sábado, 15 de outubro de 2016

CUBA É PATRIMÓNIO DA HUMANIDADE!




1 – A Embaixada de Cuba em Angola assinalou o 40º aniversário do ato terrorista que levou ao derrube do avião que cumpria o voo CU-455, entre Barbados e a Jamaica, uma data que Cuba lembra anualmente como o Dia das Vítimas do Terrorismo de Estado, associando à deliberada continuação do bloqueio, enquanto esteio da agressão permanente das sucessivas administrações norte-americanas a Cuba, de há mais de 50 anos a esta parte.

Esse ato, foi um de muitos outros atos terroristas que foram atingindo Cuba bloqueada, entre as mais variadas ementas de desestabilização de que Cuba tem sido vítima ao longo dos mais de cinquenta anos últimos.

Desse modo a hegemonia unipolar aproveita-se de Cuba para criar em ambiente fechado, (com Cuba bloqueada), um autêntico laboratório onde têm sido levado a cabo as mais extravagantes experiências características do tenebroso exercício de domínio imperialista, experiências essas que depois vai aplicar a outras partes do mundo, com os resultados que por exemplo William Blum tão esclarecidamente tem evidenciado e compendiado.

Toda essa conjuntura criminosa atentando contra os mais elementares direitos humanos (em função da dimensão e impactos do bloqueio por via de suas múltiplas aplicações económicas, financeiras, culturais e outras, bem como dos atos terroristas e as ementas de desestabilização que têm sido praticados tirando partido do enquadramento do bloqueio), teve a participação de sucessivas administrações norte-americanas que se empenharam contra Cuba, na espectativa de que assim a hegemonia unipolar iria conseguir romper a intrínseca identidade e unidade entre a revolução progressista e o povo cubano.

A manobra tem sido de tal maneira imperiosa e persistente que o exercício de dois mandatos do Presidente Barack Hussein Obama não foi suficiente para demover o Congresso a levantar o bloqueio, continuando as experiências agora com recurso às novas tecnologias, numa perspetiva de fracionar a própria sociedade cubana, sempre com vista a quebrar a resistência e a unidade da revolução com o próprio povo, acabando com o seu projeto socialista.

2 – A sabotagem criminosa do voo CU-455, tem pois um significado muito amplo e não se pode circunscrever ao ato em si, até por que outros atos terroristas e de agressão têm sido praticados contra a Cuba, por via de contínuas ingerências e manipulações, explorando da maneira mais pérfida o carácter do próprio bloqueio.

Toda essa terrível aprendizagem a partir da experiência foi importante para o poder da hegemonia unipolar, com vista a procurar aplicar noutras partes do mundo esse tipo de modelos de desestabilização e ementas vinculativas, dando cada vez mais espaço ao caos e ao terrorismo, num quadro em que entre os seus vassalos se enquadram os falcões israelitas e as monarquias arábicas feudais.

Sintomática tem sido a expressão anual da Assembleia Geral da ONU: só Israel e os próprios Estados Unidos votam a favor da manutenção do bloqueio, contra o resto da humanidade!...

Cuba tornada laboratório resistiu até hoje e quase tudo o que ali foi experimentado não vincou em relação à ilha nos seus objetivos geo estratégicos, mas acabou por resultar em muitas das outras paragens onde esse tipo de experiências foi aplicado em função das vulnerabilidades de uma parte importante das nações, estados e povos, em todos os continentes.

Entre essas experiências são conhecidas as “revoluções coloridas” e as “primaveras árabes”(efetivamente contra revoluções), introdutórias à degeneração de caos e de terrorismo.

Teorias múltiplas têm sido formuladas em Universidades elitistas (como por exemplo as financiadas pela Fundação Rockefeler), em reforço da realização substantiva desse tipo de projetos…

Sob os olhos da humanidade e atingindo o seu próprio corpo social e político, desfilam “escolas”como as de Milton Friedman (neoliberalismo e seus processos traumáticos de choque e de domínio“soft power” em forma de terapia), Leo Strauss (fonte de inspiração dos neoconservadores), Gene Sharp (manual de autoajuda para os golpes de estado)…

Todas essas nações, estados e povos devem portanto estudar Cuba enquanto laboratório por três razões essenciais:

- Para melhor avaliar o que a hegemonia unipolar vai disseminando pelo mundo num quadro de novas tecnologias e globalização, atingindo em cheio e no seu miolo as sociedades-alvo;

- Para por fim melhor se inspirar nos ensinamentos geo estratégicos que a resistência socialista cubana proporciona de forma clarividente e humana, conforme ao significado vivencial de que“pátria é humanidade”;

- Para conhecer as medidas de inteligência que Cuba foi obrigada a desencadear a fim de, tirando partido do carácter dos mecanismos do poder nos Estados Unidos, infiltrá-los a fim de suster o terrorismo de sua própria emanação.

O mundo pode aprender com Cuba como tem sido possível garantir essa resistência heroica e inteligente, em benefício da unidade, num quadro traumático próprio dum laboratório experimental conforme às mais perversas intenções imperialistas.

3 – As prioridades do socialismo cubano em termos de educação e saúde, que estão a conduzir ao desenvolvimento científico, assim como as medidas coerentes de respeito para com a Mãe Terra, são os eixos estratégicos e humanizados da resistência cubana.

Às tensões, conflitos e guerras impostas pelo império, Cuba contrapõe a clarividência no exercício da paz social possível, tornando-se assim um pequeno farol sinalizador para toda a humanidade, pela sua filosofia, doutrina e lúcida prática marxista-leninista.

 Ao caos e terrorismo Cuba responde com inteligência, conforme o exemplo dos 5 heróis… à barbárie Cuba responde com a sabedoria humanizada daqueles que tudo fazem pela paz de acordo com uma lógica com sentido de vida.

Os esforços na educação e na saúde estão de forma vital vocacionados para a formação das novas gerações, influindo substantivamente nas respostas solidárias e internacionalistas de toda a sociedade, com tal expressão que Cuba se abre ao mundo, numa energia imparável que em muitos aspetos vai rompendo com o próprio bloqueio.

O respeito para com a Mãe Terra, associado a todos esses esforços com atenção prioritária voltada para a formação de novas gerações, permite que o turismo, para muitos uma “indústria de paz”, se tenha vindo a tornar, paulatinamente, num dos mais importantes sectores de atividade económica e financeira em Cuba.

O exercício da independência e da soberania tem sido garantido ao povo cubano pela revolução socialista nesses precisos termos humanizados e essa resposta contrasta com as pérfidas razões do império armado do bloqueio e de todas as sevícias laboratoriais que o anima, integrando o pacote geral de desestabilização global.

Mais que votar hoje na ONU contra o bloqueio, as nações, estados e povos da Terra, em especial os membros do Movimento Não Alinhado, deveriam reconhecer, desde logo na Assembleia Geral, que Cuba é património de e para toda a humanidade!

Imagens:
- Duas fotos do ato celebrado nas instalações diplomáticas cubanas em Luanda, que contaram com a prestigiosa presença da camarada Maria Eugénia Neto;
- O Herói cubano, oficial de inteligência e combatente anti terrorista Gerardo Hernandez, discursando em Cuba, no ato do Dia das Vítimas do Terrorismo de Estado, realizado no cemitério de Colón em Havana;
- Cópia de documento desclassificado relativo à operação terrorista realizada contra o voo CU-455 nos Barbados;
- Foto do monumento erigido em memória das vítimas.

A consultar:
- "El bloqueo de EEUU causó a Cuba daños por 4.680 millones de dólares el último año" – https://actualidad.rt.com/actualidad/218338-cuba-presentar-informe-anual-bloqueo-embargo-eeuu 
- DISCURSO PRONUNCIADO POR EL COMANDANTE FIDEL CASTRO RUZ, PRIMER SECRETARIO DEL COMITE CENTRAL DEL PARTIDO COMUNISTA DE CUBA Y PRIMER MINISTRO DEL GOBIERNO REVOLUCIONARIO, AL CONMEMORARSE EL X ANIVERSARIO DEL TRIUNFO DE LA REBELION, EN LA PLAZA DE LA REVOLUCION, EL 2 DE ENERO DE 1969 – http://www.cuba.cu/gobierno/discursos/1969/esp/f020169e.html 
- Del bloqueo no se dijo una palabra – http://www.granma.cu/granmad/secciones/ref-fidel/art120.html
- America Latina e África contra o bloqueio dos Estados Unidos c ontra Cuba em UN – http://tudoparaminhacuba.wordpress.com/2012/10/01/america-latina-e-africa-contra-o-bloqueio-dos-estados-unidos-contra-cuba-em-un/ 
- O bloqueio é uma política do passado e deve acabar – http://pt.granma.cu/cuba/2016-07-20/o-bloqueio-e-uma-politica-do-passado-e-deve-acabar 

Sem comentários: