o autodenominado Estado Islâmico) raptou pelo menos 90 cristãos na Síria. Mas ativistas sírios já falam em pelo menos 150. Entretanto a polícia britânica acredita que já estão na Síria as três raparigas inglesas que fugiram para se juntar à organização terrorista. As autoridades avançam que as jovens entraram pela Turquia há quatro ou cinco dias.

Do Reino Unido chega também a notícia do envio de militares britânicos para a Ucrânia para aconselhamento e treino das tropas locais. No mesmo dia em que Cameron avisou para asconsequências desastrosas para toda a Europa se a UE não conseguir fazer frente ao presidente Russo. O PM britânico já fala emexcluir a Rússia do sistema de transações bancárias SWIFT.

Alô Dilma! Depois da bronca das escutas dos americanos à ‘Presidenta’, os brasileiros decidiram desenvolver um telefone encriptado que não permitirá que registos de chamadas, mensagens ou dados armazenados fiquem desprotegidos. A história é contada pela Bloomberg. Por falar em telemóveis, saiba que a Apple vai lançar (com a versão 8.3) o assistente de voz SIRI em português, no final do ano… mas num português do Brasil.

O assassino do “Sniper Americano” foi condenado a prisão perpétuasem possibilidade de liberdade condicional. O antigo fuzileiro Eddie Roth foi considerado culpado pelos homicídios do atirador Chris Kyle e de Chad Littlefield em fevereiro de 2013

Num registo mais descontraído, deixe-me ainda voltar aos Óscares e às ‘mãozinhas’ de John Travolta. Este bem podia ser o título deste artigo sobre a importância das distâncias. Tudo por causa dascarícias a Idina Menzel e dos amassos a Scarlet Johansson durante a gala e que estão a dar muito falatório nas redes. A BBC questiona o estilo “touchy-feely” de Travolta e lembra outros casos em que houve proximidade a mais: numa cimeira do G8 Merkel não gostou quando George W Bush lhe tentou fazer uma massagem nas costas. Ou mais recentemente quando o vice presidente do EUA, Joe Biden, agarrou a secretária da Defesa, tocando-lhe nos ombros ao mesmo tempo que lhe falava ao ouvido. Escândalos? Só mesmo na América!

FRASES

“Acho que o Governo português foi imprudente. A fotografia não foi a melhor, talvez fosse melhor termos seguido o exemplo da Irlanda”,António Vitorino, na SIC Notícias, sobre a atuação do Governo português na crise grega.

“A malta acha que o Syriza é simpático e por isso não gosta que se maltrate o Syriza. Penso que o primeiro-ministro [Passos Coelho] a certa altura percebeu isso. Agora pergunte se lá estivesse o António Costa o que é que ele faria?”. Pedro Santana Lopes, na SIC Notícias, sobre o mesmo assunto.

"Numa união a 28 não é possível prometer um resultado que depende de negociações com várias instituições, múltiplos governos, de orientações diversas".António Costa, líder do PS, na conferência da Economist.

"TAP privada vai ser uma companhia bem melhor", Michael O’Leary, CEO da Ryanair, ao Jornal de Negócios.

O QUE ANDO A LER

A presença do Daesh (o autodenominado Estado Islâmico) na Líbia levanta sérias questões à Europa. O país ganhou uma importância estratégica para os radicais. E por várias razões: “o caos, a abundância de armas e recursos naturais, mas sobretudo a sua posição no mapa”.

Neste site, Jihad&Terrorism Treat Monitor, podem ler-se duas cartas publicadas online de Abu Irhim Al-Libi, um apoiante dos jihadistas, que descreve as vantagens da ocupação de território líbio. No primeiro texto Al-Libi lembra que o país faz fronteira com o Egipto e a Tunísia e, mais importante, sublinha que é uma porta de entrada estratégica para a Europa ("Libya: The Strategic Gateway For The Islamic State"): “é fácil para muitos ilegais chegarem ao sul da Europa e, com um cuidadoso planeamento, é possível tornar esses países (do sul da Europa) num ‘inferno’” escreve o apoiante.

Num segundo texto, com o título “A cruzada francesa na Líbia”, Al-Libi prevê que em breve os franceses vão lançar uma intervenção militar para proteger os seus interesses e para controlar os movimentos dos mujahideens. O artigo termina com uma ameaça:“Os muhahideens vão esperar-vos. O deserto no sul da Líbia vai tornar-se num cemitério para os vossos soldados”(Libya's southern desert will become a "graveyard for your [France's] soldiers and their body parts…")

Deixem-me ainda aconselhar-vos este artigo, “What ISIS really wants” (de leitura mais demorada) da The Atlantic. Neste trabalho, Graeme Wood, o autor, fala de uma organização que continua a ser mal entendida pelo Ocidente e que não deve ser vista como um grupo de psicopatas. Wood diz que se trata de um grupo com crenças bem estruturadas e que entre elas está o apocalipse. O “End of Days” é aliás descrito como uma peça central para perceber o que os move, mas também para os conseguir parar.

Para concluir, um epílogo. Ou melhor um “Épilogue”. Trata-se do disco de Samuel Lercher Trio (da Sintoma Records) com temas originais e arranjos de grandes clássicos do Jazz.

O som de Samuel Lercher (que para ser totalmente transparente é meu cunhado) é sem dúvida um ótimo suplemento para arrancar o dia.

Hoje fico-me por aqui. Amanhã o Expresso Curto sai com o Ricardo Costa. Às 18 horas temos Expresso Diário. E não esqueça que estamos sempre em www.expresso.pt

Bom dia e até à próxima!

Sem comentários: