quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Ativistas anti-China celebram vitória em Hong Kong



Hong Kong, China, 05 set (Lusa) - Uma nova geração de jovens que defende a separação de Hong Kong da China ganhou, pela primeira vez, espaço no parlamento da antiga colónia britânica.

Esta foi a maior votação desde que os protestos pró-democracia de 2014 falharam em conseguir a reforma política desejada, gerando o aparecimento de vários novos partidos que exigem maior autonomia em relação a Pequim.

Esses partidos conseguiram agora dar o primeiro passo para dentro do Conselho Legislativo (LegCo, parlamento), com cinco jovens candidatos que apoiam a independência de Hong Kong a conquistar assentos.

Observadores consideraram esta vitória como uma "forte mensagem para a China", que se tem oposto a candidatos que apoiam uma separação da região administrativa especial.
No total, o campo pró-democracia conseguiu 30 assentos de 70, contra os 40 da ala conservadora.

Um número recorde de 2,2 milhões de pessoas votaram para o parlamento, numa altura de grande tensão e receio de um crescente 'cerco' de Pequim a Hong Kong e às liberdades que o seu estatuto de semi-autonomia lhe confere.

A liderar a nova 'vaga' no LegCo está Nathan Law, de 23 anos, líder do 'Movimento dos Guarda Chuvas' de 2014, que conquistou mais de 50 mil votos e se tornou o membro mas jovem do parlamento.

Law e o seu novo partido Demosisto pedem um referendo sobre a independência, sublinhando o direito das pessoas de Hong Kong de escolherem se querem ou não separar-se da China.

"Acho que as pessoas de Hong Kong querem mesmo uma mudança. Os jovens têm um sentimento de urgência no que toca ao futuro", disse Law, ao celebrar a sua vitória.

Com o campo pró-democracia dividido entre os que apoiam a ideia de uma possível independência e aqueles que receiam o tema, até ao momento considerado um tabu, Law garante que vai tentar criar união.

"Temos de estar unidos para lutar contra o Partido Comunista [Chinês]", disse.

Law vai ter a companhia de Yau Wai-ching, de 25 anos, do partido recém-formado Youngspiration. Do mesmo partido independentista foi eleito Sixtus 'Baggio' Leung, de 30 anos.

Eddie Chu Hoi-Dick, um candidato radical pró-independência que centrou a sua campanha sob o pressuposto da equidade do uso das terras nas zonas rurais de Hong Kong, foi um dos candidatos mais votados, com mais de 84.000 votos.

Também eleito foi Cheng Chung-tai, 32 anos, do grupo independentista Civic Passion.

Entre as novas caras está ainda a professora universitária Lau Siu-lai, que apesar de envolvida com o 'Movimento dos Guarda Chuvas' não apoia ideias de independência.

Juntos, os novos candidatos pró-democracia e os pan-democratas tradicionais asseguram 19 assentos nos círculos eleitorais definidos por áreas geográficas. Isto significa que mantêm poder de veto num sistema bipartido de voto para bloquear legislação.

No entanto, nos círculos eleitorais definidos com base em setores profissionais e corporativos - onde 30 assentos são eleitos por 6% do eleitorado - a maioria (24) continua controlada por figuras pró-governo.

O LegCo é composto por 70 lugares, mas apenas 35 resultam de candidaturas apresentadas individualmente por cidadãos e do voto direto de 3,77 milhões de eleitores, em cinco círculos eleitorais definidos por áreas geográficas.

Outros 30 lugares são reservados a círculos eleitorais definidos com base em setores profissionais e corporativos - que vão desde áreas como a agricultura e pescas, à saúde e direito - que estão divididos em 28 categorias.

Os cinco lugares restantes - conhecidos como 'super assentos' - constituem um híbrido dos dois sistemas.

Os candidatos são previamente escolhidos nas eleições distritais, tendo depois de obter o apoio de pelo menos 15 conselheiros distritais, antes de finalmente serem submetidos ao voto de quase todos os eleitores, à exceção dos que votam nos círculos profissionais e corporativos.

ISG (DM/FV) // VM


Sem comentários: