domingo, 24 de julho de 2016

Angola. DAS VIÚVAS NA OMA AOS QUE DOS SANTOS DESPEJA NA LIXEIRA

PARTILHAR


Fernando Vumby, opinião

ORGANIZAÇÃO DAS MULHERES DE QUEM O MPLA MATOU OS SEUS MARIDOS?

Quando olho para essas mulheres vestidas de preto, vermelho e o amarelo á primeira imagem que se desfila na minha memória é a daqueles tantos homens que já tinham esposas, namoradas e irmãs na OMA e no fim ate acabaram eliminados pelos seus próprios camaradas do MPLA.

É de arrepiar sim, o numero de mulheres angolanas viúvas que estão na OMA erguendo a bandeira de um MPLA que lhes matou os seus próprios maridos e lhes tirou inclusive ate o direito de sentirem a dor pela perca dos seus entes queridos, e se mostrarem como viúvas de homens que ontem serviram o regime e acabaram mortos pelo próprio regime.

O mais provável é que uma parte significativa dessas mulheres que vivem uma felicidade fingida se oferecendo, quando não forçadas para estarem na OMA em troca de cargos e não só, não sabem o que simboliza para nós que vimos mulheres serem assassinadas e violadas nas cadeias as cores do MPLA.


MATARAM-LHES OS MARIDOS E FILHOS E HOJE ERGUEM A BANDEIRA DOS ASSASSINOS?

Muito embora este comportamento destas mulheres seja uma mistura de medo, falta de sentimentos, ingenuidade e bajulação porque dá posto de trabalho e reputação no reino da corrupção, uma grande parte delas não só exageram pela forma como defendem um regime brutal, como perderam a coragem de contarem aos seus próprios filhos hoje crescidos as verdades sobre as mortes dos seus próprios maridos.

Não gostaria de terminar este texto sem vos deixar aqui dois depoimentos inéditos de duas mulheres que visitei em (1979) logo depois que fui liberto das masmorras da DISA onde cumpri dois anos de cadeia como preso político sem julgamento, sem acusação e se calhar por não termos dado mesmo o golpe de Estado.

Será que cada povo tem mesmo o regime que merece?

Curiosamente estas mulheres hoje mais velhas, algumas já cansadas, doentes e sem o charme do antigamente ate hoje se orgulhosamente ou não, isto pouco importa neste momento verdade é que continuam erguendo a bandeira da OMA/MPLA.

1 ) - Quando prenderam meu marido também fui levada e para lhe obrigarem á falar coisas de que ele até nem sabia , mesmo ao lado dele os carcereiros me deram com uma coronhada na cabeça e logo depois fui solta confessou-me a ( yyyyyyyyyyy ) uma senhora que perdeu seu marido nos acontecimentos do dia 27 de Maio de1977, mas ate hoje continua defendendo o mesmo MPLA que lhe matou o marido.

2 ) - Levaram-me duas vezes á CR ( Casa da Reclusão ) só mesmo para assistir o meu namorado á ser torturado para o obrigarem á fazer confissões estranhas antes de o matarem e nós ate hoje nem soubemos onde esconderam o seu corpo.

DOS  SANTOS IGNORA OS ADVOGADOS, O POVO E SEUS  PRÓPRIOS CAMARADAS  PONDO TODOS NA MESMA LIXEIRA

Hoje quando se olha para os julgamentos de políticos e de pessoas estampadas como desagradáveis (personas non gratas) para o sistema vigente em Angola estes na sua maioria encomendados e com penas já reservadas decretadas pela presidência da republica se fica com a sensação de que os advogados de defesa já não têm razão de existência.

Pois desde jeito acabam mesmo por fazer o papel de pobres atrapalhados no meio de uma lixeira , tão desvalorizados pelo regime brutal sob gestão de JES que são , num país onde os sem poder continuam insistindo á se alimentar das leis existente para buscarem argumentos seguros e sólidos , enquanto os com poder desvalorizam completamente as leis existentes e vigentes no país , então não é mesmo caso para se começar á tomar os advogados como pobres coitados no mesmo lixo ?

O que adianta os argumentos sólidos de um advogado de defesa baseados nas leis escritas , se já se sabe que serão pura e simplesmente ignorados , porque afinal as leis não são aquelas que estão escritas no papel , mais sim uma única pessoa constitui e é concebido como lei o presidente da republica?

Eu acho que ate mesmo os advogados em Angola têm dificuldades em perceber que o tal livre direito do exercício da advocacia reconhecido no texto constitucional como uma atividade indispensável para a materialização da justiça pretendido pelo ordenamento jurídico angolano é uma farsa, pois senão desde á muito que desvalorizariam o papel escrito e tomariam como leis o presidente da republica.

É absurdo e perverso, mas precisamos não esquecer que Angola é um país atípico , com praticas e comportamentos fora do normal, onde tudo e todos que não estão com á cabeça virada para baixo, foi metido na mesma lixeira pelo presidente da republica.

Quais Prerrogativas os advogados têm afinal em Angola, senão o de estarem á defender argumentando para os surdos, cegos e mudos por conveniência, que os ignora , desvaloriza-os e os humilha porque afinal as leis são eles e quem não as tem são obrigados á obedecer se não quiser apanhar com barras de ferros ás costas.

Na verdade o que deve prevalecer na cabeça de qualquer angolano com o mínimo de racionalidade é o pensamento de que o livre exercido da advocacia que se configura como uma via de afirmação da justiça sim, mais num Estado Democrático de Direito o que Angola não é mesmo apesar de haver alguns fingimentos para dar á entender que é.

Fórum Livre Opinião e Justiça - Fernando Vumby

PARTILHAR

Author: verified_user

0 comentários: