Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

quinta-feira, 27 de julho de 2017

PSD DEVIA PEDIR DESCULPAS AO PS E AOS PORTUGUESES PELO COMPORTAMENTO INDIGNO



Está dada a resposta às declarações do PSD na AR, feitas por Abreu Amorim quando exigiu a apresentação de desculpas do PS ao PSD e aos portugueses.

Até parece que quem anda a procurar tirar aproveitamentos políticos da tragédia de Pedrógão Grande não é o PSD (o CDS menos).

Até parece que não foi Passos Coelho quem inventou suicídios - que felizmente não aconteceram. Até parece que não foi Passos e outros do PSD que batalharam em insinuações e declarações ferozes de que o governo estava a ocultar um maior número de vítimas mortais devido ao incêndio…

Se fossem gente de bem com arraiais assentes na política certamente não só ao PS (ao governo) deviam pedir desculpas, mas principalmente às gentes de Pedrógão Grande, aos familiares e amigos das vítimas que usaram em descarado e  vergonhoso aproveitamento político. Enfim, pedir desculpa aos portugueses pelo comportamento indigno que assumiram e parecem querer continuar a praticar. Isso, pedir desculpas, se tivessem realmente vergonha. Sentimento de que demonstram estarem desprovidos.

De certeza que não têm vergonha absolutamente nenhuma. E isso não parece, porque pelo demonstrado é facto. Tiveram a resposta, que saberá se continuar a ler.

MM | PG

"PSD devia pedir desculpas ao país por ter levantado suspeitas"

Lisboa, 27 jul (Lusa) - O Governo considerou hoje que quem deve pedir desculpas ao país é o PSD por ter agido "com irresponsabilidade" na questão dos mortos da tragédia de Pedrógão Grande, devolvendo aos sociais-democratas o pedido feito ao executivo.

O PSD tinha devolvido hoje de manhã ao Governo as acusações de atitudes indignas na polémica em torno da lista de mortos nos incêndios de Pedrógão Grande e avisou que este caso não está encerrado, considerando que alguém do executivo socialista "deveria já ter pedido desculpa" aos portugueses.

Questionada pelos jornalistas no briefing de hoje à tarde do Conselho de Ministros sobre estas acusações, a ministra da Presidência, Maria Manuel Leitão Marques, foi perentória: "o que se passou nos últimos dias é absolutamente lamentável e devolvo o pedido de desculpas ao PSD, que devia pedir desculpas ao país por ter levantado suspeitas em questões de vida ou morte".

Na opinião da ministra, "quem agiu com irresponsabilidade foi o PSD".

"O Governo manteve-se sereno, esperou pela investigação da Procuradoria-Geral da República, que naturalmente esclareceu a devido tempo todo o país", considerou.

Para Maria Manuel Leitão Marques questões como estas devem ser tratadas "com todo o cuidado, procurando com rigor a informação e não acreditando em quaisquer declarações que possam ser feitas seja por quem for".

Em declarações aos jornalistas hoje de manhã, no parlamento, Carlos Abreu Amorim, vice-presidente da bancada do PSD, utilizou a mesma palavra - indigno - usada pelo Governo, para dizer que "indigno é não ter chegado, até ao momento, um cêntimo de dinheiro público" e de donativos às populações afetadas pelos incêndios de junho na região centro.

Como é indigno, repetiu, que o Governo tenha adiado para setembro a aprovação de um projeto de lei do PSD, que tinha o apoio do PCP e do BE, que criava "um mecanismo urgente extrajudicial" para acelerar a reparação de danos às famílias dos mortos e dos feridos.

Notícias ao Minuto | Lusa, com foto

Sem comentários: