Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

terça-feira, 4 de abril de 2017

GOVERNOS, NOVO BANCO, BANQUEIROS, POLÍTICOS. O QUE APETECE É VOMITAR


Expresso Curto, a cafeína matinal que vai ser servida femininamente. Dizer isto não implica descriminação positiva nem negativa. É um facto e está mais que evidente na prosa deste Curto. Bombas, é o que abre a referida prosa. Lá longe, em São Petersburgo, a explosão já matou 14 e feriu 50, destes feridos ainda há a possibilidade de alguém mais morrer.

Em Portugal também existem várias bombas. Os bombistas são os da política, miscigenados com os da banca nacional e internacional. Novo Banco, um negócio tão opaco, tão opaco, que só assim pode acontecer. As mentiras e omissões saltam de boca em boca. Até Marcelo, o PR em fase graciosa mas a acabar, mente. Que estejamos "descansados", disse. Claro que quem vai pagar os milhares de milhões do “negócio” são os contribuintes portugueses e até os mais atascados da ralé. Toca a todos, menos aos que têm paulatinamente andado a roubar. Esses estão impunes e são os administradores, os gestores, os dótores das máfias que nos têm assolado para pagar o que eles roubaram. Fale Marcelo, fale Costa PM, fale Costa do BdP, falem os afins desta trama, os portugueses sabem que quem já pagou e vai continuar a pagar a farra do Novo Banco são os portugueses. Isso mesmo é o que é dito nas conversas entre as famílias, nas ruas, nos comentários dos jornais, na TSF, ainda a esta hora, no programa de Manuel Acácio chamado Fórum TSF. Um fórum que ainda dá alguma liberdade aos que intervêm. “Nós é que vamos pagar esta orgia do Novo Banco”, dizem ali os portugueses. Afinal eles bem sabem a verdade. Assim sendo porque mentem os protetores dos Salgados e de outros do mesmo jaez, ladrões de colarinhos brancos e mentes emporcalhadas. Nojentas. 

O que não se vê é a responsabilização dos que cometeram crimes de lesa-pátria, de lesa-Portugal e portugueses. Que nos remeteu a sacrifícios inauditos. Os ladrões estão nos poderes, apossaram-se da Justiça, apossam-se de tudo que lhes interessa e lhes dê lucro ou vantagens. Indiferentes à miserabilização da sociedade, do país. A pátria deles é o cifrão e ficou hoje claro que Marcelo está naquele lado da barreira, dos vigaristas, dos que são Salgados e desse jaez tão pernicioso. Dizem certos observadores e comentadores que ele não pode dizer outra coisa se não mostrar "confiança". Pois. Então que esteja calado, para não ter de mentir.

Mudando de assunto ou talvez não. Houve um Conselho de Estado, há dias. Cavaco que estava doente e que por tal não compareceu. Só para não esquecer: Cavaco, BPN, Oliveira e Costa, Dias Loureiro… Podemos dizer que as fraudes começaram a ser evidentes ali, no BPN? Podemos. Uma máfia que se mantém impune mas que já está condenada pelos portugueses. A promiscuidade entre alguns políticos e banqueiros tem sido evidente. Foi visível, pelo menos aí, sobre esta crise, quando Cavaco afirmou que os portugueses podiam confiar no Banco Espírito Santo. Mentiu descaradamente e isso mesmo foi provado e continua a ser provado. O mesmo está agora a fazer Marcelo, de outro modo, mas mente. Salgado e outros continuam em liberdade. A velha Almerinda, sem-abrigo, que roubou um lata de conserva e um chupa-chupa no supermercado continua entre grades. Justiça? Transparência? Honestidade?

O negócio do Novo Banco (mais do mesmo) ainda não está fechado. Os portugueses não querem pagar mais pelos roubos que foram efetuados pelos banqueiros, amigalhaços e afins. O dinheiro não desapareceu, estará nas contas bancárias ou debaixo de colchões dos que até s-ao citados na praça pública, todos sabemos quem. Vão buscá-lo, ao dinheiro. Punam os ladrões, os vígaros. Faça-se justiça!

A seguir, o Curto com laivos femininos. Bom. É de ler. Continue e tenha um bom dia, se conseguir. É que depois de ler isto e ponderar na realidade o que apetece é vomitar. (MM / PG)

Bom dia, este é o seu Expresso Curto

Helena Pereira – Expresso

O bombista de São Petersburgo, um poema para ouvir e as respostas que esperamos

Terá 23 anos e nascido no Quirguistão. Trata-se do principal suspeito do atentado terrorista no metro São Petersburgo de ontem, que fez, pelo menos, 11 mortos e 51 feridos. Este suspeito teria ligações ao extremismo islâmico, mas ainda desconhecem-se todas as motivações. O Presidente russo Vladimir Putin, que se encontrava em São Petersburgo, a sua terra natal, visitou ontem à noite o local do atentado e depositou flores. “Isto parece um cenário de guerra”, era assim que ontem uma testemunha descrevia a estação de metro. O El País mostra-lhe algumas imagens do local instantes depois do atentado que abalou a Rússia. O último atentado terrorista tinha sido registado em 2011 quando um suicida bombista matou 37 pessoas no aeroporto Domodedovo, em Moscovo.

Por cá, hoje será dia de Novo Banco. O primeiro-ministro, António Costa, dá a primeira entrevista (à Renascença) após a assinatura de venda à Lone Star e deixamos-lhe aqui oito dúvidas da esquerda à direita. Já se sabe que Marcelo Rebelo de Sousa, por seu lado, está confiante na venda do Novo Banco e diz que os portugueses podem ficar descansados. Mas o PS pediu uma audição urgente do Governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, e do negociador da venda, Sérgio Monteiro, enquanto o PSD pediu à Unidade Técnica de Apoio Orçamental que calcule os custos da revisão das condições do empréstimo do Estado ao Fundo de Resolução. Enquanto isso, investidores internacionais cujas obrigações passaram para o banco mau vão avançar com uma providência cautelar para bloquear venda do Novo Banco. Quem veio criticar esta venda foi o ex-banqueiro Ricardo Salgado. "Foi uma desgraça", disse. É caso para rir ou para chorar?

Violência no futebol. Marco Gonçalves, o jogador do Canelas que agrediu um árbitro no domingo, ficou proibido de entrar em recintos desportivos e contactar árbitros. E soube-se entretanto que já tinha cadastro. O atingido, José Rodrigues, que ficou com o nariz partido, confessa que espera "recuperar bem e voltar a apitar" em breve. Perante os acontecimentos, o Governo, por seu lado, considera que não é necessário voltar a pôr em cima da mesa a hipótese de irradiação de futebolistas, garante o Público. Noutro caso, a PSP já abriu um processo disciplinar ao agente que pontapeou um adepto antes do Benfica-FC Porto, no sábado.

Homenagem. “O Canto e As Armas” de Manuel Alegre foi a marca de uma geração que lutou contra a ditadura. O Expresso acompanhou o poeta e ex-candidato presidencial Manuel Alegre a Nogueira de Regedoura, onde homenageou uma figura celebrada num desses poemas, "o homem escondido à beira do caminho" ou o médico dos pobres, ou Ferreira Soares, tio-avô de Catarina Martins. É uma reportagem multimédia em que pode ouvir o próprio Alegre a declamar um dos poemas desta sua obra, que completa agora 50 anos e, por isso, teve uma nova e especial edição.

De novo a banca. A Pivot, empresa detida por Ricardo Santos Silva e que tem Miguel Relvas como acionista, viu o processo de venda do Banco Efisa caducar. O processo arrastava-se há 17 meses e ficou sem resposta do BCE, noticia o Negócios.

Dinheiro. Já chegou a nova nota de 50 euros. E o que traz de novo? O Eco explica-lhe.

Turismo. Douro Azul, a maior empresa de cruzeiros turísticos do país, ameaça tirar a bandeira portuguesa aos navios por causa da burocracia, conta a TSF.

Património. Dezenas de edifícios das forças de segurança vão ser vendidas ou concessionadas pelo Estado. Entre os imóveis já referenciados encontram-se o Comando Territorial de Lisboa da GNR, na Calçada do Combro, ou a Companhia de Intendência da GNR, na Graça, noticia o Público.

Escolas. Ao fim de três meses, quase metade das escolas onde foram instaladas câmaras de videovigilância já têm problemas.

A oposição a Assunção Cristas (sim, ela existe) reuniu-se num jantar no fim de semana.

A comissão de investigação do Parlamento Europeu aos chamados Panama Papers vai chamar a depor o agente desportivo Jorge Mendes e o presidente da FIFA, Gianni Infantino.

LÁ FORA

Nos EUA, o Presidente Donald Trump decidiu suspender a contribuição para o fundo da população da ONU, destinado a apoiar o planeamento familiar e a saúde das crianças em cerca de 150 países. Motivo: o facto deste fundo "promover um programa de aborto forçado e esterilização involuntária". Ficámos a saber também que esta administração é a mais rica que alguma vez os EUA tiveram. Os dados de 200 elementos foram divulgados pela própria Casa Branca.

Dalai Lama começa hoje uma visita de nove dias ao nordeste da Índia, em que tem prevista uma deslocação a Arunachal Pradesh, uma região administrada por Nova Deli mas reivindicada por Pequim o que promete uma reação diplomática da China.

No Reino Unido, as declarações de Theresa May de que "nunca" permitiria que Gibraltar escapasse ao controlo britânico e do ministro dos Negócios Estrangeiros de que "Gibraltar não está à venda" provocaram a irritação e incompreensão em Espanha. E parece que os ingleses estão desejosos de voltar a... mudar a cor do passaporte. Pelos vistos, não gostavam do tom rosado e agora que saem da UE querem voltar à cor azul. “É um símbolo para o mundo de que o Reino Unido está de volta", disse o deputado conservador Andrew Rosindell.

Na Tchetchénia, as autoridades locais lançaram uma campanha anti-gay que já levou à detenção de dúzias de homens suspeitos de homossexualidade, de acordo com o jornal russo Novaya Gazeta e ativistas dos direitos humanos citados pelo The Guardian.

Em França, o Governo começou a divulgar online desde ontem, pela primeira vez, os resultados do controlo alimentar de restaurantes, cantinas, matadouros. E por cá, será que o Governo pega na ideia?

Curiosidades. Quer conhecer o resort que é o esconderijo secreto de estrelas de futebol como Zidane e Iker Casillas? Clique aqui. E é fã do Snapchat? Fique a saber que já tem um motor de busca. Uma das mais icónicas imagens criadas por Andy Warhol, que imortaliza Mao Tse-tung, foi vendida neste domingo em Hong Kong. Quer saber por quanto?

E aqui estão as manchetes do dia:

"Polícias vendem e concessionam dezenas de edifícios históricos", no Público
"Videovigilância nas escolas já tem problemas ao fim de três meses", no DN
"Venda de Efisa volta à estaca zero", no Jornal de Negócios
"Famílias perdem 23 milhões com fim de despesas escolares", no Jornal de Notícias
"Polícia de elite tortura mulher e filhas" no Correio da Manhã
"Joana Marques Vidal bate recordes", no i

FRASES

“So nicht, meine herren (Assim não, meus senhores)"
Rui Rio, ex-presidente da Câmara do Porto, sobre a banca, em declarações ao DN

“Podem ficar descansados de que a solução encontrada, que é na linha do Governo anterior, é de não haver garantia do Estado, não haver responsabilidade do Estado, mas do fundo de resolução"
Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República sobre o Novo Banco

“Se a tragédia foi o BES, a farsa está a ser o Montepio Geral"
João Miguel Tavares, cronista, no Público

“Até eu mudei com o Papa Francisco como pastor"

António Marto, bispo de Fátima, em entrevista ao DN

O QUE ANDO A LER

Nunca tinha ouvido falar e decidi espreitar. Catherine l’Ecuyer escreveu "Educar na Curiosidade" e defende que é preciso respeitar "a natureza" das crianças e os seus ritmos. Numa altura em que há tanta gente com pressa, mesmo alguns pais, captou-me a atenção. A escrita é sensata, alerta para a necessidade de não sobrestimular as crianças e deixá-las gozar a infância nos anos próprios sem ter a tentação de forçar a adolescência. Vá, mas não posso deixar de estranhar que diga, numa das entrevistas que deu, que na sua casa (com quatro filhos), não há ipads e a televisão só é ligada uma vez por semana e para ver filmes clássicos.

Sem mudar muito de tema, recomendo este trabalho do Expresso sobre a geração Z, os nossos jovens que sucedem aos millennials e que são a geração do faz acontecer e que não é do contra. "Se os millennials acreditavam que o mundo estava cheio de possibilidades para conquistar e de sonhos para realizar, os Z são muito mais realistas e práticos. A Geração Z cresceu num mundo em crise e em constante ameaça", descreve a jornalista Marta Gonçalves, sobre o estudo “Nascer em Portugal já não é o que era: factos e tendências”, que resulta da compilação de dados da Pordata, Instituto Nacional de Estatística ou Fundação Manuel dos Santos.

Hoje fico por aqui. Tenha uma boa terça-feira! Continue bem informado com o Expressoonline, com o Expresso Diário às 18h e com a Tribuna, o site dedicado ao desporto. Até já!

Sem comentários: