segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

A história de Mary Anne MacLeod, imigrante escocesa e mãe de Donald Trump



O decreto anti-imigração assinado por Donald Trump está a gerar críticas a nível mundial. Uma iniciativa de um homem que é filho de uma escocesa que imigrou para os Estados Unidos em busca de uma vida melhor.

Mary Anne MacLeod nasceu numa comunidade piscatória da Escócia em 10 de maio de 1912. No final de 1929, embarcou no S.S. Transylvania, em Glasgow, com destino a Nova Iorque, nos Estados Unidos, com um visto de imigrante, para ir ao encontro de três irmãs e conseguir autorização de residência permanente. À semelhança do que fizeram muitos conterrâneos, numa Europa ainda na sombra da I Guerra. Foi preciso mais do que uma viagem transatlântica para o conseguir, contou o "New Yorker".

Foi em solo americano que conheceu o nova-iorquino Freud Trump, que enriqueceu no ramo da construção civil, nomeadamente nos bairros de Brooklyn e Queens, terminando os projetos a preços abaixo dos subsídios públicos recebidos.

Também Freud Trump era descendente de um imigrante alemão (Donald Trump) que chegou a Nova Iorque em 1885.

Mary Anne e Freud Trump apaixonaram-se num baile, casaram em 1936 e tiveram cinco filhos: Maryanne, Frederick Jr., Elizabeth, Donald e Robert.

Donald é o multimilionário Donald John Trump que se tornou no 45º presidente dos Estados Unidos. Um descendente de uma imigrante que tem afirmado um discurso muito rígido para com os imigrantes, nomeadamente mexicanos e muçulmanos, recolhendo críticas da comunidade internacional.

Sendo mulher de um empresário bem sucedido, Mary Trump tornou-se presença assídua dos eventos sociais da cidade e participou em diversas causas de beneficência, nomeadamente, de associações dedicadas à paralisia cerebral e adultos com deficiência mental.

Mary recebeu a cidadania norte-americana em 1942. Faleceu a 7 de agosto de 2000, aos 88 anos, um ano depois do marido, pelo que, já não assistiu ao percurso político do filho, que o levou até à Casa Branca.

"Parte dos problemas que tive com mulheres foi por compará-las com a minha incrível mãe, Mary Trump", escreveu o próprio no livro "Trump: The Art of the Comeback" (1997). "A minha mãe era muito esperta".

Donald Trump tem jeito para o negócio como o pai e a esperteza da mãe, mas não só. Também tem em comum com a progenitora o cabelo louro, penteado de forma vistosa.

Jornal de Notícias

Sem comentários: