terça-feira, 6 de setembro de 2016

CALOR, CHOQUE E ESPANTO… INCÊNDIOS, INCÊNDIOS!



Bom dia… Talvez sim. Provavelmente não. Muito calor, dizem. O ar condicionado faz milagres, para quem dele pode usufruir. Os trabalhadores agrícolas, os da construção civil, os que andam por aí no exterior… esses levam com todas as intempéries e chega ao dia de receberem o ordenado e lá vem uma poia de números rasos que não chegam para viverem uma vida decente. Bom dia para vós, escravos, explorados e oprimidos! Revoltem-se!

Os dótores de canudos comprados, oferecidos e nem por isso, os chulos dos gestores da alta… Os quejandos daquelas estripes nocivas à sociedade justa e igualitária… Bem, esses lá estão abrigados nos ares condicionados, naqueles edifícios cheios de requintes, cheios de mordomias, popós com ar condicionado à maneira, motoristas, madames prostitutas que são amantes e não amantes mas que têm cricas saborosas e bem cheirosas apesar de serem umas grandes mulas a condizer com os seus compradores… Oh diacho, a prosa está a ficar entornada. O melhor é compor porque as verdades, as realidades, são nocivas para caraças, doem, e nem nisso é bom pensar que é para não andarmos a matutar até nos libertarmos e corrermos com essa cambada de salafrários. Bom mesmo é alienarmo-nos.

Futebol, hoje, amanhã, depois… e por aí adiante. Em Outubro é Fátima. O fado… Ele há muito de qualidade. Além disso nas rádios de hoje ouve-se muito pouco. Aliás, as rádios são mais anglófonas que outra coisa. Até a TSF anda a descarrilar e passa mais música que o Geraldo Rapaz do Som aí numa discoteca da moda. À séria é que a TSF já não é nas 24 horas do dia. Foi fundada com uma grande luta para que se estão borrando os que lá mandam. Veio para mudar as rádios e agora está a ficar igual à trampa das rádios do zuca-zuca. Mídia de grupos. Ou será merda de grupos de mídia?

Em frente. Que é o mesmo que escrever adiante. Vem aí o Expresso Curto servido por Pedro Santos Guerreiro. Está morno. A maioria detesta café morno. Para isso metemos no frigorífico uns quantos e bebemos refresco de café, do caseiro. Sem nhanhas. E cai que nem ginjas. Melhor que um expresso curto. Com este calor recomenda-se.

Bora lá, para o fecho desta prosa da treta. Pois.

BPI, bancos, banqueiros. Numa palavra: chulos. Noutra palavra: vigaristas. Ainda noutra palavra: ladrões. É assim que os portugueses vêem os banqueiros. Eles sabem disso mas continuam na mesma. O povinho, ao contrário, corrige-se compulsivamente e em vez de comer menos opta por passar fome. Opta? Que remédio tem!

Estatísticas levam o Guerreiro do Curto a escrever que bebemos mais vinho e a comer mais carne. Pois. O melhor para se estar neste país é andar bêbado. Quanto a comermos mais carne… O caraças! As estatísticas não incluem a triagem real. É que os que roubam comem mais carne, mas os pobres não. Os que vivem à conta dos orçamentos que os portugueses pagam com língua de palmo e meio (políticos, grandes empresários, dótores, etc.) comem cada vez mais carne – até a do nosso corpo. Canibais, pois são. Já chegaram a isso. Quanto aos cada vez mais pobres, perdem a carne do corpo e nem por sombras comem mais carne. Estatísticas da treta que dá para enganar por não especificar que uns poucos comem tudo e não deixam nada.

No Curto vem a abordagem à tropa de merda. Aquela que tem graduados que são umas bestas do tamanho do Evereste. Com um calor do caraças e lá morrem desgraçados de soldados em exercícios. É a mentalidade das exigências desumanas e acachapantes da condição dos direitos dos cidadãos. Estilo: “um soldado não se queixa, não protesta, nem que lhe passem um mangalho pela boca”. Depois, eis o resultado. Pois. O caraças. Por essas e outras é que levei “montanhas de porradas” mas não aparei todos os golpes (caderneta militar nunca a vi). Muito menos essa de quererem convencer que somos super… E blá, blá, blá. O tanas. Somos humanos. E agora apurem lá quem são os responsáveis pelo desastre militar que aconteceu e acontece de vez em quando. Impunidade, é o que vai sair dos inquéritos. Ou então lixam um baixinho, as patentes upa-upa é que não. Esses são os cérebros da treta e da desgraça dos filhos do povo que massacram. Porra!

O caldo está mais que entornado. Aqui não consta nada de jeito. Como neste Expresso Curto, provavelmente. Por mim só li os parágrafos ao princípio e sobre a cultura (livros e etc.). Já não há pachorra. Depois de umas boas férias quem é que é capaz de ler isto tudo? Livra!

Calor, choque e espanto, para hoje… outra vez. Incêndios é o que não vai faltar.

Mário Motta / PG

Bom dia, este é o seu Expresso Curto

Pedro Santos Guerreiro – Expresso

A vida como ela é...

Hoje Portugal joga contra a Suíça, no primeiro jogo de apuramento para o Mundial.

Hoje o BPI amanheceu com as ações suspensas. Há assembleia geral para ver se há ou não OPA espanhola. Ou se fica tudo na mesma.

Hoje bebemos mais vinho e comemos mais carne do que há um ano.

Hoje quatro em cada cindo jovens estão dispostos a emigrar.

Hoje está calor.

Muito calor.

Hugo Abreu estava no Exército há quase um ano. Na altura em que entrou, escreveu no Facebook uma frase do padre António Vieira: “As feridas são a gala e glória dos soldados, como dos mártires. Quanto mais feridos, mais retalhados e mais despedaçados, tanto mais valentes, mais honrados, mais famosos”.

Hugo morreu num treino por choque de calor. Era da Madeira. “Dava-se bem com toda a gente”, recordam os vizinhos à SIC. O Governo manifestou “profunda consternação” com morte de militar. Dylan Araújo da Silva, outro soldado, deu entrada no hospital em estado muito grave. Tinha a temperatura do corpo seis graus acima do normal. Está livre de perigo de vida.

Calor, calor, calor.

O Algarve e a costa vicentina registaram em julho e agosto a água do mar mais quente dos últimos 16 anos, com temperaturas médias que chegaram a atingir 23,9 graus. Segundo o Instituto Hidrográfico da Marinha, a água chegou a atingir um máximo de 26,5º.

Hoje as temperaturas vão continuar muito altas. Mas amanhã,antecipa o Jornal de Notícias, elas caem e muito. A aproximação de uma frente fria fará descer as temperaturas a partir desta quarta-feira, detalha a Mafalda Ganhão.

Hoje falaremos de Nelson Rodrigues, mas é lá mais em baixo. “A vida como ela é…”.

Lembra-se do “bebé milagre”, que cresceu no útero de uma mãe que morreu antes de ele nascer? Já tem três meses. E, como escreve a Christiana Martins, está tudo bem.

Bom dia, hoje.

OUTRAS NOTÍCIAS

Diana Qer, 18 anos, é espanhola. Está desaparecida desde 22 de agosto, depois de ter sido vista pela última vez na Corunha. As buscas pelo seu paradeiro estendem-se agora a vários países, incluindo Portugal.

Os advogados de José Sócrates defendem que o ex-primeiro-ministro já pode voltar a contactar com os outros arguidos do processo Marquês desde este domingo, 4 de Setembro. A notícia está no Negócios.

Foi detido no Brasil o suspeito de um triplo homicídio em Portugal. Segundo o jornal “Estado de Minas”, Dinai Alves Gomes será encaminhado para a Penitenciária Nelson Hungria, uma prisão de segurança máxima de Minas Gerais. Pode ser condenado a um máximo de 99 anos. O cidadão brasileiro é suspeito de assassinar Thayane Milla Mendes Dias, de 21 anos, e as irmãs Michele Santana Ferreira, de 28, e Lidiane Neves Santana, de 16.

Na Guarda, um pai de 84 anos terá ferido um filho de 64 e morrido com um tiro.

Neste início do ano letivo, o ministro da Ciência e Ensino Superior escreveu uma carta às instituições de ensino superior criticando o “abuso e humilhação” das praxes, revela o Público. Manuel Heitor pede iniciativas alternativas de receção aos novos alunos. O governante “quer afastar comissões de praxe e pôr cientistas a receber novos alunos”, escreve o diário.

A maioria dos jovens portugueses está disposta a emigrar, segundo um inquérito lançado em julho pela rede Universia. 80%. O mesmo estudo mostra que, mais do que o salário, são as perspetivas de desenvolvimento profissional que pesam na escolha do emprego.

Os portugueses estão a comer mais carne, batata e arroz e a beber mais vinho e menos leite. Dados do INE, analisados pelo Negócios. Em média, cada português bebeu 47,6 litros de vinho em 2015, mais 6,5 litros que no ano anterior.

Muitas escolas estão a ignorar a lei e continuam a vender doces embalados e bebidas açucaradas, avança o Diário de Notícias.

Superbactéria volta a infetar doentes em vários hospitais, revela o Jornal de Notícias em manchete. Trata-se da multiresistente KPC (Klebsiella pneumoniae carbapenemase ), que no ano passado vitimou três pessoas em Gaia e este ano matou três pessoas em Coimbra. Neste momento, há 10 doentes isolados no Centro Hospitalar Conde Ferreira, no Porto.

Cristas e Passos ao ataque, Jerónimo à defesa: recomeçou o campeonato político, resumem a Cristina Figueiredo e Rosa Pedroso Lima. Depois dos discursos do fim de semana, o “ano político” está de volta, com a proposta do Orçamento de Estado para 2017 em preparação.

Depois de Assunção Cristas e Passos Coelho terem discursado ao mesmo tempo, disputando os diretos das TV, as pazes estão feitas, noticia o DN. Vai haver troca de informação privilegiada entre PSD e CDS no Orçamento.

Outro dos discursos do fim de semana foi de Jerónimo de Sousa. Veja a fotogaleria da festa do Avante!

António Costa está no Brasil, numa visita de quatro dias, e anunciou que vai lançar duas missões de captação de investimento, uma política e outra empresarial.

O Nobel da Economia Joseph Stiglitz disse ontem na Antena 1 que Portugal tem mais a ganhar em sair do euro do que em ficar.O Henrique Monteiro discorda, argumentando que Stiglitz não conhece Portugal. No Jornal de Notícias, Mariana Mortágua escreve que “a heresia de Stiglitz está correta”.

"Aumento de impostos não deve servir para reduzir dívida pública", escreve Vítor Gaspar, citado no DN.

A agência de “rating” Fitch diz que a redução do IVA, as 35 horas e os resultados da Caixa Geral de Depósitos podem prejudicar meta do défice. O governo garante que o cumprirá.

No BPI, é dia de assembleia geral decisiva para a desblindagem de estatutos, que viabiliza ou não a OPA do Caixabank a que Isabel dos Santos tem resistido. A Assembleia Geral pode ser suspensa e dar… em nada. (A Isabel Vicente explica o que se passa no BPI em cinco pontos).

Em Lisboa, as obras para a segunda circular estão suspensa sdepois de denunciado um possível conflito de interesses de uma empresa envolvida no projeto e fornecedora da obra. Aquela que era a principal obra de Fernando Medina está comprometida, a pouco mais de um ano de eleições autárquicas. Fernando Nunes da Silva, antigo vereador de mobilidade da Câmara, diz na TSF que esta é uma mera desculpa para travar um projeto que levaria o PS a perder as eleições. O projeto sempre mereceu críticas. Miguel Sousa Tavares disse ontem na SIC que “querer transformar a segunda circular numa alameda é uma coisa que não tem pés nem cabeça”.

Quer parecer que faz muito? Diga que fez o que ainda não fez. Como um antigo juiz do Tribunal Administrativo de Mirandela, que foi condenado a dois anos e 11 meses de prisão suspensa, pelos crimes de falsidade informática e abuso de poder: dava como concluídos processos que ainda não tinham sentença, de modo a aumentar artificialmente a sua produtividade.

Obama reconhece o direito de protesto a Colin Kaepernick, jogador de futebol americano que na semana passada permaneceu sentado enquanto se ouvia o hino dos EUA, em sinal de protesto contra a discriminação racial.

Angela Merkel teve uma derrota eleitoral nas eleições regionais no estado de Mechlemburgo-Antepomerânia, que foram ganhas pela direita populista. A chanceler admitiu que a derrota está relacionada com a sua política para os refugiados. Mas diz que não vai alterá-la.

Em Espanha, o impasse político mantém-se. Depois da tentativa falhada de investidura de Mariano Rajoy na sexta-feira, o rei Felipe VI pediu aos líderes partidários que entrem num novo período de “diálogo, concertação e compromisso” que leve à formação de uma solução de governo.

Foi por causa do FMI que José Eduardo dos Santos “demitiu” o seu ministro das Finanças, Armando Manuel, explica o Gustavo Costa.

A Organização Mundial de Saúde declarou que o Sri Lanka está livre de malária.

Desporto. A seleção de Portugal joga hoje contra a Suíça, às 19:45. Pode acompanhar na Tribuna Expresso. Nani (capitão até ao regresso do ainda lesionado Cristiano Ronaldo) faz a antevisão: é o primeiro passo para estar no Mundial. Já Fernando Santos diz que não é por sermos campeões europeus que vamos ganhar. “Num peito cheio não cabe a presunção”, escreve o Diogo Pombo, nova contratação da equipa do Expresso.

“Já viste o que teria sido se tivesse jogado com a Geração de Ouro?”, pergunta Paulo Futre ao Pedro Candeias.

Segundo o Diário de Notícias, o Real Madrid apresentou queixa do Benfica no Tribunal Arbitral do Desporto. Em causa está a venda de Garay para o Zenit em 2014, por um valor de que o Real desconfia, por achá-lo demasiado baixo. A decisão está prevista para este mês.

Depois da saída de Antero Henrique, em desacordo com a influência crescente de Alexandre Pinto da Costao seu sucessor Luís Gonçalves já começou a trabalhar no FC Porto.

FRASES

“António Costa vai ter um exercício de malabarismo muito difícil”. Miguel Sousa Tavares, na SIC.

“Vai demorar anos a sair da crise”. Marcelo Rebelo de Sousa, citado pelo Negócios.

“Muitos serão mortos até que o último vendedor fique fora das ruas”. Rodrigo Duterte, presidente das Filipinas, num discurso contra o tráfico de droga.

“Antigamente, a seleção era uma casa de repouso”. Vítor Paneira, antigo jogador do Benfica, na Tribuna Expresso.

O QUE EU ANDO A LER

Já se sabe o que Marcelo Rebelo de Sousa andou a ler e recomendou a António Costa e Pedro Passos Coelho que lessem: Elena Ferrante. Já escrevemos aqui no Expresso Curto sobre os seus livros e a Cristina Margato explica em “a voz que nos persegue” quem é a escritora que não se sabe quem é.

Mas o que eu ando a ler é outro contador de histórias, o brasileiroNelson Rodrigues, que durante dez anos publicou uma coluna no jornal “Última Hora”: “A Vida Como Ela É…” São contos muito pequenos, que já deram origem a livros, peças de teatro e filmes. E de que uma escolha é agora publicada em Portugal pela Tinta da China.

Contos pequenos, sim, de histórias de vidas, crimes passionais, canalhices e sempre muito humor, que nascem desta “conciliação do dramaturgo genial com o jornalista experiente”, como escreve Abel Barros Batista na introdução do livro. “Pode ser que a habilidade de entranhar frases memoráveis em histórias inconcebíveis seja o segredo do sucesso destas”, adita, num texto que abre com esta citação de Nelson Rodrigues:

“A virtude é triste, amarga e neurastênica”.

Nelson, que escreveu que “não se pode amar e ser feliz ao mesmo tempo", escrevia que “a perfeita solidão exige uma companhia ideal”. E se até falou de homens para quem “toda a mulher gosta de apanhar”, admitia que “todo o homem tem pelo menos um momento em que é um canalha”.

“Eu acabo maluco e a família não sabe!”

A vida como ela é. E como ela segue, aqui no Expresso, todo o dia no site, às 18 no Diário e no sáb… enfim, você já sabe o resto.

Tenha um excelente dia.

Sem comentários: