Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

sábado, 20 de agosto de 2016

Angola. Congresso MPLA. José Eduardo dos Santos reconduzido com cinco votos contra



Actual chefe de Estado angolano foi eleito com 99,6% dos votos do MPLA.

O líder do Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA), José Eduardo dos Santos, foi reconduzido no cargo com 99,6% dos votos, no VII congresso ordinário do partido.

José Eduardo dos Santos, único candidato à presidência do partido, foi eleito com 2.543 votos a favor, cinco contra e cinco abstenções.

Em simultâneo, foi hoje votada a única lista de 363 membros do Comité Central, que passou com 2.511 votos a favor, 37 contra e sete abstenções, correspondente a 98,35% da votação.

Num momento em que persistem dúvidas sobre a sucessão na liderança do partido e na candidatura do MPLA às eleições gerais de Agosto de 2017, destaca-se a estreia de dois dos filhos de José Eduardo dos Santos no Comité Central.

José Filomeno dos Santos (conhecido como ´Zenu´) chega a este órgão proposto pela estrutura da juventude do partido, a JMPLA, e Welwitchia dos Santos (conhecida como ´Tchizé') proposta pela estrutura feminina do partido, a Organização da Mulher Angolana (OMA).

Os dados avançados à imprensa pelo porta-voz do congresso, Manuel Rabelais, dão conta que a eleição, pela primeira vez por voto electrónico, decorreu "dentro do maior civismo e foi marcada pela transparência e democracia".

A estreia de novas tecnologias no conclave, segundo o porta-voz, garantiu "maior precisão de votos, lisura e economia de tempo".

Na terça-feira acontece a primeira reunião do Comité Central eleito, no qual serão conhecidos o novo vice-presidente do partido, o secretário-geral e os membros do Bureau Político.

No terceiro dia de trabalhos do congresso, foram discutidas e aprovadas a resolução sobre a Moção de Estratégia do líder do partido para 2017-2021, o relatório dos Estatutos do Partido, os documentos finais Moção de Apoio ao Presidente Eleito pela dedicação ao MPLA, ao país e à pátria.

Foram também aprovadas a Moção de Reconhecimento dos membros do Comité Central que cessaram o mandato, pela sua dedicação e empenho, a Moção de Agradecimento às individualidades intelectuais e colectivas que apoiaram a realizaram do VII congresso ordinário do partido, bem como apreciaram e aprovaram a Resolução Final, cujo conteúdo será divulgado na cerimónia de encerramento no sábado.

No poder há praticamente 37 anos, o líder e Chefe de Estado anunciou em Março a sua saída da vida política.

Numa recente reunião do Comité Central, José Eduardo dos Santos disse que em 2002, em eleições gerais, foi eleito Presidente da República e empossado para cumprir um mandato que nos termos da Constituição da República termina em 2017.

"Assim, eu tomei a decisão de deixar a vida política activa em 2018", disse na altura.

Renascença

Sem comentários: